30/12/2007

Ser feliz resulta da inteligência prática

Não me julguem petulante ao ponto de querer dar-vos conselhos!
Encontrei este lindo texto num anexo em Power Point que achei maravilhoso e quis partilhar convosco. Aplica-se a todas as idades, não é só para idosos, como eu !!!

Dona Maria era uma senhora de 92 anos, elegante, bem vestida e penteada.
Estava de mudança para uma casa de repouso pois o marido com quem vivera 70 anos, havia morrido e ela ficara só.

Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando uma atendente veio dizer que seu quarto estava pronto.
A caminho da sua nova morada, a atendente ia descrevendo o minúsculo quartinho, inclusive as cortinas de chintz florido que enfeitavam a janela.
Ah! Eu adoro essas cortinas – disse ela com entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um filhote de cachorrinho.
- Mas a senhora ainda nem viu o quarto...
Nem preciso ver – respondeu ela.
Felicidade é uma decisão que tomo todo dia quando acordo.
E eu já decidi que vou adorar!
É uma decisão que tomo todo dia quando acordo.
Sabe... Tenho duas escolhas: posso passar o dia inteiro na cama contando as dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo que não funcionam bem...
Ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem.
Cada dia é um presente.
E enquanto meus olhos abrirem, vou focalizá-los no novo dia e também nas boas lembranças que eu guardei para esta época da vida.
A velhice é como uma conta bancária. Você só retira daquilo que você guardou.
Portanto, lhe aconselho depositar um monte de alegria e felicidade na sua Conta de Lembranças.
E como você vê, eu ainda continuo depositando.
Agora, se me permite, gostaria de lhe dar uma receita:
1. Jogue fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência. Isso inclui idade, peso e altura. Deixe o médico se preocupar com eles. Para isso ele é pago.
2. Dê preferência aos amigos alegres. Os “baixo astral” puxam você para baixo.
3. Continue aprendendo. Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa. Não deixe seu cérebro desocupado. Uma mente sem uso é a oficina do Mal.
E o nome do mal é Alzheimer.
4. Curta coisas simples.
5. Ria sempre, muito e alto. Ria até perder o fôlego.
6. Lágrimas acontecem. Aguente, sofra e siga em frente. A única pessoa que acompanha você a vida toda é VOCÊ mesmo. Esteja VIVO enquanto você viver.
7. Esteja sempre rodeado daquilo que você gosta. Pode ser família, animais, lembranças, música, plantas, um hobby, o que for. Seu lar é o seu refúgio.
8. Aproveite sua saúde. Se for boa, preserve-a. Se estiver instável, melhore-a. Se estiver abaixo desse nível, peça ajuda.
9. Não faça viagens de remorsos. Viaje para o shopping, para a cidade vizinha, para um país estrangeiro, mas não faça viagens ao passado.
10. Diga a quem você ama, que você realmente o ama, em todas as oportunidades.
E lembre-se sempre que: A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego...
De tanto rir...
De surpresa...
De êxtase...
De felicidade!

27/12/2007

Não podemos acreditar em nada!!!

No artigo do Jornal de Notícias com o título Mitos médicos desmontados pela ciência, da autoria de Helena Norte, é lançado o alerta oriundo do British Medical Journal (www.bmj.com) contra determinados mitos com que temos sido bombardeados insistentemente.

São disto exemplos «beber oito copos de água faz bem à saúde» ou «apenas usamos 10% do nosso cérebro» ou «ler com luz fraca prejudica a visão» ou «cortar cabelo faz com que cresça mais forte».

Segundo o BMJ, apesar de os médicos procurarem convencer os seus clientes destas «verdades», elas carecem de fundamento científico.

Os autores desmontam algumas crenças comuns a partir da evidência científica existente, com o objectivo de alertar os médicos para a necessidade de questionarem as suas convicções e práticas.

A ingestão excessiva de água pode ser perigosa para a saúde. Segundo a mais moderna imagiologia, tanto de cérebros normais como lesionados, mostram que não há qualquer área do nosso encéfalo que esteja completamente adormecida ou inactiva. A baixa luminosidade cria a sensação de dificuldade de focagem e obriga a um esforço maior, mas os efeitos negativos são temporários e é muito pouco provável que causem alterações permanentes na estrutura do olho. Os estudos que procuraram correlacionar o corte do cabelo com a espessura e a rapidez com que renasce demonstraram que não existe qualquer ligação.

Para mais informação, pode ser lido o artigo referido ou o BMJ de que se indica o acesso.

Tira-se a conclusão de que devemos pôr em causa toda a informação que nos chega, comparando com outras origens, principalmente as ligadas a centros científicos ou publicações com credibilidade. Já vi na TV um médico dizer que o melhor óleo alimentar era o de girassol e, alguns anos mais tarde vir afirmar com o mesmo ar doutoral que o melhor óleo é o azeite. A mesma pessoa, movida pelo dinheiro dos contratos, não teve escrúpulos de invocar a ciência que o seu diploma lhe outorgava para nos enganar, de uma das vezes ou das duas.

24/12/2007

Evite o cinzentismo. Defina-se. Ouse

Quase

Ainda pior que a convicção do não, é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase!
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata, trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou, ainda estuda, quem quase amou, não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas ideias que nunca sairão do papel, por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna?
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "bom dia", quase que sussurrados.

Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz!
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor.

Mas não são.

Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados
e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória, é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Para os erros há perdão, para os fracassos, chance, para os amores impossíveis, tempo

De nada adianta cercar um coração vazio ou
economizar alma.

Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando...
Fazendo que planejando...Vivendo que esperando...
Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

( Luís Fernando Veríssimo )

NOTA: Recebido por e-mail da colega do CVS Quitéria Oliveira. Uma linda lição de vida mesmo para Seniores!!!

Boas Festas

A todos os elementos do Clube Virtual de Seniores e a todos os visitantes deste blog o Sempre Jovens deseja um Feliz Natal e um ano de 2008 com tudo o que mais desejarem.
Como os tempos estão difíceis, convém procurarmos ser felizes com as pequenas coisas da vida e da Natureza, como o nascer do sol e as flores que nascem ao lado da estrada.
Um forte abraço para cada um, com os melhores votos.
João

23/12/2007

Quando até as idosas eram inocentes!

A D. Beatriz, organista numa igreja, tem 80 anos e é solteira. Era admirada por todos pela sua simpatia e doçura.

Uma tarde, convidou o novo padre da Igreja para ir lanchar a sua casa e ele ficou sentado no sofá, enquanto ela foi preparar um chá.

Olhando para cima do órgão, o jovem padre reparou numa jarra de vidro com água e, lá dentro, boiava um preservativo.

Quando a D. Beatriz voltou com o chá e as torradas, o padre não resistiu a tirar a sua curiosidade perguntando o porquê de tal decoração em cima do órgão.

E responde ela apontando para a jarra: "Ah! refere-se a isto? Maravilhoso, não é? Há uns meses atrás, ia eu a passear pelo parque, quando encontrei isto num pacotinho no chão. As indicações diziam para colocar no órgão, manter húmido e que, assim, ficava prevenida contra todas as doenças. E sabe uma coisa? Este Inverno ainda não me constipei".

NOTA: Esta graça já tem longas barbas brancas, maiores do que as do Pai Natal! Mas a inocência que traduz insere-se muito bem no sentido do Natal. Desejo um Feliz Natal a todos os visitantes deste blog.

17/12/2007

Um gesto amigo a enfatizar

Em 29 de Novembro, o escritor Manuel Amaro Bernardo, fez o lançamento de mais um livro seu, «Guerra, Paz e Fuzilamentos dos Guerreiros» dedicado a acontecimentos ocorridos na Guiné no período 1970-1980. Embora convidado, não pude estar presente e, oportunamente, expliquei ao autor as razões de não poder corresponder ao convite. Ele compreendeu e teve a amabilidade de se encontrar comigo hoje num almoço para que me convidou, ofereceu-me um exemplar da obra e explicou muitos acontecimentos ocorridos no período coberto por este trabalho histórico que merece ser lido e confrontado com outros documentos referidos na extensa bibliografia e citados no texto.

Não se trata de um principiante em escritos deste teor e retiro da extensa bibliografia as suas seguintes obras: «Marcello Caetano e Spínola; A Ruptura; As Forças Armadas e a Imprensa na Queda do Estado Novo (18~973-174)», «Equívocos e Realidades; Portugal 1974-1975», 2 volumes, e «Memórias da Revolução; Portugal 1974-1975».

Aos amigos e conhecidos comuns que estranharam a minha ausência, fica aqui esta explicação de que não pude estar presente por virtude das minhas limitações actuais que me tornam praticamente impossível ausentar de casa fora do período das 10h00 – 15h00.
Ao amigo Bernardo dou os parabéns por mais esta obra, realista, isenta e frontal, bem documentada, que contribuirá para futuros estudos sobre os acontecimentos de uma época conturbada que tem levado tratos de polé. E agradeço a amabilidade do almoço, do livro e da dedicatória com que me honra. É uma bela prenda de Natal. Desejo a continuação destas obras por muitos anos.

15/12/2007

Os idosos merecem mais respeito

Coisas que me enjoam…

... Um País onde o Governo não toma conta dos nossos idosos!

