31/12/2010

Feliz Ano Novo


Por achar muito original e interessante este texto de bons augúrios para 2011, recebido agora de uma prima brasileira a quem agradeço e retribuo, dirijo-o a todos os amigos deste espaço. Gosto das mensagens que fogem à rotina.

Aos meus amigos desejo...


Feliz Ano Novo!

Faltam poucas horas para a chegada de Novo Ano à tua “estação”.
Se não puderes ser o maquinista, que sejas o mais entusiasta passageiro.Procura um lugar junto à janela e usufrui de cada uma das paisagens que o tempo te oferece, com o prazer de quem realiza a primeira viagem.
Não te assustes com os abismos, nem com as curvas que não te deixem ver os caminhos e, procura aproveitar esta viagem, observando cada arbusto, cada riacho, as pontes e os beirais das janelas, as casas e os tons mutantes de paisagem. Desdobra o mapa e planeia roteiros.
Presta atenção em cada ponto de paragem, assegura a manutenção e bom estado do trilho que segues, e fica atento ao apito da partida para chegares a tempo.
Quando decidires descer na estação onde a esperança e a vontade te acenam, não hesites. Desembarca nela os teus desejos…

Desejo que a tua viagem pelos dias do próximo ano, seja de PRIMEIRA CLASSE, com grande CATEGORIA, e em BOA COMPANHIA!Com o meu carinho,

M L Soares

A Paz é possível


Encontramo-nos num período de reflexão, em que se trocam palavras muito animadoras que defendem os melhores valores contributivos para a Paz, a harmonia global, o bom relacionamento entre pessoas e Estados, com diálogo franco e procura de soluções pacíficas, abolindo as situações doentias que giram à volta de ambições, invejas, desconfianças, vinganças , arrogâncias, apetites selvagens de destruição.


Parece não haver dúvidas sobre a possibilidade de se instalar um clima de confiança, colaboração, entendimento e PAZ, pois quando se raciocina com serenidade, assim se conclui. Logo as situações de conflito nascem da imponderação, de caprichos, de ausência de raciocínio bem intencionado. O ser humano gosta da paz e de viver em harmonia com os outros e com o ambiente. É preciso que se habitue a não agir sem antes pensar.

O meu voto para 2011 é que nada seja feito sem usar da melhor intenção em relação aos outros. Respeitar os outros e a Natureza. Os governantes e os políticos em geral devem esforçar-se por evitar casos como o Iraque, o Afeganistão, os actos anti-democráticos como os da Birmânia, da Costa do Marfim , etc.

Recordo novamente alguns títulos de textos aqui colocados


Imagem do Google

30/12/2010

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.





Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.
A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos
e a não ter outra vista que não seja as janelas ao redor.

E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora.
E porque não olha para fora logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas.
E porque não abre as cortinas logo se acostuma acender mais cedo a luz.
E a medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora.
A tomar café correndo porque está atrasado.
A ler jornal no ónibus porque não pode perder tempo da viagem.
A comer sanduíche porque não dá pra almoçar.
A sair do trabalho porque já é noite.
A cochilar no ónibus porque está cansado.
A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra.
E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja número para os mortos.
E aceitando os números aceita não acreditar nas negociações de paz,
aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir.
A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta.
A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita.
A lutar para ganhar o dinheiro com que pagar.

E a ganhar menos do que precisa.
E a fazer filas para pagar.
E a pagar mais do que as coisas valem.
E a saber que cada vez pagará mais.
E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e a ver cartazes.
A abrir as revistas e a ver anúncios.
A ligar a televisão e a ver comerciais.
A ir ao cinema e engolir publicidade.
A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição.

As salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro.
A luz artificial de ligeiro tremor.
Ao choque que os olhos levam na luz natural.
Às bactérias da água potável.
A contaminação da água do mar.
A lenta morte dos rios.

Se acostuma a não ouvir o passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães,
a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.
A gente se acostuma a coisas demais para não sofrer.

Em doses pequenas, tentando não perceber, vai se afastando uma dor aqui,
um ressentimento ali, uma revolta acolá.
Se o cinema está cheio a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço.
Se a praia está contaminada a gente só molha os pés e sua no resto do corpo.

Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana.
E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo
e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele.
Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se
da faca e da baioneta, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida que aos poucos se gasta e, que gasta,
de tanto acostumar, se perde de si mesma.
Marina Colasanti



"Seremos nós capazes de encontrar, no cruzar de tantos caminhos, o que nos leva à esperança e à paz?" 

Até para o ANO!

Beijinhos

29/12/2010

Não sei quem escreveu este texto...




Aparentemente, passámos de um destino de navegadores a clientes de segunda de alfaiatarias, uma, dos anos 50, da Rua dos Fanqueiros, outra, ainda mais miserável, de um gajo "licenciado" nas Novas Oportunidades, que se deslumbra com tecidos que lhe assentam francamente mal.
Vou ser breve, e introduzir já a frase com que se deverá concluir este texto: chegámos ao tempo em que é preciso fazer cortes, mas não nos salários, e, sim, em certas cabeças.

