09/07/2018

APNEIA DO SONO E SEUS INCONVENIENTES



Apneia do sono priva cérebro de oxigénio e provoca demência
9/7/2018. Por Liliana Lopes Monteiro

A condição que faz com que os músculos da garganta relaxem e fechem, e que provoca dificuldades respiratórias, foi associada à redução de determinadas zonas do cérebro, conhecidas por desempenharem um papel fundamental na memória e no processo de aprendizagem.

De acordo com uma equipa de investigadores australianos, a privação de oxigénio provocada pela incidência de apneia do sono pode provocar a redução de certas partes do cérebro e contribuir para o desenvolvimento de demência.

O novo estudo apurou que quem sofre de apneia obstrutiva do sono apresenta uma diminuição na espessura dos lóbulos temporais, e tem um pior desempenho em testes de memória.

Agora aquela equipa de cientistas, da Universidade de Sydney, afirma que um diagnóstico precoce e atempado da apneia poderá ajudar a prevenir a deterioração da memória dos afectados, através da oferta de tratamentos que protejam as vias respiratórias destes indivíduos enquanto dormem.

“Os dados apurados sugerem que devemos apostar num diagnóstico precoce”, disse a professora e coordenadora da pesquisa Sharon Naismith. “Os médicos devem perguntar continuamente aos pacientes que sofrem de apneia acerca do estado da sua memória e celeridade de raciocínio, e se necessário realizar testes que testem essas capacidades”.

A apneia do sono torna-se mais comum à medida que se envelhece, e entre os indivíduos que sofrem de obesidade, tornando por sua vez essas pessoas mais propensas a sofrerem de hipertensão e de diabetes – todos eles factores associados com o desenvolvimento de demência.

Para aquela pesquisa, publicada no periódico científico European Respiratory Journal, os investigadores recrutaram 83 voluntários, de idades compreendidas entre os 51 e os 88 anos, que tinham previamente consultado um médico devido a problemas de memória e alterações frequentes de humor, que podem ser um sinal precoce de demência.

07/07/2018

REDUZIR OU ELIMINAR DESPESAS IMPRODUTIVAS

O que a Troika queria aprovar e não conseguiu!
(Recebido por e-mail em 6-7-2018)

1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros atestados, motoristas, etc.) dos ex-Presidentes da República.

2. Redução do número de deputados da Assembleia da República para 80, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode.

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego.

4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.

5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e se não são verificados como podem ser auditados*?

6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821.

7. Redução drástica das Juntas de Freguesia. Acabar com o pagamento de 200 euros por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 euros nas Juntas de Freguesia.

8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas actividades.

9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País;

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, os filhos das amantes...

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos.

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc.

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis.

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA PÚBLICA.

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder.

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar.

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP.

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma recebe todos os anos.

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões ao erário público.

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a quadros do Partido Único (PS + PSD ).

23. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP (Parcerias Público Privado), que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço que "entendem".

24. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa do dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efectivamente dela precisam;

25. Controlar rigorosamente toda a actividade bancária por forma a que, daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise".

26. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida.

27. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos.

28. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e depois.

29. Pôr os Bancos a pagar impostos.

Assim e desta forma, Sr. Ministro das Finanças, recuperaremos depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros o Estado.

NOTA:
Alguns destes conselhos, já perderam oportunidade, mas a maior parte é perfeitamente aceitável e defensável. É imperiosa a dedicação aos interesses nacionais e o sentido de responsabilidade perante os cidadãos contribuintes. A gestão da causa nacional não se compadece com imaturidade.




06/07/2018

HIPERTENSÃO. OITO SINAIS

Sofre de hipertensão? Oito sinais aos quais deve estar atento
180706. Por Liliana Lopes Monteiro

É crucial que esteja atento à ocorrência de quaisquer sintomas associados à pressão alta. Não coloque a sua saúde em risco.

Estima-se que pelo menos um terço dos indivíduos que sofrem com hipertensão, desconheçam que são afetados por essa condição.