... Que os deixa abandonados em lares degradantes,
Que os deixa existirem como sem-abrigo,
Que os deixa viúvos e por vezes sem filhos, sozinhos nas sua casas, à espera que a morte chegue;

... Um País onde um idoso não é atendido em 1º lugar em qualquer fila de espera, onde não pode sair à rua sem medo de cair, de ser atropelado, ou de ser roubado;

... Um País onde o Governo não respeita os nossos idosos é um País que não tem governo digno de existir!

Extraído do blog sulista
Feliz Natal para todos, principalmente para os idosos mais desprotegidos, com votos de que em 2008 o Governo passe a velar por vós.

O idiota e a moeda

Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia.
Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas.

Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 REIS e outra menor, de 2000 REIS.
Ele escolhia sempre a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e perguntou-lhe se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos. Respondeu o tolo:
- Eu sei, ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar a minha moeda.

Podem-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa:
A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é.
A segunda: Quem eram os verdadeiros idiotas da história?
Terceira : Se fores ganancioso, acabas por estragar a tua fonte de rendimento.

Mas a conclusão mais interessante é: A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.

Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, o que realmente somos.

"O maior prazer de um homem inteligente é armar-se em idiota diante de um idiota que se arma em inteligente

14/12/2007

Natal, a fuga para o Egipto

HISTÓRIA ANTIGA

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava, e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da Nação.

Mas,
Por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.

(Miguel Torga, in Antologia Poética, Coimbra, Ed. do Autor, 1981)
Publicada por Amaral, em Ad Litteram

FELIZ NATAL

Desejo a todos os visitantes deste blog, a todos os bloguistas, a todos os internautas e, de um modo geral, a todo o Mundo, um
NATAL FELIZ,
com brancura e a luz da estrela que nos guie durante o próximo ano, em ambiente de paz, fraternidade e união de vontades para a construção de uma humanidade mais solidária e feliz.

Época em que devemos esquecer todo o mal, todos os ódios e rancores, e pensar apenas naquilo que de melhor a humanidade pode ter.

Um maravilhoso presente de Natal é nos dado pelo estado americano de NOVA JÉRSIA que aboliu a pena de morte, dando assim ao Mundo um óptimo exemplo de respeito pelos direitos humanos, a seguir por todos os homens de boa vontade.

Desejo que o espírito de Natal perdure nos espíritos de todos para sempre.

13/12/2007

O meu mar

As águas verdes
tranquilas ou ondulantes
que os meus olhos enxergam
admiram sem descanso,
pertencem ao meu mar
porque nele me molho se quero
ou não molho e só o olho.

As areias lisas
ou já calcadas,
pertencem ao mar verde
que as alisa quando quer.
Porque uma areia lisa
lembra uma seda
quase brilhante
quase ondulante
se houver uma brisa.

Estendo-me nessa areia seda,
sinto o calor que me aconchega.
Cobre-me o azul do céu
que me encanta, me enleva
e acalma os meus turbilhões.
Medito, relembro o que já passou
mas esqueço, lembrar para quê?

De: Adelaide Quintas
posted by maqira

12/12/2007

A NOITE DAS MIL LUZES

SENHOR

DESPE DE VAIDADES O NATAL

QUE A NOITE FIQUE NUA.

COBRE-A DE AMOR,

SENHOR

E ACENDE APENAS UMA LUZ,

A TUA.


publicado por brizissima

Desertificação do interior

O PSD faz saber que pretende debater o processo de desertificação em curso no interior do País. Tal intenção merece aplausos, porque, mais do que muitos temas de que os políticos se ocupam, este reveste-se de uma importância grande para as populações ainda ali residentes e para a segurança em geral. Com efeito, as grandes extensões de mato abandonado podem vir a ser ocupadas por bandos marginais para se organizarem e treinarem e como ponto de partida e de reagrupamento para a consumação de actos indesejáveis. Quem pode garantir que ainda não vivem por ali alguns desses grupos?

Porém, a esperança que esta notícia atiça pode vir a gerar mais uma frustração. Na realidade, estamos habituados a que os políticos não vejam os cidadãos como seres humanos, mas apenas como contribuintes todos os dias e eleitores de tempos a tempos. Ora, como as políticas usadas, de há muitos anos a esta parte, têm estimulado a fuga para o litoral, é aqui que se encontra a grande massa de fornecedores de impostos e de votos, o que leva os políticos, partidariamente pragmáticos, a centrar na faixa junto ao mar todas as suas atenções. Até já há quem diga que não compensa fazer campanhas eleitorais no Portugal profundo!

E, nos sucessivos governos, não tem faltado tal pragmatismo monetarista, o que se tem manifestado pelo encerramento, no interior, de locais de apoio de saúde, de escolas, de tribunais, de estações de caminhos de ferro, de postos da GNR e de outros serviços administrativos.

Mas não devemos perder a esperança de ver Portugal ser governado com inteligência e democracia, dando a cada hectare do País as mesmas possibilidades de desenvolvimento e qualidade de vida. Os habitantes do interior do País devem ser considerados tão portugueses como os de Lisboa e Porto. Oxalá esta boa intenção do PSD dê os resultados que o País deseja.

09/12/2007

As lágrimas

(por Adelaide Quintas, Maquira)

Molhadas
Salgadas
Importunas
Atrevidas
Ligadas estão
aos estados d´alma
das nossas vidas...

Amantes da tristeza
Menos d´alegria
Por vezes... ajudam...
Quem diria!

Se se vertem
Cresce espaço por dentro
O ar desanuvia
tudo fica mais leve
Adeus tristeza
Viva a alegria

Maqira

NOTA: Agradeço à amiga Milai a gentileza de mais esta sua colaboração neste nosso (do CVS) blog. Os seus trabalhos são sempre bem vindos.

07/12/2007

Não param de mexer na nossa carteira

Os indivíduos considerados CCCC – cidadão, contribuinte, consumidor, cliente – estão permanentemente a ser roubados, sem terem quem os defenda e sem poderem defender-se.

Já aqui se referiu a exploração dos bancos que, para terem elevados lucros, não têm escrúpulos que os impeçam de extorquir cada vez mais, a pretexto seja do que for.

Agora é a Entidade Reguladora dos Serviços de Energia (ERSE) que pretende fazer a conversão dos actuais contadores da luz para a telecontagem o que deverá avançar a partir de 2010. É uma medida lógica do ponto de vista de gestão económica das distribuidoras de energia que irá reduzir os custos com o pessoal encarregado da leitura dos contadores. Esta que outrora era mensal, agora passou a ser feita com intervalos de 4 meses, sendo a facturação bimensal. A telecontagem vai originar grandes economias à empresa, sendo de seu inteiro interesse implementá-la.

Mas, ilogicamente, a factura será paga pelos consumidores via tarifas de electricidade ao longo de 20 anos, a partir de 2010. Segundo a ERSE, este encargo vai agravar a factura em 3,1% no máximo a partir de 2015 entre o sexto e o décimo ano. Portanto, o consumidor (CCCC) vai pagar uma medida que apenas traz benefício à empresa, por lhe ocasionar poupanças em pessoal e trabalho administrativo. É inacreditável!!!

E os CCCC continuam indefesos, desprotegidos, porque o Governo, que era suposto zelar pelos seus direitos e garantias, assiste impávido e sereno à roubalheira sem tugir nem mugir. Porquê? Porque estão em jogo interesses de grandes empresas que serão generosas na compensação aos governantes que lhes forem dóceis, oferecendo-lhes tachos dourados quando deixarem a política activa.

Antes que se diga que este raciocínio é exagerado, convém fazer a lista dos tachos daqueles que passaram por altos cargos nos governos e em outras instituições políticas. Na realidade e em geral, a política constitui apenas uma etapa intermédia na corrida aos tachos em grandes empresas, com prioridade para as que têm algum capital público.

E, desta forma, os CCCC continuarão a ser explorados, porque todos os interesses estão contra eles e nada está a seu favor. Como dizia o humorista Camilo de Oliveira, «toma que é democrático»!!!

04/12/2007

Histórias académicas

No tempo em que os estudantes ainda tinham alguma piada, corria a década de sessenta do século passado, contava-se como verídica uma autêntica anedota ocorrida num exame oral na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.
Segundo a “estória”, o examinador, troçando do aluno que se estendia ao comprido, como se costumava dizer, disse-lhe:
— Estou a ver que o senhor não vai conseguir passar o Rubicão.
O aluno olhou-o com o ar aparvalhado de quem não percebera patavina do que acabara de ouvir. Notando a atrapalhação do examinando, o professor perguntou-lhe:
— O senhor sabe o que é o Rubicão?
Aí o aluno recompôs-se e respondeu sem hesitações.
— Eu não sei o que é o Rubicão, mas calculo que um rubicahorro seja um Rubicão pequenino.
Resposta esta que, segundo reza esta história, convenceu o professor a passar o aluno, por lhe reconhecer a presença de espírito, o desembaraço e a capacidade de improvisação tão necessárias em advocacia.

Notícias do PREC

Manuel António Pina, JN

Portugal, cliente habitual dos últimos lugares das estatísticas europeias, aparece finalmente no primeiro lugar de uma delas.

Segundo dados revelados pelo Eurostat, somos o país da UE onde o desemprego mais cresceu no último ano, e estamos já no pódio dos países com mais desempregados (neste momento só a Eslováquia e a Polónia nos batem, mas nós ainda teremos o mesmo Governo durante mais dois anos).