O Sr. Aníbal, de Boliqueime, com a sua corja de Ferreiras do Amaral, de Leonores Belezas, de Miras Amarais, de Dias e Valentins Loureiros, de Duartes Limas, do Eurico de Melo, de Durões Barrosos e tantos outros nomes do estrume que já se me olvidaram, inaugurou o derradeiro ciclo de declínio de Portugal, quando vendeu o Estado a retalho, e permitiu que os Fundos, que nos iam fazer Europeus, fossem fazer de forro de fundo de bolsos de gente muito pouco recomendável. A apoteose dessa desgraça teve vários rostos, as Expos, do ranhoso Cardoso e Cunha, e a mais recente, o BPN, onde estavam todos, 20 anos depois, refinados, enfim, tanto quanto o permite o refinamento da ralé, e isso custou ao Estado um formidável desequilíbrio, que a máquina de intoxicação, feita de comentadores de bancada, de ex-ministros que tinham roubado, e queriam parecer sérios, e de carcaças pluri-reformadas, de escória, em suma, que há muito devia estar arredada do palco da Opinião, nos fez crer ser uma "Crise".

Depois, veio a outra "Crise", a Internacional, cozinhada em Bilderberg, e que se destinava, como se destinará, a criar um Mundo mais pobre, de cidadãos mais miseráveis, cabisbaixos, e impotentes. Nem Marx sonhou com isso: é mais Asimov, Orwell e uns quantos lunáticos de ficção científica reciclada em Realidade, e vamos ter, nós, os intelectuais, de prever e preparar as novas formas de reagir, contra esse pântano civilizacional. A seu modo, será uma Idade do Gelo Mental e Social, minuciosamente preparada, para a qual, aviso já, não contem comigo.
Como na Epopeia de Jasão, depois do miserável Cavaco, vieram os Epígonos, os "boys-Matrix" do Sr. Sócrates, um Matrix de Trás-os-montes, o que, já de si, cheira a ovelha, animal que só estimo naquela classe de afectos que São Francisco de Assis pregava, e nada mais. Podem chamar-se o que quiserem, Pedros Silvas Pereiras, a Isabel Alçada, a aquecer os motores para substituir o marido na Gulbenkian, mal ele se reforme; a mulher-a-dias do Trabalho, e aquele pequeno horror, chamado Augusto Santos Silva, que parece uma barata de cabelos brancos. Esta gente toda convive connosco, quer-nos levar ao abismo, e fala da inevitabilidade de "cortes".
Eu também estou de acordo: toda a frota de carros da Administração Pública deve ser vendida em hasta pública -- pode ser aos pretos da Isabel Dos Santos, que adoram essas coisas... -- e passe social L123, para todos os Conselhos de Administração, com fedor de Vara, Cardona, Gomes, ou Zeinal Bava. Os gabinetes imediatamente dissolvidos, e os assessores reenviados para os centros de reinserção social, para aprenderem o valor do Trabalho, e não confundirem cunhas com cargos; os “Institutos”, de quem o Vara era especialista, e o Guterres, num súbito fulgor de não miopia chamaram "o Pântano"; os "off-shores"; a tributação imediata de todas as especulações financeiras com palco português, feitas em plataformas externas; a indexação do salário máximo, dos tubarões, aos índices mínimos das bases, enfim, uma espécie de socialismo nórdico, não o socialismo da treta, inaugurado pelo Sr. Soares, e transformado depois, nesta fase terminal, em esclavagismo selvagem, pela escória que nos governa.

Acontece que, se os Portugueses sentissem que estavam a ser governados por gente honesta, e tivesse acontecido um descalabro financeiro, prontamente se uniriam, para ajudar a salvar o seu pequeno quintal. Na realidade, a sensação geral é a de que há, ao contrário, um bando de criminosos, inimputáveis, que se escaparam de escândalos inomináveis, de "Casas Pias", de "Freeports", de "BPNs", "BPPs", "BCPs", "Furacões", "Independentes", Hemofílicos", "Donas Rosalinas", "Noites Brancas" e tanta coisa mais, que dispõem de um poder de máfia e associação tal, que destruíram a maior conquista do Liberalismo, a separação dos Poderes, tornando o Judicial uma sucursal dos solavancos políticos, do rímel das Cândidas e das menos cândidas, das Relações, e das relações dos aventais, das "ass-connections" e das Opus, enfim, de uma Corja, que devia ser fuzilada em massa, que roubou, desviou, pilhou e, agora, vem tentar sacar a quem tem pouco, muito pouco, ou já mesmo nada.

Somos pacíficos, mas creio que chegou a hora de deixarmos de o ser. Pessoalmente, não tenho armas, mas já escolhi alguns alvos. Curiosamente, se pudesse, nem seria um Político aquele que eu primeiro abateria, seria uma coisa, uma lêndea, um verme pútrido, chamado Vítor Constâncio, que julga que, por estar longe, fugiu da alçada de um qualquer desvairado que se lembre de ainda o esborrachar com o tacão.

Infelizmente, ou felizmente, nem sou violento, nem tenho armamento em casa, porque é chegada a hora, não dos cortes no bem-estar de quem tem pouco, mas nas cabeças que provocaram, ao longo de décadas, o imenso horror em que estamos. Toda a gente lhes conhece os rostos, e suponho que será unânime na punição. Por muito menos, há quase 100 anos, deitou-se abaixo um regime, cuja corrupção era uma brincadeira, ao lado do que estamos a presenciar.

Não tenho armas, digo, mas menti, porque, de facto, tenho uma, e que é a pior de todas, o Dom da Palavra, e acabei, esta noite, de voltar a tirá-la do bolso.

Espero que vos faça acordar.