A circulação do sangue, que tem por destino chegar a todos os tecidos e células do organismo, implica que haja alguma pressão sobre as paredes das artérias. Esta pressão, que é normal e até essencial para que o sangue atinja o seu destino, é chamada de ‘tensão arterial’.

Existem, no entanto, uma série de fatores, de ordem genética ou ambiental, que podem fazer com que esta pressão sobre as paredes das artérias aumente em excesso. Nesses casos estamos, então, perante um cenário de hipertensão.

A patologia afeta um em cada três adultos, porém quando se está atento aos possíveis sintomas o problema não tem que ser necessariamente fatal.

Em Portugal existem cerca de dois milhões de hipertensos – será que é um deles?

Eis os oito sinais que não deve ignorar e aos quais deve estar atento:

1. Dores de cabeça – a circulação do sangue associado à pressão alta pode provocar enxaquecas;
2. Tonturas – o aumento ou a diminuição da pressão sanguínea faz com que o coração tenha que trabalhar mais arduamente, causando tonturas;
3. Visão turva – o nervo ótico, localizado por trás do olho, pode ser afetado pela hipertensão;
4. Náuseas e vómitos – a pressão alta tende a perturbar o bom funcionamento do sistema digestivo;
5. Dores no peito – o coração trabalha mais rápido e arduamente do que o habitual;
6. Falta de ar – perturbações na circulação podem causar dificuldades respiratórias;
7. Hemorragias nasais – os vasos sanguíneos no nariz podem inchar e implodir;
8. Tez corada, suores e nervos – a incidência de pressão alta pode causar ataques de pânico.

Como se trata a hipertensão?

São várias as opções para quem pretende reduzir a tensão arterial, incluindo praticar exercício físico regularmente, adotar uma dieta equilibrada e a manutenção de um peso saudável.
Consumir sal em excesso é um dos principais fatores de risco – esteja atento e se necessário procure um médico!

02/07/2018

AVISO IMPORTANTE

Aviso importante:


Coma somente alimentos saudáveis!

Questão do ano

e

Resposta do século.

Durante um congresso sobre saúde alimentar, o orador faz uma pergunta:
- Qual o alimento que causa sofrimento extremo, durante anos, depois de ser comido?

Depois de um longo silêncio, do meio da plateia, um idoso levanta a mão e responde:



- o Bolo de Casamento!!!!

19/06/2018

QUEIMADURA SOLAR

Como cuidar da pele após uma queimadura solar?
180619. Por Mariana Botelho

Prevenir as queimaduras do sol, sempre. Ainda assim, sabemos que os acidentes do género acabam por acontecer.


© iStock

Com a chegada do bom tempo, aumentam as idas à praia, redobram-se os cuidados com o sol e mudam-se as rotinas de higiene e beleza, que passa a ter em conta a proteção contra os raios UV e a necessidade de maior hidratação da pele.

Por muito que conheça os cuidados a ter para com o sol, há sempre os casos em que a exposição ao sol acaba por ser em excesso e resulta em queimaduras que obrigam a um cuidado imediato e certeiro, contro o risco de ficar com marcas deste acidente.

Sobre o caso, o The Independent alerta para a importância se se atentar os ingredientes presentes no after sun já que há casos em que a composição deste produto, quando aplicado na pele, faz ainda mais mal do que a própria queimadura solar.

São os óleos presentes em muitos after sun os ‘culpados’ que em contato com a pele quente, resultante da queimadura, geram uma pequena ebulição que danifica a pele. Também os químicos em excesso, ou própria fragrância, tendem a irritar a pele que está demasiado sensível.

Por isso, uma alternativa mais segura e natural passa por gel de aloe vera, que garante um efeito refrescante imediato. Segundo os especialistas, quanto mais puro o gel, melhor. Desta forma, evitam-se eventuais irritações.

Além disso, o formato gel permite que o calor seja libertado em vez de o reter, como acontece com outros cremes hidratantes.