De facto, enquanto na UE, entre Outubro de 2006 e Outubro de 2007, a taxa média de desemprego desceu de 7,8% para 7,2%, em Portugal subiu de 7,8% para 8,2%. Claro que pode acontecer que o Eurostat esteja dominado por sindicalistas da Função Pública apostados em denegrir o sucesso do PREC (Processo de Reformas em Curso) e das políticas sociais do Governo e desmentir a "estabilização dos números do desemprego" anunciada pelo ministro Vieira da Silva.

De qualquer modo, como disse Sócrates durante a campanha eleitoral que o levou ao Governo (quando a taxa de desemprego ia em 7,1%, um "número trágico"), "7,1% de desempregados é bem a marca de uma governação falhada, de uma economia mal conduzida". Já 8,2% é, nenhum português duvida hoje disso (basta andar na rua ou ir ao supermercado), a marca de uma governação de sucesso e de uma economia bem conduzida.

NOTA: Um curto texto, com muita perspicácia que enfatiza vários aspectos da incapacidade dos governantes e da sua propaganda entorpecedora das mentes menos atentas.

20/11/2007

A alma humana

Como eu gostaria de saber algo sobre a alma humana. se pudesse vê-la?
Será que tem forma, peso, cor, cheiro, ou, por outro lado, é uma espécie de ar denso que se mantém nas nossas mãos, que não pesa, que não tem cor, nem cheira a flores, que sobe se lhe dermos um jeitinho para cima com as nossas mãos que são reais, que pesam, que abrem e fecham com força, que cheiram a perfume se quisermos e que voltam a receber a alma que desce de novo com leveza? há tanta coisa que eu gostava de saber e não sei.

Hei-de voltar a este tema que me fascina. Digo, porém, que o homem é a coroa da criação e que se distingue dos outros animais pela sua posição vertical porque fala e porque raciocina. o corpo é o invólucro da alma e do espírito que nos foi dado para ser enobrecido por nós que o usamos e devemos tratar com cuidado para que seja saudável.

Transcrito do blog Pensamentos e divagações, publicado por Adelaide Quintas

18/11/2007

Luz - Poesia de José Amaral

LUZ

Naquele quintal,
encavalitado entre as casas
De uma aldeia beirã,
há dois diospireiros.

O verde das folhas
há muito
que se tornou avermelhado
e caiu.

Agora o alaranjado
Dos diospiros
Ilumina
- como o sol –
aquele pobre e triste aldeia
de gentes velhas,
trajadas de negro.

NOTA. Transcrito do livro «Outonalidades» de José Amaral, amigo bloguista do ad litteram , a quem felicito pela sua obra literária já constante em três livros e outro textos publicados.
Além de um retrato da sociedade de uma aldeia do interior desprezado do nosso País, este poema constitui uma imagem interessante do Outono, das ressonâncias luminosas da cor predominante desta estação – símbolo da beleza do amadurecimento em que é enfatizada a sabedoria acumulada durante uma existência. Nesta região beirã, os vinhedos e pomares apresentam-nos, à luz do dia e ao entardecer, os reflexos barrocos do ouro enriquecedor da Natureza.
Mas, por outro lado, caro Amaral, a perfeita integração da cor do diospiro na ambiência das folhas laranja faz pensar também na obediência incondicional e acomodada do funcionalismo público, em que as ameaças do género da que vitimou o professor Charrua são uma constante, mais ou menos velada, a ter em conta, as quais constituem um travão à inovação e à produtividade voluntariosa.
Tudo nas realidades da vida pode suscitar reflexões do tipo «prós e contras».

15/11/2007

EUTANÁSIA INFANTIL




Gosto de coleccionar coisas – bonecas, mochos, miniaturas de perfumes e bebidas, postais ilustrados (tenho uns milhares) – e mais não digo para não me chamarem louca !
E gosto de coleccionar artigos, crónicas, entrevistas, que de um modo ou outro, chamaram especialmente a minha atenção.
Numa revisão a estes escritos deparei-me com uma entrevista que me tocou particularmente. Foi feita há 2 anos por uma conceituada revista, a um médico italiano a quem apelidaram de Dr. Morte.
Transcrevo aqui uns pequenos excertos.

(…) o Vaticano acusa-o de ser como os nazis. É o médico mais controverso do momento. Nos últimos três anos ajudou quatro bebés a morrer. Para ele, a eutanásia infantil não é um pecado, é um acto de misericórdia

- Seria capaz de terminar com a vida de um dos seus filhos?
- Nunca o faria pela minha própria mão. Nesse momento seria um pai e não um médico. Acho que no caso de estar perante essa situação tão difícil – quando não há cura possível, nenhuma esperança – iria querer que o meu filho sofresse o menos possível.
- Qual foi a experiência de eutanásia mais forte que teve?
Houve um caso que mudou a minha visão pessoal. Era um recém-nascido com uma doença de pele muito rara. Bastava tocar-lhe para a pele sair. Quando tivemos a certeza absoluta do prognóstico, falamos com os pais. Passado um tempo os pais vieram pedir-nos para acabarmos com a vida do filho.
- O que sentiu nessa altura?
- Foi chocante. Quem quer acabar com a vida de uma criança? Por outro lado, conhecendo tão bem aquele recém-nascido e sabendo como não conseguiríamos reduzir-lhe o sofrimento, entendemos o problema dos pais. (…)

É um tema assustador. Adoro crianças. Por bebés tenho verdadeira paixão. Não consigo imaginar-me a ter que tomar uma tal decisão. Já me vi na situação de pedir a Deus que terminasse com o sofrimento de um ente muito querido – o meu Pai. Em fase terminal de um cancro, mantive-o em minha casa até ao final. Acompanhei-o dia e noite. O sofrimento era, por vezes, insuportável. Como não desejar que tal martírio terminasse ?

Senti, na carne, o que é pensar – antes a morte! Mas…eutanásia infantil…é um problema muito sério.

Como encarar um médico que tem a coragem de a praticar?

Vamos todos pensar nisso ?

Mariazita, Outubro 2007
*
***
*
Nota: Por dificuldades de acesso ao Mail do SAPO só hoje consegui abrir a mensagem da autora. De qualquer forma, quero apresentar-lhe o meu pedido de desculpa pelo atraso.
Fernando Vouga

05/11/2007

Um Casal Verdadeiramente Amoroso

Um homem e a sua esposa estavam de férias em Jerusalém. No decorrer da estadia, a mulher faleceu. O agente funerário local informou o marido de que poderia trasladar o corpo da mulher para o país de origem por 5.000€, ou poderia enterrá-la lá na Terra Santa por apenas 150€.

O homem reflectiu e respondeu-lhe que queria transferir o corpo da mulher para a cidade deles.

O agente funerário, muito surpreendido, perguntou-lhe: "...Porquê gastar 5.000€ para transferir o corpo da sua esposa para a sua cidade se pode enterrá-la aqui apenas por 150€ e ainda por cima numa cidade sagrada?!"

Então aí, o homem explicou-lhe: "Há mais de 2.000 anos, um homem morreu aqui, foi enterrado aqui e três dias depois ressuscitou. Eu não quero correr esse risco..."

03/11/2007

Deus, o Diabo e o PS

A CRIAÇÃO

E Deus disse: "Que cresça a erva, que a erva dê semente, que da semente cresçam árvores e dêem frutos". Deus povoou a Terra com brócolos, couve-flor, espinafre, milho e vegetais de todas as espécies, para que o Homem e a Mulher pudessem viver longas e saudáveis vidas.

E Satanás criou o McDonald's e a promoção de dois Big Macs a cinco reais. E Satanás disse ao Homem: Queres as batatas fritas com quê?" E o homem disse: "Na promoção, com Coca-cola, quetchup e mostarda". E o Homem engordou cinco quilos.

E Deus criou o iogurte saudável, para que a Mulher pudesse manter a forma esbelta de que o Homem tanto gostava.

E Satanás criou o chocolate. E a Mulher engordou cinco quilos.

E Deus disse: "Experimentem as minhas saladas".

E Satanás criou os pratos de bacalhau com creme e marisco. E a Mulher engordou 10kg.

E Deus disse: "Enviei-vos bons e saudáveis vegetais e o azeite para que vos possam cozinhar".

E Satanás inventou a gordura hidrogenada, a galinha frita e o peixe frito. E o Homem ganhou dez quilos e os níveis de colesterol bateram no teto.

E Deus criou os sapatos de corrida, e o Homem perdeu aqueles quilos extras.

E Satanás criou a televisão a cabo com controle remoto para que o homem não tivesse de se levantar para mudar de canal. E o Homem ganhou mais vinte quilos.

E Deus disse: "Estás passando dos limites".

E Satanás criou o ataque cardíaco.

E Deus criou a intervenção cirúrgica cardíaca.

E Satanás criou o sistema de Segurança Social...

Mas Deus deu ao homem os convénios... e a aposentadoria para que ele pudesse descansar, dando-lhe nova chance...

Aí Satanás criou o Partido Socialista

Então Deus desistiu....