O Natal já passou mas...

video
É verdade que o Natal já passou mas é sempre bom refletirmos sobre o consumismo desenfreado que se verifica quando aparecem datas a comemorar, seja Natal, Carnaval, Páscoa, Dia dos Namorados, etc.,etc.
Este video reflete bem o que se pretende ver terminado, a luxúria sem nexo que se verifica com esse consumismo .
Há que pensar neste exemplo até porque vivemos actualmente num momento de crise muito grave.

Em 2011, seja forte, nunca desista

video

Neste momento de reflexão para a entrada num Novo Ano, julgo oportuna esta mensagem de coragem, persistência, luta sem desfalecimento. Querer é poder..

Ano Novo – Olhar Novo

Transcrição de texto (porque concordo com com o seu conteúdo) recebido por e-mail da amiga brasileira Rosélia Bezerra, a quem agradeço.

OLHAR NOVO!!!
(Carlos Drumond de Andrade)

O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e o AGORA.

Claro que a vida prega peças.
É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais... mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?
Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?
Quero viver bem. 2010 foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal.
Às vezes se espera demais das pessoas. Normal.
A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.

2011 não vai ser diferente.
Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí?
Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que eu desejo para todos nós é sabedoria!
E que todos saibamos transformar tudo em uma boa experiência!
Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim...
Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passe-o para a categoria 3, a dos amigos. Ou mude de classe, transforme-o em colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou?
Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa prá esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro: CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE).
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes.
Desejo para todo mundo esse olhar especial.

2011 pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar.
Somos egoístas, mas podemos entender o outro.
2011 pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular...
ou... Pode ser puro orgulho! Depende de mim, de você!
Pode ser. E que seja!!!

Feliz olhar novo!!!
Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!
Ligue 2011, não deixe a memória acabar e processe todos os seus sonhos."

28/12/2010

Mensagem de Fim de Ano

video

Virtudes portuguesas segundo ex-embaixador britânico


É com muito prazer que publico este texto que me tem chegado pela mão de vários amigos. Nem tudo é mau cá pelo rectângulo.


Coisas que nunca deverão mudar em Portugal
Artigo do Embaixador da GB ao deixar Portugal: Expresso 18 Dez 2010

Portugueses: 2010 tem sido um ano difícil para muitos; incerteza, mudanças, ansiedade sobre o futuro. O espírito do momento é de pessimismo, não de alegria. Mas o ânimo certo para entrar na época natalícia deve ser diferente. Por isso permitam-me, em vésperas da minha partida pela segunda vez deste pequeno jardim, eleger dez coisas que espero bem que nunca mudem em Portugal.
Embaixador da Grã Bretanha


1. A ligação intergeracional. Portugal é um país em que os jovens e os velhos conversam - normalmente dentro do contexto familiar. O estatuto de avô é altíssimo na sociedade portuguesa - e ainda bem. Os portugueses respeitam a primeira e a terceira idade, para benefício de todos. 

2. O lugar central da comida na vida diária. O almoço conta - não uma sandes comida com pressa e mal digerida, mas uma sopa, um prato quente etc, tudo comido à mesa e em companhia. Também aqui se reforça uma ligação com a família.

3. A variedade da paisagem. Não conheço outro pais onde seja possível ver tanta coisa num dia só, desde a imponência do rio Douro até à beleza das planícies do Alentejo, passando pelos planaltos e pela serra da Beira Interior.

4. A tolerância. Nunca vivi num país que aceita tão bem os estrangeiros. Não é por acaso que Portugal é considerado um dos países mais abertos aos emigrantes pelo estudo internacional MIPEX.

5. O café e os cafés. Os lugares são simples, acolhedores e agradáveis; a bebida é um pequeno prazer diário, especialmente quando acompanhado por um pastel de nata quente.

6. A inocência. É difícil descrever esta ideia em poucas palavras sem parecer paternalista; mas vi no meu primeiro fim de semana em Portugal, numa festa popular em Vila Real, adolescentes a dançar danças tradicionais com uma alegria e abertura que têm, na sua raiz, uma certa inocência.

7. Um profundo espírito de independência. Olhando para o mapa ibérico parece estranho que Portugal continue a ser um país independente. Mas é e não é por acaso. No fundo de cada português há um espírito profundamente autónomo e independentista.

8. As mulheres. O Adido de Defesa na Embaixada há quinze anos deu-me um conselho precioso: "Jovem, se quiser uma coisa para ser mesmo bem feita neste país, dê a tarefa a uma mulher". Concordei tanto que me casei com uma portuguesa.

9. A curiosidade sobre, e o conhecimento, do mundo. A influência de "lá" é evidente cá, na comida, nas artes, nos nomes. Portugal é um pais ligado, e que quer continuar ligado, aos outros continentes do mundo.

10. Que o dinheiro não é a coisa mais importante no mundo. As coisas boas de Portugal não são caras. Antes pelo contrário: não há nada melhor do que sair da praia ao fim da tarde e comer um peixe grelhado, acompanhado por um simples copo de vinho.

Então, terminaremos a contemplação do país não com miséria, mas com brindes e abraços. Feliz Natal.

Imagem do Google

27/12/2010

Bela homenagem


RICO PRESENTE DE NATAL
Este vídeo vale ouro em pó. Homenagens assim só um País evoluído sabe fazer. É emocionante ver o velho Dave Brubeck, um ícone do jazz, velhinho, assistindo ao que há de melhor no jazz actual e com seus filhos a tocarem os seus maiores sucessos. E sendo aplaudido por uma plateia incluindo Obama e a primeira-dama. Emocionante.

25/12/2010

Simplesmente um exemplo de vida.



