10/10/2009

Prenda de Natal - NADA ACONTECE POR ACASO!


Era uma vez... mas desta vez é uma estória verdadeira!

Um padre presbítero foi colocado numa igreja de Baltimore e ao tomar conhecimento do estado em que essa mesma igreja se encontrava ficou preocupado pois seriam precisas prolongadas obras antes que aí se pudesse iniciar o culto.

Homem de trabalho meteu mãos à obra tendo como fito poder iniciar o culto nas Festas Natalícias. Lá foi andando e em fins de Novembro começava a ficar satisfeito vendo que conseguiria atingir o seu objectivo. Com as obras já concluidas nas proximidades do Natal encontrava-se radiante por tudo se encontrar como desejara.

Qual não foi o seu desespero quando nas vésperas houve um forte temporal que fez desabar parte da parede por trás do altar. Triste e sem saber como resolver saiu da igreja a caminho de casa e ao passar frente a uma loja viu na sua montra algo que lhe chamou a atenção. Era uma toalha de mesa em linho que tinha bordada no seu centro uma grande cruz. Entrou na loja e comprou-a porque percebeu que tal toalha poderia perfeitamente tapar os estragos havidos.

Voltou apressadamente para a igreja e ao faze-lo viu uma velhinha à chuva que acabara de perder o autocarro. Com pena dela levou-a para a igreja para que não ficasse à chuva enquanto esperava novo autocarro. Pedindo-lhe desculpa afastou-se para junto do altar e começou a colocar a toalha na parede estragada.

A velhinha ao ver a toalha colocada começou a chorar e pediu que ele visse se num dos cantos estavam as letras abc bordadas. O padre assim fez e qual não foi o seu espanto quando as aí encontrou. Ela então disse-lhe que tinha sido ela a bordá-la na Polónia havia 35 anos. Pouco tempo depois o seu País fora ocupado pelos alemães e tanto ela como o seu marido foram presos tendo perdido o seu rasto e nunca mais ter sabido dele. O padre com pena dela quiz-lhe dar a toalha o que ela não aceitou dizendo que era ali que ficaria bem e a propósito.

Então porque continuasse o mau tempo o padre levou-a a casa e agradeceu-lhe uma vez mais a sua dádiva.

No dia de Natal ao abrir a Igreja colocou-se à porta a receber os seus crentes, quando um velhinho ao entrar, olhando para o altar viu a toalha, este ficou altamente comovido e disse-lhe que a sua mulher havia uns 35 anos fizera uma toalha igual.

O padre, de imediato, disse-lhe que lhe iria dar um enorme prazer. Assim, pegou nele e levou-o a casa da velhinha que ao reencontrarem-se passados tantos anos cairam nos braços um do outro plenos de felicidade. Tinha sido a melhor prenda de Natal que tinham tido!

Como se vê "NADA ACONTECE POR ACASO"!!!

8 comentários:

Pó de Estrela disse...

Que história linda e comovente!

Pode dizer-se que "Deus escreve direito por linhas tortas"!

Gostei muito de voltar aqui.

Beijinhos cheios de Pó de Estrela

casa da poesia disse...

lindo!...e para ti...

"vendo tudo quanto tenho
memória e imaginação
por cinco reis de alegria
pra dar ao meu coração"

Luis disse...

Boas Amigas,
Obrigado pelas belas palavras que aqui deixaram. São motivadoras!
Um beijinho muito amigo.

Mara disse...

Amigo Luis,

Uma história verdadeiramente encontadora. O Espirito de Deus está presente nela sem sombra de dúvida. Foi preciso uma tempestade, encontrar uma toalha com uma cruz no meio para juntar de novo aqueles queridos velhinhos que Deus amava como nos ama a todos.

Abraço
Milai

Fernanda disse...

Amigo Luís,

Que bela história, muito emocionante.

Claramente "nada acontece por acaso"

Beijinho

A. João Soares disse...

Caros Amigos,

Nem sempre apresentar aqui transcrições é sinal de inépcia. Algumas merecem ser meditadas mais vezez.
Esta faz-me lembrar a obra em três volumes, mas que se apenas se ler o primeiro já se fica muito enriquecido, de JAMES REDFIELD, «A profecia Celestina - uma odisseia para o nosso tempo», editada pela Editorial Notícias em Novembro de 1996 (5ª edição). Relata uma série de coincidências ocorridas na Europa e na América que leva a encontros muito interessantes no aspecto espiritual e filosófico.

Um abraço
João

Luis disse...

Caro João,
Obrigado pela dica. Vou procurar encontrar os livros indicados pois devem ser interessantes, dado que nada acontece por acaso...
Um abraço amigo.

Maria Letra disse...

Amigo Luís,
Um título muito verdadeiro!
Costumo aconselhar os meus filhos a não analisarem os acontecimentos pelo impacto que possam causar nos seus sentimentos. Um drama, por exemplo, pode esconder uma mensagem muito importante, um aviso de que alguma coisa deverá ser mudada. Uma alegria deve ser sempre acompanhada duma reflexão sobre o que fazer para preservá-la. Com o passar do tempo, podemos acabar por receber, como este texto exemplifica, a mensagem que não esperávamos.
Um bom dia e um abraço.
Maria letra