Mensagens de Shakespeare

Eu aprendi que:
- A melhor sala de aula do mundo está aos pés de uma pessoa mais velha.
- Quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.
- Ter uma criança adormecida em seus braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo.
- Só se deve dar conselho em duas ocasiões: Quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte..
- Eu sempre posso rezar por alguém quando não posso ajudá-lo de alguma forma.
- Não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto.
- Dinheiro não compra “classe”.
- São os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espectacular.
- Debaixo da “casca grossa” existe uma pessoa que deseja ser apreciada e amada, e não sabe se manifestar.
- Se Deus não fez tudo num só dia, o que me faz pensar que eu possa?
- Ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa.
- Eu gostaria de ter dito a minha mãe que a amava, uma vez mais, antes dela morrer.
- As oportunidades nunca são perdidas, alguém vai aproveitar as que você perdeu.
- Um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência.
- Quando você planeja se nivelar com alguém, apenas está permitindo que essa pessoa continue a magoar você.

02/11/2007

Ministério genial!!!

O MAI está a estudar uma ideia de colocar no pára-brisas dos carros um dístico de cor que denuncie se o condutor é seguro ou perigoso. Se teve acidentes ou não. Ideia maravilhosa de um ministério que já resolveu tudo o que é essencial para a felicidade dos cidadãos e agora se preocupa com pormenores conducentes ao aumento da segurança nas estradas!!!

Uns génios extraordinariamente inteligentes e realistas!!! É preciso que criem também dísticos para denunciar os carros que transportam casais de namorados mais preocupados com as meiguices do que com a segurança deles e dos outros utentes da estrada. Também um dístico para dizer que o condutor esteve na discoteca até às seis da manhã, outro para o que matou a sede com uma conhecida marca de uísque, ou que se tranquilizou com determinado estupefaciente, etc, etc.

Seriam apenas uns dísticos a juntar ao do seguro (que é totalmente inútil, visto que só a BT-GNR acaba por detectar os carros sem seguro, em grandes quantidades), ao das inspecções periódicas, ao do imposto de circulação. São inúteis mas ornamentam os pára-brisas!!!

APENAS me permito sugerir aos responsáveis do MAI que não imponham dísticos em quantidade tão exagerada que impeçam o condutor de dispor de um pequeno rectângulo livre no vidro de modo a poder conduzir com a segurança suficiente para não saírem da estrada. Mesmo sem esses adesivos já há despistes que sobram!!!

Com medidas deste calibre, podemos estar descansados porque temos gente inteligente e sensata a velar por nós!!!

01/11/2007

Medicamento de octogenária

Dona Berta tinha 80 anos. O médico que a tratara por quase toda a sua vida havia se aposentado e fora substituído por outro.
Na consulta seguinte, o novo médico pediu para Dona Berta levar a lista dos medicamentos que lhe haviam sido receitados.
Quando o jovem médico revisava a lista, engasgou.
- Dona Berta, sabe que estas são pílulas anticoncepcionais?
- Sim doutor, elas me ajudam a dormir.
- Dona Berta, lhe afirmo que não há absolutamente nada nestas pílulas que façam uma pessoa dormir!
A velhinha deu um sorriso e disse:
- Sim, eu sei. Mas todas as manhãs dissolvo uma pílula no sumo de laranja da minha neta de 16 anos e assim durmo bem todas as noites...

A verdadeira amizade

A verdadeira Amizade pode considerar-se um sentimento vivo e muito doce. Assim sendo, contribui com muita força para tornar a vida feliz e venturosa. Jules Simom, com belas palavras, diz que essa amizade quase sempre nasce de uma conformidade de gostos e sentimentos e não aproxima senão as almas honestas. Além da estima que a verdadeira amizade comporta, há também o respeito. Nas fraquezas da intimidade é preciso que se sinta também a presença e a dignidade da virtude.


Adelaide, extraído do blog Maqira, cuja visita aconselhamos

28/10/2007

A bondade

Extraído do blog Maquira,

Assim como as plantas, as aves, o céu, as nuvens, os mares, os rios, as montanhas, são belezas que nos transmitem felicidade e alegria e, consequentemente, a saúde do corpo e da mente, também as virtudes como a bondade, a compaixão e o amor pelo próximo são qualidades humanas que todos deveríamos possuir para nosso próprio bem e do nosso próximo.

Tomemos como exemplo a bondade que há muitos muitos anos atrás, os nossos antepassados, com a sua simplicidade, diziam: «a bondade consiste: primeiro, não fazer mal aos nossos semelhantes; segundo, fazer-lhes todo o bem possível».

A verdadeira bondade consiste na inclinação para amar os nossos semelhantes, desculpar os seus defeitos, interpretar as suas acções de modo mais favorável, fazer-lhes bem mesmo que não sejamos retribuidos. Eis o que caracteriza os homens bons. Será que os homens e as mulheres dos nossos dias poderiam tornar-se bons, sérios, leais, cumpridores e amantes do seu próximo?

Como seria então este nosso Mundo?

Adelaide

Definições sábias

Extraido de comentário ao post Apoio a jovem em dificuldade
Por maravilhosa coincidência recebi agora este texto muito adequado ao tema do post

DEFICIÊNCIAS
Mário Quintana

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.
'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
'Paralítico' é quem não consegue andar na direcção daqueles que precisam de sua ajuda.
'Diabético' é quem não consegue ser doce.
'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
' A amizade é um amor que nunca morre.

Uma solução

Um homem depara-se com um enterro, seguido de uma inusitada procissão:
Primeiro vinha um caixão.
Depois um segundo caixão.
Em seguida, um homem sozinho levando um “pitbull” pela coleira.
Finalmente, atrás dele, uma longa fila indiana só de homens.
Sem conseguir conter a curiosidade, aproxima-se delicadamente do homem com o cão e diz:
- “Os meus sentimentos pela sua perda…mas…eu nunca vi um enterro assim. O senhor poderia dizer-me quem é que morreu?”
- “Bem… no primeiro caixão está a minha mulher”.
- “Sinto muitíssimo! O que aconteceu com ela?”
- “O meu cão… ele atacou-a…”
- “Que tragédia! …
- “E o segundo caixão?”
- “A minha sogra…ela tentou salvar a filha”…
Um silêncio consternado e pungente.
Os dois homens olham-se nos olhos.
- “Empresta-me o cão?”
- “Meta-se na fila…”

25/10/2007

Amor e Mar - Soneto

AMOR E MAR - Soneto, extraído do blog Brizíssima, onde os apreciadores de poesia podem navegar ao encontro de mares bonançosos

Mordemos o tempo em beijos de vento
Sorvemos as horas em sal diluídas
Trocámos promessas num mar sem alento
Despidos do mundo, gaivotas perdidas

A brisa soprou doçura e ciúme
A chuva caíu sobre nós, indiferente,
E os dois abraçados bem alto, no cume,
Vivemos a sós este amor imprudente

De corpos unidos, corais em paixão,
Gritámos saudade, amor, solidão,
Num marulhar sem mácula nem vício

Na noite escura de estrelas sombrias
Acendeu o nosso amor mil fantasias
Rasgando o céu em fogos de artifício!!!

publicado por brizissima

Estatísticas do ministro versus insegurança

Apesar do MAI ter dito que, segundo as estatísticas, há menos criminalidade e menos insegurança, as notícias que aparecem com títulos garrafais dão-nos uma noção contrária. Já deixei de ler as «pequenas» notícias das páginas policiais mas, apesar disso, não posso ficar indiferente ao grau elevado de violência que as grandes noticias nos dão assim como os desabafos que se ouvem às pessoas nos transportes públicos e nas conversas das filas de espera.

Hoje trazem ênfase fora do comum duas notícias. Uma diz que três homens encapuzados e empunhando machados assaltaram ontem de manhã uma ourivesaria na zona turística do Funchal. Ameaçaram a empregada e, "em menos de um minuto, destruíram os mostruários à machadada e levaram várias dezenas de relógios e jóias", sendo o roubo avaliado em "mais de 500 mil euros", além dos estragos.

A outra notícia refere que em poucos dias, Alcochete foi varrida por uma onda de assaltos a residências que fora do normal para a região. No espaço de cinco dias (desde sexta-feira) foram praticados cinco assaltos. Foi considerado qye, "dado o modus operandi, tudo aponta para um grupo que teve a preocupação de fazer o reconhecimento prévio dos locais, para saber se estava alguém em casa". Portanto não se trata de roubos ocasionais.

22/10/2007

Fogos florestais. Propaganda e desleixo???

Um senhor secretário de Estado que tutela a protecção civil e os bombeiros, ao encerrar a fase charlie de combate aos fogos florestais, disse que, «entre os dias 1 de Julho e 30 de Setembro - os meses de maior risco - a área ardida foi significativamente menor do que em 2006, com 16.605 hectares ardidos até ao momento contra os 75.335 hectares ardidos no ano passado».E atribuiu este êxito a:
- «um aumento da área intervencionada»,
- uma melhor articulação dos sapadores florestais e a
- uma melhor vigilância da GNR.
Tudo isto era apontado como mérito do Governo e, portanto, da sua Secretaria de Estado.

Na ocasião, no post aqui colocado, Não há senso!, considerei que era preciso desplante, para não dizer arrogância insensata querer que os portugueses esquecessem as diferenças meteorológicas entre o verão de 2006 e o de 2007, tendo este sido menos quente, mais húmido e com vários períodos chuvosos. Dizia que o mérito coube não ao Governo, mas sim à «não comparência» dos fogos por virtude de S. Pedro.