Feliz Natal!
beijinhos

Jovens aderem a conselhos da ANEBE

Neste espaço, tem havido a preocupação de realçar casos que contrariam a ideia de que os jovens pertencem a uma  «geração rasca». Não há regra sem excepção e, com vista a fomentar um futuro melhor para as gerações mais jovens, convém sublinhar os casos positivos. 

Há muitos meses a ANEBE - Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas – criou um incentivo para os jovens cultivarem o espírito da «taxa zero de alcoolemia». Trata-se de uma iniciativa muito interessante por contrariar o vulgar espírito de lucro através de maior consumo, sobrepondo-lhe a função social de uma empresa, neste caso, zelando pela saúde e pela segurança dos consumidores.

A ANEBE, presidida pelo ainda Jovem Mário Moniz Barreto, promotora da iniciativa "100%Cool", desenvolve acções para promover o consumo moderado de álcool e colabora com a GNR em operações de controlo de taxa de alcoolemia, com fins didácticos nas noites das grandes cidades em locais onde o perigo de excessos pode ser mais provável. 

Na noite da passada quinta-feira foram fiscalizados em Lisboa 160 condutores, com idades entre os 18 e os 30 anos, dos quais 144 apresentaram uma taxa de zero gramas de álcool por litro de sangue. De entre os 160 testes realizados apenas um estava em infracção legal, acima dos 0,5 gramas por litro de sangue. A seis dos condutores fiscalizados foi detectada uma taxa de alcoolemia entre os zero e os 0,5 gramas.

É positivo que os jovens se desloquem em grupo para os locais nocturnos e que um deles se comprometa a não ingerir álcool a fim de conduzir os amigos a casa em segurança.

O presidente da ANEBE faz um balanço «extremamente positivo» desta acção e realça que «90 por cento dos jovens fiscalizados tinham conhecimento da campanha e começam a alterar os seus comportamentos».

Imagem da NET

24/12/2010

Sair da crise exige esforço de todos

Não espere que o País faça tudo por si; faça o que puder. Quanto mais dificuldades tivermos mais temos que redobrar esforços, imaginação e criatividade.

Não se deve desanimar. Mas manter optimismo, porque nada é definitivo, e os momentos difíceis hão-de ser ultrapassados. Com o próprio esforço e com a solidariedade de toda a gente, melhores tempos aparecerão. Estas palavras são uma adaptação das proferidas pelo Bispo de Viana do Castelo, Anacleto Oliveira.

É necessário que cada um procure aproveitar da melhor forma as oportunidades mesmo que pequenas para melhorar a vida. Grão a grão, a galinha enche o papo.

Faço votos para que o Natal seja festejado da melhor forma e que o futuro, construído com esforço, imaginação e criatividade traga horas melhores.

Imagem do PÚBLICO

22/12/2010

Regras para Ser Humano

Nesta quadra de Natal e Ano Novo, é propício meditar sobre nós mesmos e fazer mudanças, reorganizar atitudes e comportamentos, para uma vida melhor. Por isso, considero oportuno transcrever este texto que recebi em anexo*pps

Quando você nasceu não veio com manual do proprietário. As dicas seguintes fazem a vida funcionar melhor.

Você vai receber um corpo.
Pode amá-lo ou detestá-lo, mas é a única coisa que você com certeza possuirá até o fim da sua vida.

Você vai aprender lições.
Ao nascermos, somos imediatamente inscritos numa escola informal chamada "Vida no Planeta Terra". Todas as pessoas e acontecimentos são "professores universais".

Não existem erros, apenas lições.
Crescimento é um processo de experimentação, no qual as "falhas" são tão parte do processo quanto os "sucessos".

Uma lição é repetida até que seja aprendida.
Será apresentada a você em várias formas, até que você enfim entenda. Poderá, então, passar para a lição seguinte.

Se não aprender as lições fáceis, elas se tornam difíceis.
Problemas externos são o preciso reflexo do seu estado interior. Quando você limpa obstruções, seu mundo exterior muda. A dor é o jeito do universo chamar a sua atenção.

Você saberá quando aprendeu uma lição quando suas ações mudarem.
Sabedoria é prática. Um pouco de alguma coisa é melhor do que muito de nada.

“Lá” não é melhor do que "aqui".
Quando "lá" se torna "aqui", você vai simplesmente arranjar outro "lá", que de novo parecerá melhor que "aqui".

Os outros são meros espelhos de você.
Você não pode amar ou odiar alguma coisa sobre o outro a menos que reflita algo que você ama ou odeia em você mesmo.

Você vai esquecer tudo isso. Mas pode lembrar sempre que quiser.

Do "If Life is a Game These are the Rules“ de Cherie Carter-Scott

Imagem da Net

21/12/2010

Feliz Natal

A TODOS
os meus votos de Festas Felizes.
Desejo que o Menino Jesus vos traga e encha o sapatinho
com Amor, Paz, Saúde, Tolerância, Humildade
e todos os bens não materiais que, de facto, nos fazem falta.
Beijinhos

18/12/2010

Reciclar rolhas de cortiça


Uma mensagem  que deve ser tida em consideração em permanência, para proteger a Natureza. 
Difunda por familires e amigos.

16/12/2010

DIA DE NATAL


Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros— coitadinhos— nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra— louvado seja o Senhor!— o que nunca tinha pensado comprado.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.

Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.

António Gedeão 

15/12/2010

CEM MIL VISITANTES


O SEMPRE JOVENS ultrapassou a fasquia dos 100.000 visitantes


Nos últimos três meses tivemos 25156 visitas, ligeiramente mais do que em igual período imediatamente anterior, apesar de ter havido alteração na composição da equipa.

