03/05/2022

A EUTANÁSIA

(Extraído de artigo publicado em O DIABO de 24-04-2018)

Está novamente actual o assunto da Morte medicamente assistida. Há quatro anos não passou da primavera.
A Eutanásia exige legislação muito cuidada e com rigoroso controlo para evitar interesses de familiares, do Estado, de hospitais, de serviço de saúde, etc. Na minha infância ouvi referências ao «crime da poça das feiticeiras», em Ranhados, freguesia vizinha de Viseu, em que um rico proprietário agrícola, na tarde do dia da malha de centeio foi encontrado morto na represa do ribeiro recaindo as suspeitas sobre a filha e o genro que pretenderiam a antecipação da herança do velho.
Mesmo antes de sair lei sobre o assunto, já há procedimentos que podem ser inseridos nas finalidades laterais pretendidas por forças de pressão a favor da Eutanásia.
Se a sua filosofia anti-natura dos apoiantes da Eutanásia, com desprezo pela vida dos outros e sem sensibilidade, tiver aprovação pelo Poder, acabarão por ser eliminadas todas as pessoas que não produzem riqueza económica nacional, e pesam no orçamento do Estado, por serem idosos, deficientes, desempregados, criminosos, etc. Este novo tipo de pena de morte irá desinfestar a sociedade de «inúteis» que, com a evolução rápida das novas tecnologias, serão a maioria da população.
E depois? Para que serve tal tecnologia avançada se deixa de haver consumidores? Para que servem médicos, porque deixa de haver doentes? Para que servem os hospitais? Para que servem os laboratórios de medicamentos? E para a população tão diminuta daí resultante, para que são necessários tantos deputados, um governo a ocupar tanta gente, tantas instituições, comissões, grupos de trabalho a ocupar tanta gente a consumir tanto dinheiro? Para quê tanto tacho para «boys» e «girls»?
Tal desinfestação acabará na extinção da vida humana no planeta. E ficarão apenas os robots isolados a efectuar os seus programas sem a mínima utilidade, por não haver utilizadores em quantidade adequada.
Afinal, para que houve tanto interesse em terminar com a pena de morte? Se a que existia servia apenas para eliminar criminosos, e a que aí vem será aplicada a inocentes, apenas por que não são produtivos e são considerados pesados ao erário, numa sociedade escrava do vil metal e em que não se tem respeito pela vida, pelo bem-estar e pela felicidade das pessoas.
Os capitalistas e donos do Poder deixam de ter quem os sirva e lhes trata da residência, da alimentação, do vestuário, etc. Enfim, termina a humanidade

28/04/2022

CONVÍVIO DAS QUINTAS 220428

 Apesar de me encontrar em confinamento por prevenção devido a síntomas de covid-10, segundo a enfermeira de serviço ao SAMED, cerca das 21H00 de dia 26, mesmo sem entretanto ter merecido a atenção de qualquer entidade mais competente do serviço, fiquei satisfeito de ser considerado útil aos amigos deste grupo para realizar o semanal serviço de publicação das fotos que foram efectuadas durante o encontro. Estas actividades deviam ser difundidas como exemplo de solidariedade entre amigos, porque SE TODOS FÔSSEMOS AMIGOS, A SOLLIDARIEDADE EVITAVA GUERRAS E VIOLÊNCIAS.






25/04/2022

25 DE ABRIL

 

 25 de Abril

Data histórica que será recordada pelos efeitos pouco positivos que produziu. Devia ter dado lugar a alterações na vida sociopolítica, de forma bem planeada e organizada, mas não surgiram cabeças preparadas para construir o Portugal do futuro. Na realidade, sobressaiu o PS que, nos tempos mais recentes, foi representado por três cabeças que mostraram pouca eficiência: António Manuel de Oliveira Guterres, José Sócrates Pinto de Sousa e António Luís Santos da Costa.

Em vez da anterior acumulação de poupança, passou a haver uma dívida crescente, o volume do PIB que estava acima de diversos países do leste europeu, agora, apesar dos apoios da UE, foi ultrapassado por alguns de tais países.

Mas há motivos de festa da parte dos muitos amigos e protegidos dos referidos governantes por terem sido por eles escolhidos para diversos e numerosos tachos, alguns sem utilidade nacional, mas que, com diversas habilidades, subiram na lista dos mais ricos reverenciados mesmo pela Justiça.

O que será dito, no futuro, deste facto «histórico»?

26/01/2022

SENTIDOS PÊSAMES

Tive agora conhecimento, de uma maneira acidental, de que o meu colega e Amigo desde 1955, JOÃO RODRIGUES COELHO, faleceu há alguns dias. Lamento só ter sabido hoje deste desenlace e peço desculpa aos familiares de lhes manifestar com atraso o meu desgosto e de lhes enviar sentidos pêsames e desejos de que se recomponham de tão dolorosa perda e honrem a sua memória com a dignidade de que ele era merecedor.

Não demorarei muito tempo a seguir-lhe esse destino e, entretanto, desejo que repouse em paz.

João


02/01/2022

CUIDADO COM A IDADE

 

Os números

Li há tempos um texto irónico em que uma criança na escola foi chamada ao quadro onde a professora tinha escrito dois algarismos seguidos 22 e perguntou-lhe o que estava no quadro. Ele pensou que 2 e 2 são quatro mas que aquilo poderia ser vinte e dois. Não quis dar uma resposta errada e ficou calado. A professora interpretou mal o silêncio do menino e disse-lhe para dizer ao pai que fosse falar com ela.

Ele contou ao pai e este disse-lhe «fizeste muito bem, foste para a escola para aprender e não para ensinar a professora».

Agora recordei esta hesitação do rapaz porque estou a poucos dias do meu aniversário e, se lá chegar, farei 16 anos, segundo a 1ª hipótese do miúdo. E espero lá chegar e viver mais uns pares de anos, para o que procuro ter cuidado com os seguintes factores que, segundo li noutros locais, adiam o envelhecimento:

- manter uma alimentação saudável,

- praticar algum exercício físico,

- ter uma boa qualidade de sono,

- manter o cérebro activo,

- manter boas relações sociais, sem agressividade,

- evitar a depressão.

23/12/2021

BOAS FESTAS

 Desejo a todos os visitantes, seus familiares e amigos, muito BOAS FESTAS, com FELIZ NATAL e uma entrada no 2022 com a esperança de que lhes traga o que de melhor desejarem. E que possam continuar a ter prazer em ser visitantes esta página. Forte abraço.