Hoje os jornais, a propósito dos fogos no Parque Nacional da Peneda-Gerês, dizem que, enquanto em todo o Outubro de 2006 houve 423 fogos florestais, este ano, apenas desde um a 20 de Outubro, já houve 1670 fogos, o que é quatro vezes mais. Usando a estatística como os governantes gostam de fazer, como este número resulta da comparação de dois terços do actual mês com todo o mês do ano passado, significa que comparando os meses inteiros de Outubro dos dois anos, no corrente, haverá seis vezes mais fogos do que em 2006.

Isto faz pensar que ou o Sr. secretário de Estado quis fazer falsa propaganda, sem senso, e ofuscar a nossa ingénua visão, ou ele foi de férias acompanhado daqueles três factores, que incluem os sapadores florestais e a GNR, deixando negligentemente Portugal entregue à sorte.

Não há senso, quando, por intenção se oculta o principal factor de um fenómeno complexo. E digo intenção, para não dizer ignorância ou incompetência, porque isso poderia ser considerado ofensivo, enquanto que a intenção, mesmo que má, estava «politicamente correcta». Estava dentro do hábito de atirar poeira para os olhos menos atentos.

18/10/2007

Uso insensato da estatística

Transcrição do seguinte artigo, do «Globalnottícias» de 18Out2007

Estatística não gosta de Alicínio
Por: Rafael Barbosa

Alicínio, 60 anos, vive na aldeia de Redondelo, em Valpaços, Trás-os-Montes. É homem de poucas posses, aspecto franzino e doente. Vive sozinho e sobrevive com cerca de 400 euros. Levantara aliás a pensão no dia anterior. Estava em casa a dormir. Acordou quando o sangue já lhe escorria pelo corpo.

Como se não fosse violência suficiente deixar um homem sem o dinheiro que lhe garante a sobrevivência, o jagunço que lhe entrou em casa esfaqueou-o e espancou-o selvaticamente. A população de Redondelo ficou chocada, mais do que com o assalto, com a violência usada. Mas Alicínio e a população de Redondelo pouco contam para quem pode e manda. O que conta é a estatística. E segundo a estatística, que o ministro Rui Pereira gosta de citar, a criminalidade está a descer. Alguém tem de explicar isso a Alicínio.

NOTA: Os senhores políticos deviam ter mais senso ao falar de estatísticas em problemas de pessoas. As estatísticas são úteis para efeitos de estudo, planeamento e controlo, mas não para argumentar com as pessoas que, logicamente, sentem o seu caso pessoal com subida importância. Para referir um exemplo clássico, será doloroso o Sr a que, num restaurante, «almoça» um croquete e um copo de água, enquanto o outro cliente presente come um frango de churrasco com meia garrafa de vinho, dizer-lhe que estatisticamente cada um comeu meio frango de churrasco. O Sr. ministro seria capaz de dizer frontalmente ao Sr. A essa estatística? Imagina qual seria a reacção desse cidadão?
Por favor senhores políticos, deixem de considerar parvos todos os cidadãos. É certo que alguns poderão sê-lo. Mas, apesar de tudo o que se diz, poucos cidadãos estão na política.

17/10/2007

A fome das crianças

No Dia Mundial da Fome, é oportuno meditar sobre as condições de vida das crianças em muitos locais do globo.
Agradeço à Amiga Adelaide esta poesia, cheia de sensibilidde.

O Anjo da Guarda dos meninos


Por onde tendes andado que não os guardais,
deixais que comam lixo porque têm fome!
que sejam abandonados por estradas silenciosas,
sozinhos, tristes, a chorar, sem compreender...
O que foi feito do amor dos pais que tanto amavam
porque os deixaram sozinhos no meio da natureza!

É este o mundo em que vivemos??? não...
este mundo é belo cheio de cor, de flores,
do verde dos arvoredos, dos pássaros que cortam os céus,
do branco que escorre lentamente nos oceanos,
do amarelo do sol, das noites de luar...

E os meninos porque sofrem assim???
porque não têm o direito de admirar a natureza
com olhos felizes, porque têm fome e estão sós
e é no lixo que encontram algo sujo e podre...
que à falta do melhor lhes engana a fome???

Por onde andais vós anjos dos meninos
porque também vós os abandonais!!!
Porque sois negligentes e distraídos???
Pobres pequeninos inocentes
que não sabem defender-se nem dos humanos,
bandidos, sem rumo que os atacam sem prumo...
e se esquecem que são meninos!!!

Meu Deus chamai os anjos e perguntai-lhes
porque também eles abandonam o que há de mais belo
nesta natureza que tu criaste para nosso deleite???

Adelaide

16/10/2007

Uma linda rosa

Queridos amigos sempre jovens,
Estou enviando esta bela rosa para que os meus amigos seniores, jovens como eu, "entreguem" às Esposas com os meus cumprimentos. Coisas belas rejuvesnecem-nos por dentro. E o que é que todos nós queremos nesta fase das nossas vidas?.......REJUVENESCER
Um grande beijo para todos os amigos e suas queridas esposas.
MILAI

AS PALAVRAS - Soneto

Soltam-se as palavras e, como asas,
sobem ao alto, descem-me aos infernos
tantas vezes queimando como brasas
quantas moldando desvarios eternos

Obrigam-me a dizer o que não queria
sugerem-me a mentir o que não sinto
arrancam solidão que me agonia
desnudam lucidez a que me afinco

Ah, se eu pudesse decifrar a sós
o inquietante tom da minha voz;
tanta coisa em mim se esquiva e esfuma...

Como se o grito afugentasse os medos
ancorasse feroz os meus segredos
no seio do meu búzio azul e espuma.

15/10/2007

O "pensamento" de uma planta

Depois de ler um título destes como podia eu passar adiante? Todos sabemos que as plantas têm vida e sabem distinguir o bom e o mau. Pois é verdade, há uma planta que pensa embora pareça um mistério. Tem um aspecto sem beleza, cresce nas florestas húmidas, nos lenhos e arrasta-se de lugar para lugar. Conhece a matéria animal porque dela come pequenas partículas. Parece que pensa pois é capaz de distinguir o que é alimento próprio para ela e o que para ela não serve de alimento. Mais ainda, é capaz de distinguir as plantas femininas da sua espécie.

O autor que falou sobre este assunto que muito excitou a minha curiosidade, H. Thomas, diz também que esta planta curiosa pensa e dorme. Como o trevo que à noite dobra as suas folhas e parece que vai dormir....A ciência tem procurado descobrir esta característica das plantas mas sem resultado. As plantas que torcem suas gavinhas é porque pensam que têm de se agarrar para se proteger. Há uma outra planta que se chama planta do Chile que é capaz, incrível, de dar uma volta completa em torno de uma árvore numa hora e quinze minutos. Há plantas que mostram características de animais superiores. Se se sentem importunadas procuram o meio correcto e só quando o encontram fazem algo para se livrarem da situação. Os antigos poetas diziam que as arvores " suspiram pela luz"e que as flores "languesciam" de amor.

Obrigada H. Thomas por este tema maravilhoso que colocaste defronte dos meus olhos.
Adelaide
Obrigado a esta nossa Amiga e colega do clube Virtual de Seniores por esta colaboração

14/10/2007

Gestão por objectivos !!!

Era uma vez uma aldeia onde viviam dois homens que tinham o mesmo nome: Joaquim Gonçalves.
Um era sacerdote e o outro, taxista.
Quis o destino que morressem no mesmo dia.
Quando chegaram ao céu, São Pedro esperava-os.

O teu nome? Joaquim Gonçalves.
És o sacerdote? Não, o taxista.
São Pedro consulta as suas notas e diz:
Bom, ganhaste o paraíso. Levas esta túnica com fios de ouro e este troféu de platina com incrustações de rubis. Podes entrar.

O teu nome? Joaquim Gonçalves.
És o sacerdote? Sim, sou eu mesmo.
Muito bem, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e este troféu de ferro.
O sacerdote diz:
Desculpe, mas deve haver engano. Eu sou o Joaquim Gonçalves, o sacerdote!
Sim, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e...
Não pode ser! Eu conheço o outro senhor. Era taxista, vivia na minha aldeia e era um desastre!
Subia os passeios, batia com o carro todos os dias, conduzia pessimamente e assustava as pessoas. Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais. E quanto a mim, passei 75 anos pregando todos os domingos na paróquia. Como é que ele recebe a túnica com fios de ouro e eu... isto? ?
Não é nenhum engano - diz São Pedro.
Aqui no céu, estamos a fazer uma gestão mais profissional, como a que vocês fazem lá na Terra.
Não entendo!
Eu explico.
Agora orientamo-nos por objectivos. É assim: durante os últimos anos, cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam. E cada vez que ele conduzia o táxi, as pessoas começavam a rezar. Resultados !!! Percebeste? Gestão por Objectivos!

Autor desconhecido. Recebido por e-mail

13/10/2007

O Outono humano

Dois idosos «reformadíssimos» que tinham na vida activa ocupado cargos de grande importância e visibilidade e que costumavam encontrar-se em visitas a museus, em pesquisas em bibliotecas e na assistência de espectáculos culturais de elevado nível, cruzam-se numa rua central da capital.

- Olá caro amigo, ainda bem que o encontro e aproveito esta oportunidade para me despedir de si, porque amanhã parto para a minha aldeia natal, Vila Nova de Tázem, no coração da Beira Alta, onde vou passar os últimos tempos da vida.