Os actuais colaboradores estamos de parabéns e agradecemos aos Amigos que encontram neste espaço motivo para merecer ser visitado e comentado. Prometemos colocar ao dispor de todos as nossa capacidades para continuarmos a corresponder ao vosso interesse.
É para vós que aqui estamos, com prazer e dedicação.

Aproveito para desejar a todos, colegas colaboradores, comentadores e visitantes, um Natal Feliz, com muita alegria e os melhores projectos para o Novo Ano e que este vos traga a realização dos vossos desejos. Fazemos votos para que nunca vos falte Paz, Amor e Saúde.

Abraços com espírito natalício
do vosso Amigo
João

13/12/2010

Feridas Abertas.


Choramos com eles e por eles !
Mas , só e apenas no Natal ?
Ou todos os dias, horas, minutos e segundos,
de cada vez que tivermos oportunidade de fazer a diferença,
convertendo as nossas lágrimas em atitudes!



beijinhos


11/12/2010

Celebrar o Outono


Outono é a estação do ano que sucede ao Verão e antecede o Inverno, caracterizando-se pelo amarelar das folhas das árvores. No hemisfério Norte transcorre entre 23 de Setembro a 21 de Dezembro. Enquanto que no Hemisfério sul, vai de 22 de Março a 20 de Junho. Quando esta estação chega, é porque indica a passagem do verão para o inverno.
 Entre nós, o Outono este ano tomou os brancos mantos do Inverno e com eles cobriu-nos a todos. Fez tiritar de frio milhões de pessoas por essa Europa fora, tornando espessa e pesada, feita duro gelo, a esparsa neve referida no celebrado poema de Augusto Gil:

“A neve caía

do azul cinzento do céu,

branca e leve, branca e fria”

Terá sido um Outono anormal, talvez severo protesto da Mãe Natureza contra os desmandos de todos nós que não sabemos respeitá-la.
O Outono é tempo de vindimas, de castanhas de atraente casca esbranquiçada pelo fumo do carvão, com que nas ruas os vendedores irrecusavelmente nos tentam, quentinhas, no frio do dia.
Mas é também tempo de maturação, de recolhimento, de interiorização.
É tempo de aqueles que se encontram no Outono da vida, sentirem mais fundas saudades de primaveras passadas …..
Em circunstâncias normais o Outono é uma estação aprazível , cantada por poetas, retratada por pintores, apreciada por todos pela amenidade do clima e pelo variegado colorido com que nos extasia os olhos. Há quem lhe chame a Estação Dourada, pelo amarelo das folhas caídas das árvores e que, por toda a parte, cobrem profusamente os caminhos de fofos tapetes de oiro .

O clip-vídeo que vamos apreciar de seguida, proporciona-nos imagens da bela policromia da Natureza nesta exaltante época do ano.



Beijinhos

08/12/2010

O PAPA JOÃO PAULO II E A VIRGEM!


13 de Maio de 1981

Não se sabe porquê João Paulo II quiz manter esta foto oculta por tantos anos. A Santa Sé publicou faz pouco tempo, pela primeira vez, esta fotografia que foi tirada pelos responsáveis pela segurança, no preciso momento do atentado ao Santo Padre, quando este caía no Papamóbil, dobrado pela dor.

Segundo explicou Joaquim Navarro Valls, portavoz da Santa Sé, foram muitos anos de estudo sobre a revelação desta incrível fotografia e igualmente sobre a qualidade da pelicula utilizada, já que no primeiro momento da revelação não se conseguia compreender a imagem porque não era muito nitida. Finalmente e depois de submetida a mais controlos com os fotografos mais experientados do mundo, decidiram que não havia nenhum truque com ela e hoje podemos admirar este belo dom da Mãe de Deus.


CORTA RELVAS VOADOR...

video

Agora com as novas tecnologias tudo é possível... Não é de admirar se qualquer dia virmos os "magalhães" a voar!!!

06/12/2010

Raça Azul Indigo

Tuaregues
No centro inóspito do deserto sariano, entre os montes Tassili, Aïr e Hoggar, vivem os Tuaregues, um povo seminómada, por vezes chamados de "homens azuis". Usam a linhagem materna embora não sejam matriarcais.
São os homens que não dispensam um véu azul índigo característico, o Tagelmust, que usam mesmo entre os familiares. Dizem que os protege dos maus espíritos, e tem a função prática de proteger contra a inclemência do sol do deserto e das rajadas de areia durante as suas viagens em caravana. Usam como um turbante que cobre também todo o rosto, excepto os olhos.
As comunidades de tuaregues têm por norma oferecer chá de menta aos grupos de turistas.
Antes de se tornarem pacíficos como são actualmente, os Tuaregues cobravam pedágios altíssimos aos outros viajantes, assaltando e massacrando os que deixavam de pagar. Em 1946, com a chegada de novos governos, eles entraram em guerra pela sua liberdade (o que acabou com aproximadamente quarenta mil Tuaregues mortos, incluindo mulheres e crianças).
Agora dedicam-se principalmente à música, ao artesanato e a pastorícia de animais como os dromedários...

Fotografia de "Arriving at the horizon"

Apreciem:




beijinhos

Verdadeira Fé vs espectáculo

Há pouco encontrei no restaurante um amigo e estivemos a desenrolar uma conversa que passou por vários temas e este que vou referir merece a melhor reflexão. Vem ao encontro das reflexões natalícias da bloguista orvalho do céu com o blogue espiritual-idade e outros.