- Oh meu amigo, não quero acreditar. O senhor habituado à frequência do S. Carlos, aos concertos na Gulbenkian, à visitas aos museus, etc, etc, não vai conseguir viver na pasmaceira da aldeia sem os seus passatempos favoritos e o seu alimento cultural. E para mais, vai sentir a falta do apoio de saúde de que aqui na capital dispõe, de uma maneira ou de outra, e de que na nossa idade não podemos estar afastados.

-Tem muita razão naquilo que me diz. Pensei nisso tudo. Mas, sabe, estou numa idade em que me pode dar uma indisposição e cair para o lado em plena rua. Se isso me acontecer aqui na capital, embora haja bons apoios de saúde, as pessoas passam ao lado e dizem «lá está mais um velho bêbado a curar a bebedeira» e nem pensam em chamar o INEM. Mas se for na minha terra, onde faltam os mínimos apoios de saúde, e em tal caso não haja socorro possível, nos minutos antes de morrer, posso ouvir as palavras dos meus conterrâneos «pobre do senhor Nogueira, era tão boa pessoa e chegou a sua hora». E nada paga, o prazer de, em tal hora, ouvir o nosso nome e palavras de amizade e consideração. Por isso, meu amigo, decidi ir para lá.

Certificado de amizade

Diga isto, com sinceridade, a cada um dos seus amigos:

Se eu pudesse…oferecia-te um castelo e compartilharia contigo a sua beleza e a sua imponência.
Se eu pudesse...oferecia-te uma montanha, que pudesses considerar como tua propriedade.
Um lugar onde se encontra calma, um lugar onde se está em paz.
Se eu pudesse…ficava com todos os teus problemas e deitava-os ao mar.

Mas tudo isto é impossível para mim:
Não posso comprar-te um castelo, uma montanha, ou ficar com todos os teus problemas...

Deixa-me apenas ser o que, sim, posso ser:
Um Amigo, que estará sempre presente quando precisares.

De autor desconhecido. Recebido por e-mail em formato pps

12/10/2007

Amor sem restrições

O colar de turquesas azuis
O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída enquanto uma garotinha se aproximava da loja. Ela amassou o narizinho contra o vidro da vitrine. Os seus olhos da cor do céu brilharam quando viu determinado objecto.

Ela entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesas azuis, então disse ao balconista:
"É para minha irmã, você pode fazer um pacote bem bonito ?"

O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou:
"Quanto dinheiro você tem ?"
Sem hesitar ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e disse:
"Isso dá, não dá ?"

Era apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
" Sabe ", continuou, "eu quero dar este presente para minha irmã mais velha. Desde que nossa mãe morreu ela cuida de mim e não tem tempo para ela. Hoje é aniversário dela e tenho certeza que ela ficará feliz com o colar que é a cor dos olhos dela".
O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita azul.
"Tome", disse para a garotinha, "Leve com cuidado.” Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo.

Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou na loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e interrogou?
"Este colar foi comprado aqui ?"
"Sim senhora", respondeu o dono da loja.
"E quanto custou ?"
"Ah!", falou o lojista "o preço de qualquer objecto em minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente."

"Mas minha irmã tinha somente algumas moedas. E este colar é verdadeiro, não é ? Ela não teria dinheiro para pagar por ele".
O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e devolveu à jovem dizendo: "Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. Ela deu tudo que tinha".

O silêncio encheu a pequena loja e lágrimas rolaram pela face da jovem enquanto suas mãos tomavam o embrulho.

A verdadeira doação é dar-se por inteiro, sem restrições

Eu pedi a Deus todas as coisas que me fariam apreciar a vida.
Deus disse: Não. Eu te darei a vida, para que você aprecie todas as coisas.

Eu pedi a Deus para me ajudar a AMAR os outros, como Ele me ama.
Deus disse: .... Ahhhh, finalmente você entendeu a ideia..

Para o mundo você pode ser uma pessoa, mas para uma pessoa você pode ser o mundo

Não julgue para não ser julgado. Entenda o que ocorre.

Autor desconhecido. recebido por e-mail,

11/10/2007

Quadra brejeira



Fui a Roma ver o Papa,

Mas fui atrás das beldades.

Vi as pernas ao Petrónio,

Só não vi o Quo Vadis.

Autor desconhecido

10/10/2007

Sobre o dinheiro

O dinheiro pode comprar uma casa, mas não um lar.
O dinheiro pode comprar um relógio, mas não o tempo.
O dinheiro pode comprar uma cama, mas não o sono.
O dinheiro pode comprar um livro, mas não o conhecimento.
O dinheiro pode pagar um médico, mas não a saúde.
O dinheiro pode comprar um posto, mas não o respeito.
O dinheiro pode comprar o sangue, mas não a vida.
O dinheiro pode comprar sexo, mas não o amor.

Autor desconhecido

NOTA: O dinheiro é útil, mas não é tudo na vida, como, por experiência sabem todos os «sempre jovens» do «Clube Virtual de Seniores». É uma ideia a passar aos menos seniores.

08/10/2007

O bem maior

Não existe maior bem do que fazer a felicidade de alguém.
Nem nada menos caro, nem mais fácil, pois que a felicidade é algo que se pode oferecer em gestos, e atenções.
Se olhamos à nossa volta, percebemos que a carência humana está no fato das pessoas terem perdido os valores imateriais a favor dos materiais.
Compra-se quase tudo em nossos dias...mas o bem ninguém compra.
Compra-se até companhia, mas não a sinceridade.
Compra-se conforto, mas não a paz de espírito, não a tranquilidade, menos ainda a felicidade. Esta a gente oferece.
Quando damos, estendemos a mão, mas quando oferecemos... é nosso coração que entregamos junto, é um pedacinho de nós que vai caminhando na direcção do outro e o bem que ele provoca retorna ao nosso interior.
Tornamos pessoas felizes quando damos de nós mesmos.
E damos de nós quando oferecemos o que quer que seja de coração escancarado.
O grande mal do mundo consiste no facto das pessoas guardarem coisas para si.
Guardam bens, guardam sentimentos, guardam declarações, guardam ressentimentos, falam ou calam na hora errada.
Vivem de aparências com as gavetas da alma repletas de coisas inúteis.
E quando morrem, tornam-se pó, como todo mundo, sem ter aproveitado o tempo para compartilhar, com honestidade, o bem que a vida lhes ofereceu.
A maior herança que podemos deixar à humanidade é o amor que oferecemos de várias formas, são as pequenas felicidades do dia-a-dia que vamos distribuindo aqui e acolá, a compreensão que acalma as almas inquietas e a ternura que abranda os desenganos da vida.
E o que representa a felicidade hoje pode não representar amanhã.
Por isso ela é tão múltipla, tão incompreendida e tão necessária.
Por isso é tão importante distribuir sorrisos, plantar flores... fazer visitas, dar bom dia e boa noite, não se esquecer dos abraços, dos e-mails e dos ‘te amo’ imprescindíveis ao coração.

Autora: Letícia Thompson, Recebido por e-mail em formato pps.

06/10/2007

Frases irónicas, mas com interesse

Aprende estas frases para as teres sempre em consideração.

Nunca, nunca bebas quando conduzes. Podes derramar la cerveja.

A experiência é um pente que aparece quando ficaste calvo.

Vive todos e cada um dos dias como se fosse o último da tu vida. Um dia acertarás.

Das crianças no assento da frente podem resultar acidentes. Dos acidentes no assento traseiro podem resultar crianças.

Se não podes ajudar, prejudica. O importante é participar.

Se crês que o melhor caminho para chegar ao coração de um homem é pelo estômago, é melhor que saibas que estás apontando muito alto.

Si és capaz de sorrir quando tudo está errado, é porque já descubriste a quem atribuir toda a culpa.

Quem dá importância a pequenas coisas é esposa de japonês.

As mulheres são como piscinas: os seus custos de manutenção são muito elevados comparados com o tempo que passamos dentro de elas.

Por maior que seja o buraco em que caias, sorri. Todavia não há terra por cima.

Alguns chefes são como as nuvens. Quando desaparecem, o dia torna-se maravilhoso.

Errar é humano. Atribuir a culpa noutro é estratégico.

Os homens mentiriam muito menos se as mulheres não perguntassem tanto.

A mulher casa-se a pensar que ele um dia mudará. O homem casa-se a pensar que ela nunca mudará. Ambos se equivocam.

Todo o futuro depende dos teus sonhos. Não percas tempo, vai dormir!

As pessoas inteligentes estão sempre cheias de dúvidas... (Será verdade?)

Se tudo o que é bom e delicioso dura pouco, eu já deveria estar morto há muito tempo...

Autor desconhecido

Juventude é uma atitude

SER JOVEM

«A juventude não é um período da vida; é um estado de alma, um efeito da vontade, uma qualidade da imaginação, uma intensidade emotiva, uma vitória da coragem sobre a timidez, do gosto da aventura sobre o amor do conforto.

Não é velho aquele que viveu um certo número de anos, mas é velho aquele que desertou do ideal. Os anos enrugam a pele, mas o renunciar ao ideal enruga a alma. A preocupações, as dúvidas, os temores e os desesperos são os inimigos que, lentamente, nos fazem inclinar para a terra e tornar-nos poeira, ante da morte.

Jovem é aquele que se admira e maravilha. Interroga, como a criança insaciável: e depois? Desafia os acontecimentos e acha alegria no jogo da vida.

Tu és tão novo como a tua fé. Tão velho como as tuas dúvidas.