Entre a realidade e a aparência pode existir grande distância, tal como entre o papaguear um texto ou uma prece e a sua compreensão, interiorização e concretização em comportamentos.

A propósito de que a felicidade é agora e não devemos desprezá-la agora com a intenção de a termos amanhã, porque com isso acabaremos por nunca a saborearmos - e ela depende de nós, como diz a frase de autor desconhecido «as pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, mas tiram o melhor partido de tudo o que têm» - veio-me à memória uma entrevista de Simone de Beauvoir (faleceu 14 de Abril de 1984) que, passados alguns minutos e várias perguntas depois de ter dito que era agnóstica, sem ligação a qualquer religião, foi-lhe perguntado qual o texto que mais a tinha impressionado durante a vida.

Inesperadamente, depois da resposta atrás referida, respondeu que foi o «Pai Nosso», uma pequena oração católica dividida em duas partes, sendo a primeira uma veneração ou louvor a Deus e a segunda um pedido. Nela consta o essencial para orientarmos toda a vida prática no melhor sentido. Da primeira parte salientou «seja feita a vossa vontade assim na Terra como no Céu», isto é um apelo a cumprirmos os «mandamentos», os bons conselhos, as boas normas, o respeito pelos valores. Na segunda parte referiu duas regras de boa conduta «o pão nosso de cada dia nos dai hoje», com o significado de não ser ambicioso, procurar, agora, tirar o melhor partido do que se tem, ser feliz neste momento, com aquilo, mesmo pouco, de que dispomos. Pensar na realidade actual, da melhor forma significa também nada fazer que prejudique outros ou o nosso futuro. A segunda regra é «perdoai as nossas ofensas assim como perdoamos a quem nos tem ofendido», e significa que devemos respeitar os outros, amar os outros como a nós mesmos, recusar ódios, rancores, invejas, vinganças.

Depois o interlocutor disse que muita gente que diz imensas vezes esta oração nunca parou para meditar nestes pormenores que sensibilizaram a intelectual agnóstica. Contou que há dois ou três anos, em 12 de Maio em Fátima, a televisão conversou com peregrinas que se arrastavam de joelhos em cumprimento de promessas. Uma senhora idosa estava a satisfazer a promessa que fizera quando pediu que o filho não morresse na guerra do Ultramar e ele regressou bem. Outra mais jovem estava a cumprir a promessa por a Nossa Senhora lhe ter satisfeito um pedido que lhe fez dois anos antes. Dava-se muito mal com a sogra, esta fazia-lhe a vida num inferno e pediu à Nossa Senhora que lhe resolvesse o problema, e ela dava-lhe uma importância e faria de joelhos um dado percurso. E a Nossa Senhora fez-lhe o favor de «levar a sogra».

Enfim, pessoas que se preocupam com a parte espectacular e que se intitulam muito religiosas, com muita fé, dão à religião uma interpretação que é ofensiva, como é este caso de contratar a Nossa Senhora para lhe matar a sogra, como se fosse um assassino profissional, à semelhança daquele que liquidou a amiga e secretária de Tomé Feteira (lembram-se?). Esta senhora nora, apesar de católica, nunca meditou no significado do Pai-Nosso, que Simone de Beauvoir, uma agnóstica, tanto apreciava.

Imagem da Net

05/12/2010

"VAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO"

MONOLOGO DO ZÉ POVINHO COM SÓCRATES - música de Pedro Abrunhosa

Sei que me vês
Sou um dos muitos que tu ignoras
Mais um que tu sabes que exploras
Pobre de mim…
A minha revolta não se esconde
Vou procurar-te ainda não sei onde
Vamos fazer o que ainda não foi feito.
Trago-te em mim
Inverno, Primavera, Outono, Verão
Quero livrar-me de ti
E com razão
Vamos fazer o que ainda não foi feito.

E eu
Sou mais um dos que com raiva rebento
Estragas meu mundo e só provocas lamento
Pois temos tanto a reclamar
Sai do Governo
Já foste longe a vida toda
És um estorvo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais

Eu sei que dói
Sei como foi, aguentares tão só por esta rua
Os nomes que te chamam
E tu na tua
Esse teu rosto insolente é o teu jeito
Nunca fizeste o que ainda não foi feito
Sabes quem sou
Aqui estou
Zé Povinho que não alinha
As portas vão fechar-se
E eu na minha
A tua imagem é já uma mancha sem jeito
Vamos fazer o que ainda não foi feito
REFRÃO

Faz-te à estrada
Deixaste-me uma mão cheia de nada
Somos um todo muito mais que imperfeito
Eu estou inteiro e tu desfeito
Vamos fazer o que ainda não foi feito

REFRÃO 26/Nov/2010

Publicada por Brizissima no blog Pedaços

Boa Música ao vivo no restaurante

04/12/2010

SUPER AVÔZINHA DE 91 ANOS EM POSES POUCO HABITUAIS

Há alguns anos atrás, o fotógrafo francês Sacha Goldberger achou a sua avô húngara de 91 anos estranhamente triste e deprimida. Para a animar, ele sugeriu-lhe que ela servisse como seu modelo numas sessões de fotografias fora do vulgar, mordazes, com poses diferentes, roupas diferentes em locais pouco habituais. A sua resposta afirmativa foi imediata e depois de terminado todo o trabalho, apelidado de Mamika, a avôzinha não conseguia parar de sorrir. Imagine o motivo do seu sorriso nas imagens mais abaixo:
Fonte: Sacha Goldeberger

03/12/2010

Uma mensagem de natal ... Roupa Nova

ENTRANDO NO CLIMA DE NATAL



 FELIZ NATAL!!!

Forever young

E porque hoje é sexta feira, desejo-vos um excelente fim de semana ao som desta canção dos Alphaville, o grupo musical alemão  que ganhou popularidade nos anos 1980.
O que eu dançei ao som desta música ;-)




Beijinhos

Travar a intrusão da WikiLeads

Cuecas seguras
Aqui estão as cuecas mais seguras do século XXI...

Não se enganem!

Se falharem mais de 3 vezes perdem o direito ao conteúdo ;-)


01/12/2010

DESMATAMENTO da AMAZONIA



O ritmo do desmatamento da Amazônia alcançou seu menor nível desde 1988, batendo novo recorde em relação ao ano passado. Mesmo assim, a devastação da floresta entre 2009 e 2010 derrubou uma área de 6.451 km², maior que o território do Distrito Federal, em Brasília, que mede 5.802 km².
Segundo informações divulgadas nesta quarta-feira (1º), o dado mais recente de desmatamento na Amazônia representa redução de 13,6% em relação à área devastada no ano passado, quando 7.008 km² de mata foram derrubados.
Na cerimônia em que o anúncio do desmatamento foi feito, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, considerou o número "fantástico". "Este é o menor desmatamento de toda a história da Amazônia", disse ela.
Ainda bem!!!

Assim vai a Justiça em Portugal!


Hoje ao abrir o jornal deparei com as seguintes notícias ligadas a este tema, a saber:

1. Empresário apanha 13 anos de prisão por matar ladrão;
2. Gang lança pânico e rouba milhares em jóias e ouro;
3. Bebé de 2 anos morto em ribeira de Sintra;
4. Idosos atacados e sequestrados;
5. Vendem droga junto a escola e são soltos;
6. Agressora foi detida mas Ministério Público deixou-a à solta;
7. PJ desfaz máfia chinesa;
8. Assaltam casa com caçadeira e levam 6mil euros;
9. Processo Freeport – advogado afastado;
10. Camarate – BE quer inquérito;
11. À porta do Tribunal Polémica – Ex-maridos gozam com Andreia;
12. Filipe la Féria – Dívidas crianças de “Annie” à espera de dinheiro;
13. Nova baixa na Justiça, a segunda nesta semana.

Como se pode aperceber a Justiça em Portugal está a sofrer o desgaste por a política se ter nela intrometido demasiado! Esta deixou de ser um poder independente do poder político e passou a ser dela altamente dependente por motivo de muito dos elementos que a constituem serem nomeados por cores partidárias alem de leis “feitas a martelo” cuja génese parecem ser para defesa de interesses pouco confessáveis, de mordomias que lhes estão a ser concedidas, pelos diversos governos, no sentido de os manietarem, etc., etc.

Veja-se que se relacionarmos os diversos pontos aqui respigados há contradições deveras intrigantes e que levam ao aumento da criminalidade, ao descrédito das autoridades policiais que procuram diminui-la, ao descrédito dos próprios Tribunais e finalmente na própria Justiça, pois já pouca ou quase ninguém nela acredita!

Para além destes pontos lembremo-nos dos casos mediáticos “Casa Pia” e “Face Oculta” e de outros já esquecidos, que se têm arrastado por tal forma que mesmo que se venha a fazer justiça, o que se pode duvidar, o factor exemplo se perdeu por completo no tempo!

Lembro ainda o que os deputados portugueses pensam das leis que se referem aos políticos, ao contrário do que se passa na maioria dos países democráticos europeus e americanos entendem que o poder judicial nada tem a ver com eles e assim podem passar incólumes por decisões dolosas por eles tomadas. A irresponsabilidade dos políticos tem cobertura na Justiça!

Até quando esta “Justiça manca” se irá manter? Se tivesse havido JUSTIÇA INDEPENDENTE muito dos problemas agora existentes nunca teriam acontecido ou pelo menos não teriam sido tão graves por serem, desde logo, devidamente tratados para exemplo futuro! Acabava-se com a RECORRÊNCIA dos mesmos…

Vida extraterrestre


Depois do post ET. Um desafio e congeminações que deu origem a comentários com interesse, surge agora, passado um ano, este artigo que transcrevo.



Não devemos manter teimosas incredulidades e é sensato admitir que o nosso conhecimento científico dos animais, vegetais e minerais e tudo o que daí decorre, pode ser inteiramente desajustado ao que se passe noutros astros. Se mesmo na Terra nos surgem surpresas a cada passo, não devemos alimentar certezas em relação ao imenso universo. Temos muitas razões para estarmos permanentemente atentos aos mínimos sinais e procurar compreender as novidades que irão aparecendo. 

Correio da Manhã. 01 de Dezembro de 2010. Por: André Pereira

Comunicação em máximo sigilo

A existência de vida extraterrestre pode ser anunciada já amanhã pela Agência Espacial Norte-americana. Menos de uma semana após ter revelado a descoberta de uma atmosfera com oxigénio e dióxido de carbono na lua Reia de Saturno, a NASA convocou uma conferência de imprensa sobre Astrobiologia, na qual promete revelar algo ao Mundo "que terá impacto na pesquisa de provas de vida extraterrestre".

A Astrobiologia é a ciência que estuda a origem, a evolução, a distribuição e futuro da vida no Universo. O conteúdo da comunicação da NASA está guardado em máximo segredo.