Tão novo como a tua confiança em ti próprio. Tão novo como a tua esperança. Tão velho como o teu desânimo.

Serás jovem enquanto sentires. Sentires o que é Belo, Bom e Grande. Sentires as mensagens da natureza, do homem e do infinito.

Se, um dia, o teu coração for mordido pelo pessimismo, e ruído pelo cinismo, DEUS tenha então, piedade da tua alma de velho.»

General Mac-Arthur,1945
Para reflexão e estímulo dos elementos do Clube Virtual de Seniores, os Sempre Jovens

Como reconhecer um AVC e actuar

Isto é muito importante e pode salvar a vida de uma pessoa !
Isto pode ser útil:

Durante um churrasco uma amiga tropeçou e caiu no chão suavemente.
Ela garantiu aos presentes que estava bem (aos que se ofereceram para chamar por socorro) e que havia tropeçado no ladrilho por causa dos seus sapatos novos.
Os seus amigos ajudaram-na a levantar-se e trouxeram-lhe um novo prato de comida, enquanto ela parecia um pouco aturdida, tentando desfrutar da festa durante o resto da tarde.
Mais tarde o marido ligou para os seus amigos informando-os que a sua mulher havia sido levada ao hospital onde veio a falecer. Havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) durante o churrasco.
Se o seu esposo e amigos soubessem como reconhecer um AVC, talvez hoje ela estivesse viva.

Reconhecer um AVC
Um neurologista afirma que se o chamarem dentro das primeiras 3 horas, os efeitos de um AVC podem ser revertidos totalmente. Afirma que é crucial diagnosticá-lo e prestar assistência ao paciente nas três horas subsequentes.

Lembre-se dos "3" Passos. Leia e aprenda!
Actualmente os médicos estabeleceram uma regra para reconhecê-lo mediante três simples perguntas:
1. Peça que a pessoa SORRIA.
2. Peça que a pessoa LEVANTE AMBOS OS BRAÇOS.
3. Peça que a pessoa PRONUNCIE UMA FRASE SIMPLES (Coerente)
(por exemplo . . . Hoje está um dia ensolarado)
Se ele ou ela apresentar dificuldades numa destas três questões, chame imediatamente o SOCORRO e descreva os sintomas.

Depois de descobrir que um grupo de voluntários que não são médicos podem identificar a debilidade facial, a debilidade motora dos braços e a debilidade na fala, os investigadores apelam ao público em geral para que aprenda estas três perguntas. Uma maior divulgação deste teste pode facilitar um rápido diagnóstico e tratamento do AVC e evitar danos cerebrais.
Um neurologista disse que se cada um de nós reenviar esta informação a 10 pessoas, pelo menos uma vida pode ser salva.

Seja amigo
e compartilhe este artigo
com o máximo de amigos possível,
poderá salvar vidas.

Foi recebido por e-mail. Autor desconhecido

04/10/2007

Seja Feliz... sempre!!!

Durante um seminário para casais, perguntaram à esposa:
- seu marido lhe faz feliz?
- ele lhe faz feliz de verdade?

Neste momento, o marido levantou seu pescoço, demonstrando segurança. Ele sabia que sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia reclamado de algo durante o casamento.

Todavia, sua esposa lhe respondeu com um "Não", bem redondo...

- Não, meu marido não me faz feliz.
Neste momento, o marido já procurava a porta de saída mais próxima.

- Ele não me "faz" feliz... Eu sou feliz.

O fato de eu ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim."
E continuou dizendo:

- Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade. Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida; pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância, sobre a face da terra, eu estaria com sérios problemas.

Tudo o que existe nesta vida muda frequentemente... O ser humano, as riquezas, meu corpo, o clima, meu chefe, os prazeres, etc. E assim poderia citar uma lista interminável. Às demais coisas eu chamo "experiências"; esqueço-me das experiências passageiras e vivo as que são eternas; amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar, consolar.

Lembro-me de viver de modo eterno.

Talvez seja por isso que quando alguém me faz perguntas como esta:
"Você é feliz no seu casamento?" ou "Você é feliz?", gosto de responder com apenas uma frase, como se esta fosse a conclusão de todo o seminário, como se esta fosse a chave de toda a felicidade, de todo matrimónio e de toda vida humana; gosto de responder com aquela velha e famosa frase que ainda não conseguimos compreender:

"A felicidade está centrada em mim".

Há pessoas que dizem:
"Hoje não posso ser feliz porque estou doente,
porque não tenho dinheiro,
porque faz muito calor,
porque alguém me insultou,
porque alguém deixou de me amar,
porque alguém não soube me dar valor..."

SEJA FELIZ ,
mesmo que faça calor,
mesmo que esteja doente,
mesmo que não tenha dinheiro,
mesmo que alguém tenha lhe machucado,
mesmo que alguém não lhe ame ou não lhe dê o devido valor.

SEJA FELIZ. Sempre!!!"

Recebido por e-mail. Autor desconhecido

03/10/2007

Cada um dá o que possui

Um rico resolve presentear um pobre por seu aniversário e, ironicamente, manda preparar uma bandeja cheia de lixo e sujeiras.
Na presença de todos, manda entregar o presente, que é recebido com alegria pelo aniversariante.
O aniversariante gentilmente agradece e pede que lhe aguarde um instante, pois gostaria de poder retribuir a gentileza.
Joga fora o lixo, lava a bandeja, enche-a de flores, e devolve-a com um cartão, onde diz:
"Cada um dá o que possui."

Lição a retirar:
Assim, não se entristeça com a "ignorância" das pessoas, não perca sua serenidade. A raiva faz mal à saúde, o rancor estraga o fígado e a mágoa envenena o coração.
Domine suas reacções emotivas.
Seja dono de si mesmo.
Não jogue lenha no fogo de seu aborrecimento.
Não perca sua calma.
Pense, antes de falar, e não ceda à sua impulsividade.
"Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra"

Recebido por e-mail em pps. Autor desconhecido

Manhã de Novembro

A estação do ano que, muito lentamente, se está despedindo deste lado do globo em que as minhas raízes foram criadas e se desenvolveram, como que em jeito de despedida, resolveu "brincar" com esta que se te dirige. Uma rajada de vento, por acaso não muito forte, o que achei simpático da parte do elemento, veio direita a mim juntamente com um pequeno pedaço de papel quadrado que, em movimentos graciosos mas apressados resolveu aterrar junto dos meus pés. Por curiosidade, peguei e olhei. Ali estava um poema, "Manhã de Novembro", sem autor, poema húmido e enevoado, triste, frio, com vento, com chuva... Como sabia o vento que me presenteou com este poema triste mas belo que eu tinha uma ligação forte com Novembro? E porque veio ter comigo em Março? É para mim um mistério como misteriosos são também os sonhos!

Começa assim:

Que manhã de Novembro triste e fria!
Gemia o vento...o chão todo molhado...
Era tudo cinzento enevoado,
naquela hora amarga em que eu partia...

O céu também chorava nesse dia...
a terra tinha o ar atribulado
de alguém que padecesse abandonado
na hora derradeira da agonia!

Meu Deus! Em tudo havia uma tristeza,
um desconforto enorme, uma frieza,
que doutra semelhante não me lembro!

Que mão secreta havia destinado
ficar meu coração amortalhado
nas brumas desse dia de Novembro?...

Autora: Adelaide Quintas, uma nossa colega e colaboradora muito criativa a quem já devemos muitos trabalhos, de grande sensibilidade. Mas atenção! Outono também muitas belezas, como se pode ver noutros posts aqui existentes!!!

02/10/2007

Idosos são «activo» válido

Segundo notícia do JN de hoje, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou para que 80% da população mundial continua privada de sistemas de protecção social na velhice e insistiu para que os governos adoptem medidas.

Afirmou que "enquanto os mais velhos foram vistos como uma carga para a sociedade, agora cada vez mais são reconhecidos como um 'activo' que pode e deve ser aproveitado".

Este alerta surgiu na data em que se assinala o Dia Internacional do Idoso.

Segundo a ONU, a proporção mundial de idosos poderá ultrapassar, em 2050, os 22%, o dobro da actual. Nos países em desenvolvimento, a percentagem poderá atingir os 80%.

Os «Sempre Jovens» são um exemplo de que a sabedoria acumulada ao longo da vida profissional são um ‘activo’ de alto valor que pode ser muito útil à sociedade, assim esta queira estruturar-se para aproveitar esse potencial de experiência em actividades de apoio à construção de um futuro mais feliz como, por exemplo, em regime de voluntariado na saúde, na cultura, no ensino, etc.

Sobre este tema sugere-se a visita aos posts seguintes:

Saber de experiência feito
Cuide dos seus idosos
Idosos vistos com humor
A velhice existe?
Quando envelhecer
Idosos ou velhos?

01/10/2007

Motes para reflexão

Qualquer destino, por mais longo e complicado que seja, vale apenas por um único momento:
aquele em que o homem compreende, de uma vez por todas, quem é.
Jorge Luís Borges

"Às vezes é preciso falar para se ser ouvido,
outras tem que se calar para ser apreciado."

Eis duas oportunidades para alinhar um pequeno comentário sobre cada um dos motes

Uma menina prodígio

Penso que esta encantadora história, verdadeira, se passou nos anos 60 do século passado. Chamava-se Tânia, a menina, e tinha só 4 aninhos. Pertencia à família Fédkine que, como era costume naquela época, recebia visitas para uma noite de convívio. A irmã de Tânia, Natacha, ia tocar nessa noite uma sonata de Beethoven. Estavam os convidados a ouvi-la com toda a atenção, quando a Tânia, aos gritos, disse:

«Não, não, estás a tocar mal!» Natacha, triste, perguntou: Que dizes?

Para espanto de todos os convidados, a Tânia, subiu para o tamborete e os seus pequenos dedinhos deslizaram suavemente pelo teclado. A sonata de Beethoven soou pela sala, perfeitamente tocada, espalhando-se pelos 4 cantos introduzindo-se suavemente e para seu deleite nos ouvidos dos convidados presentes.

A Tânia tinha uma memória musical espantosa e aprendera as notas somente em duas lições.
É certo que nascera no seio de uma família amante da música.

Em conclusão, depreende-se daqui que dons inatos são necessários para a realização de capacidades.

Li esta história que me emocionou num livro de Psicologia Recreativa de Platonov. Conforme o nome indica, este livro está cheio de eventos que prendem a atenção de qualquer leitor, visto tratar-se de uma psicologia descrita com mais leveza do que a Psicologia que não é Recreativa. Assim, apresenta uma leitura mais leve, mais simples e mais agradável. Agradável é tudo o que agrada. Se agrada transmite prazer. O prazer é bom, atrai o desejo de ler e ler alimenta a alma.

Autora: ADELAIDE

NOTA: Obrigada Milai por mais esta colaboração cultural para dar vida a este espaço. Esta história faz pensar na obra que está sendo levada a cabo por outra nossa colega do CVS, a escritora Alexandra Caracol que, há dias, lançou mais um livro. Ela desenvolve o ensino pré-natal através da música e apresenta como exemplo de sucesso a sua filha Débora que, apenas com 8 anos, domina o violino com mestria. Os meus cumprimentos às duas senhoras.

30/09/2007

Lição de perseverança

Alguém, pensando que eu estava a perder o entusiasmo com o CVS- Sempre Jovens, enviou-me este texto, que agradeço e trago aqui para conhecimento de todos os visitantes

Siga cantando

Já observou a atitude dos pássaros ante as adversidades?

Ficam dias e dias fazendo seu ninho, recolhendo materiais, às vezes trazidos de locais distantes...

... E quando já ele está pronto e estão preparados para pôr os ovos, as inclemências do tempo ou a acção do ser humano ou de algum animal destrói o que com tanto esforço se conseguiram.
O que faz o pássaro?
Pára, abandona a tarefa?
De maneira nenhuma. Começa, uma outra vez, até que no ninho apareçam os primeiros ovos.

Muitas vezes, antes que nasçam os filhotes, um animal, uma criança, uma tormenta,
volta a destruir o ninho, mas agora com seu precioso conteúdo...

Dói recomeçar do zero... Mas ainda assim o pássaro jamais emudece, nem retrocede, segue cantando e construindo, construindo e cantando...

Já sentiu que sua vida, seu trabalho, sua família, seus amigos não são o que você sonhou?
Tem vontade de dizer basta, não vale a pena o esforço, isto é demasiado para mim?

Você está cansado de recomeçar, do desgaste da luta diária, da confiança traída, das metas não alcançadas quando estava a ponto de conseguir?

Mesmo que a vida o golpeie mais uma vez, não se entregue nunca, faça uma oração, ponha sua esperança na frente e avance.
Não se preocupe se na batalha seja ferido, é esperado que algo assim aconteça.
Junte os pedaços de sua esperança, arme-a de novo e volte a ir em frente.

Não importa o que você passe...
Não desanime, siga adiante.
A vida é um desafio constante, mas vale a pena aceitá-lo. E sobretudo... Nunca deixe de cantar.

29/09/2007

Advogada «competente»

Quando Maurício descobriu que herdaria uma fortuna quando seu pai doente morresse, decidiu que precisava de uma mulher para virar sua grande companheira.
Assim, em uma noite ele foi para o bar da OAB carioca onde procurou a advogada mais bonita que já tinha visto.
Sua beleza natural tirava seu fôlego.
"Eu posso parecer um advogado comum," disse enquanto se aproximava da musa, "mas em cerca de um mês ou dois, meu pai vai morrer, e eu herdarei 20 milhões de dólares."
Impressionada, a mulher foi para a casa com ele naquela noite e, três dias depois, se tornou sua madrasta...

NOTA: recebida por e-mail da nossa colega de Clube, Maria Azevedo

O SOL DOS MEUS ENCANTOS




FOI ESTE SOL QUE ENTROU EM MIM
QUANDO ABRI A PERSIANA
AQUECEU-ME
CUROU-ME
EMPURROU A TRISTEZA, ENCHEU-ME DE ALEGRIA.
UM REMÉDIO TÃO SIMPLES
E EU NÃO SABIA...
Autora: Adelaide Quintas - elemento do CVS - Sempre Jovens

NOTA: Este post é uma transcrição do blog Pensamentos e divagações da autora.
Os meus parabéns à Amiga Milai, pela sua abertura às coisas que a podem tornar feliz e arremessar a tristeza para bem longe.
Mal aconselhados andam aqueles que calcorreiam o mundo da imaginação à procura da felicidade. Ela mora muito perto, de maneira muito simples, tímida e humilde, quase envergonhada. Ela está na simplicidade das coisas que nos cercam e a que nós, distraidamente, muitas vezes, viramos as costas sem nelas repararmos. É uma couve que teima em crescer num terraço, são as gaivotas que nos dizem bom-dia, é o aroma de uma planta que cresce num vaso e se nela repararmos nos retribui o carinho com o seu viço e o olor da sua fragrância é uma imensidão de coisas belas que nos podem dispor bem se descermos até elas de forma a poder haver diálogo, trocas de sensações.
O sol esse potencial de energia e de vida, é a maior fonte de felicidade.
Muito obrigado por nos oferecer, através do seu blog, amostras da sua sensibilidade e veia literária .

28/09/2007

Boa aluna, Bom professor. Bom método de ensino

Da Amiga Adelaide, companheira do CVS - Clube Virtual de Seniores, este texto, recordação viva de tempos um pouco distantes, é uma descrição que representa um exemplo que merece ser seguido de como se estimula o mérito sem receio de traumatizar, quando o objectivo é a elevação das capacidades das crianças. Parabéns e obrigado, amiga Milai!!!

ACONTECEU COMIGO

"Nothing is so beautiful as spring
when weeds, in wheels, shoot long and lovely and lush,
Autor: Gerard Manley Hopkins - "SPRING" (poema)

- Devem ter já passado uns bons largos anos desta minha vida, de más e boas recordações (quem as não tem!!!), que as duas frases acima, que são o começo de um belo poema de Hopkins, me marcaram positivamente e para sempre. Trata-se de um momento inesquecível para mim, o qual, de quando em vez me visita no tumulto dos meus pensamentos misturados, em desalinho envergonhado. Foi numa tarde de aulas, num estabelecimento de ensino na cidade onde nasci, que tudo aconteceu. Era costume, nesse estabelecimento, bom por sinal, num certo dia da semana, fazer-se uma espécie de julgamento, em forma de círculo, onde estava presente um só juiz, um "arguido" e as testemunhas de "observação" acomodadas à volta da sala. Devo salientar que éramos só alunos e professor. Nessa tarde fui eu a "arguida". Havia uma cadeira, lá bem no meio, para onde eu tinha de me dirigir e tomar assento. Assim fiz, com os nervos saltitantes, o sangue mais apressado na sua correria louca dentro de mim, e as faces vermelhas que me queimavam. Eu tinha de comentar, na língua de Hopkins, para que todos ouvissem e me julgassem, o poema que acima menciono. Nesse dia, não sei como nem porquê, eu estava inspirada e decidida a fazer figura. As dezenas de olhos pregados em mim, ao invés de me assustarem, tiveram o efeito contrário e, aí vou eu... Que apreciava o poema de Hopkins, porque as suas palavras me faziam VER o que ele descrevia, como o rebentar dos botões da planta, a surgir para a vida, para a natureza, com um movimento que começa dentro do ramo verde para o exterior soalheiro, cheios de beleza e de frescura ainda húmida! A graça e a actividade próprias da estação. Com o calor do sol tudo entra em actividade e alegria. É a beleza de tudo que nasce e que é tenro e que é perfeito. Continuei, dentro deste estilo, com palavras minhas e ao meu jeito. Eis senão quando, ouço um comentário..."Parabéns, você compreendeu exactamente o desejo de Hopkins que era tornar o desabrochar, o mais real possível". Alguém bateu palmas e... mais palmas se seguiram. Era costume. Era a sentença mais desejada do arguido. Se ele merecia, palmas não lhe faltavam. E eu, nem queria acreditar, eu tinha merecido...
Coisas simples da vida que não esquecemos...
ADELAIDE

25/09/2007

Idoso ou velho?

Idosa é uma pessoa que tem muita idade.
Velha é a pessoa que perdeu a jovialidade (...)
Você se considera uma pessoa idosa, ou velha? (...)
O idoso tem planos.
O velho tem saudades.
O idoso curte o que resta da vida.
O velho sofre o que o aproxima da morte. (...)

Se você é idoso, guarde a esperança de nunca ficar velho.

Autora Alexandra Caracol, o membro mais jovem do CVS - Sempre Jovens