A agência não revelou mais pormenores sobre o assunto. No site da NASA são apenas anunciados os especialistas que estarão presentes na conferência a ser transmitida pela internet em (www.nasa.gov/ntv). Um dos participantes no encontro é Steven Benner, um astrobiólogo que também está envolvido na missão que levou a sonda ‘Cassini’ a Júpiter e descobriu em Reia gases comuns à atmosfera da Terra. Também IO, outra das 68 luas de Júpiter, é uma das candidatas que poderão conter alguma forma de vida no seu subsolo.

Imagem do Correio da Manhã

30/11/2010

Para descontrair

video

Para nos mantermos sempre jovens temos de abrir o coração e a mente.



"Afinal o que é ser-se velho? É ter rugas e cabelos brancos ou não ser capaz de evoluir? É que para permanecer psicologicamente jovem as operações de estética e o ginásio ajudam pouco
Há pessoas que, graças a tratamentos hormonais, ginástica, cirurgia estética, maquilhagem e moda, continuam a parecer jovens, mesmo tendo 70 anos. E alguns também são jovens no seu interior. Já outros têm um interior envelhecido. Que significa exactamente ser jovem ou ser velho? Os jovens lembram--nos animais juvenis: crias fofas, flexíveis, brincalhonas.

Na criança vemos vivacidade, frescura e espanto. Para nós, os jovens têm muita energia, são rápidos, animados e recuperam rapidamente as forças. No plano mental, são curiosos, fazem experiências, aprendem rapidamente, acreditam no futuro, adaptam-se às várias circunstâncias, pensam para além dos esquemas existentes e são criativos, construtivos. Nos velhos, todas estas características se tornam mais rígidas. Mas será mesmo assim? Serão mesmo assim todos os jovens que conhecemos? Não. Muitos são pessoas de hábitos, seguem passivamente as modas, as orientações do grupo, perdem tempo com jogos parvos. Outros são preguiçosos, não lêem, não estudam, não conseguem concentrar-se, não acreditam no futuro, não sabem definir nem seguir metas. Portanto as qualidades que descrevemos como sendo típicas da juventude estão presentes em algumas pessoas excepcionais com uma grande inteligência, abertura mental, capacidade de criar e de renovação contínua.

Goethe, Freud, Marie Curie, Simone de Beauvoir, Verdi, Puccini, Charlie Chaplin permaneceram sempre jovens. Mas não é essencial possuir o génio deles para permanecer jovem. Basta cultivar as nossas qualidades humanas. Há muitas pessoas que ficam psicologicamente velhas com trinta anos porque se encerram em hábitos, preconceitos e horizontes ideológicos, não aceitando o que é novo ou diferente.

Controlam as emoções, não enfrentam novos problemas, tornam-se rígidas e repetitivas. E se graças à ginástica, às dietas, à cirurgia estética conseguem parecer fisicamente jovens, quando começam a falar percebemos que são iguais ao que eram no passado.

Velho é quem não evolui. Para permanecer psicologicamente jovem, o exercício e as operações estéticas servem de pouco. É preciso um coração e uma mente abertos, aceitar a humanidade em todas as suas formas, observar, estudar o que é novo, tentar compreendê-lo, não seguir a manada, não seguir as modas, não se deixar arrastar pela corrente, pensar pela própria cabeça, viver as emoções, procurar o que é intenso e essencial e rejeitar o resto."

Francesco Alberoni - Sociólogo, escritor e jornalista

29/11/2010

CARTA DE NELITO AO PAI NATAL


Querido Pai Natal,

Nestes últimos anos o Pai Natal levou o meu cantor e dançarino preferido, Michael Jackson, o meu actor preferido Pactrick Swayze e também a minha actriz preferida, Farrah Fawcett.
Quero lembrar-lhe este ano que o meu político preferido é o Eng. José Sócrates.
Obrigado, Pai Natal.

Nelito

ESSA HISTÓRIA NÃO TEM PREÇO!


ENVIADO A MIM POR EMAIL
Um cão velho e com olhar cansado estava andando pela rua e entrou em meu jardim. Eu pude ver, pela coleira e seu pêlo brilhante, que ele era bem alimentado e bem cuidado.
Ele andou calmamente até mim e eu o agradei. Então ele me seguiu e entrou em minha casa. Passou pela sala, entrou no corredor, deitou-se NO MEU SOFÁ e dormiu.
Uma hora depois ele foi para a porta e eu o deixei sair.
No dia seguinte ele voltou, fez "festinha" para mim no jardim, entrou em minha casa e novamente dormiu por uma hora no MEU SOFÁ do corredor. Isso se repetiu por várias semanas.
Curioso, coloquei um bilhete em sua coleira: "Gostaria de saber quem é o dono deste lindo e amável cachorro, e perguntar se você sabe que ele vem até a minha casa todas as tardes para tirar uma soneca."
No dia seguinte ele chegou para sua habitual soneca, com um outro bilhete na coleira: "Ele mora em uma casa com 6 crianças, 2 das quais têm menos de 3 anos - provavelmente ele está tentando descansar um pouco. Posso ir com ele amanhã???"

PLÁSTICOS PRAGA QUE PODE TERMINAR!

video

Este assunto é por demais importante e começa a ser devidamente tratado. Já aqui trouxe um post em que o plástico tratado virava petróleo, agora torna-se em tábua com usos muito semelhantes à madeira. Estamos a caminho de acabar com a praga deste produto não biodegradável que infestava os lixos de todo o Mundo.