30/11/2010

Para nos mantermos sempre jovens temos de abrir o coração e a mente.



"Afinal o que é ser-se velho? É ter rugas e cabelos brancos ou não ser capaz de evoluir? É que para permanecer psicologicamente jovem as operações de estética e o ginásio ajudam pouco
Há pessoas que, graças a tratamentos hormonais, ginástica, cirurgia estética, maquilhagem e moda, continuam a parecer jovens, mesmo tendo 70 anos. E alguns também são jovens no seu interior. Já outros têm um interior envelhecido. Que significa exactamente ser jovem ou ser velho? Os jovens lembram--nos animais juvenis: crias fofas, flexíveis, brincalhonas.

Na criança vemos vivacidade, frescura e espanto. Para nós, os jovens têm muita energia, são rápidos, animados e recuperam rapidamente as forças. No plano mental, são curiosos, fazem experiências, aprendem rapidamente, acreditam no futuro, adaptam-se às várias circunstâncias, pensam para além dos esquemas existentes e são criativos, construtivos. Nos velhos, todas estas características se tornam mais rígidas. Mas será mesmo assim? Serão mesmo assim todos os jovens que conhecemos? Não. Muitos são pessoas de hábitos, seguem passivamente as modas, as orientações do grupo, perdem tempo com jogos parvos. Outros são preguiçosos, não lêem, não estudam, não conseguem concentrar-se, não acreditam no futuro, não sabem definir nem seguir metas. Portanto as qualidades que descrevemos como sendo típicas da juventude estão presentes em algumas pessoas excepcionais com uma grande inteligência, abertura mental, capacidade de criar e de renovação contínua.

Goethe, Freud, Marie Curie, Simone de Beauvoir, Verdi, Puccini, Charlie Chaplin permaneceram sempre jovens. Mas não é essencial possuir o génio deles para permanecer jovem. Basta cultivar as nossas qualidades humanas. Há muitas pessoas que ficam psicologicamente velhas com trinta anos porque se encerram em hábitos, preconceitos e horizontes ideológicos, não aceitando o que é novo ou diferente.

Controlam as emoções, não enfrentam novos problemas, tornam-se rígidas e repetitivas. E se graças à ginástica, às dietas, à cirurgia estética conseguem parecer fisicamente jovens, quando começam a falar percebemos que são iguais ao que eram no passado.

Velho é quem não evolui. Para permanecer psicologicamente jovem, o exercício e as operações estéticas servem de pouco. É preciso um coração e uma mente abertos, aceitar a humanidade em todas as suas formas, observar, estudar o que é novo, tentar compreendê-lo, não seguir a manada, não seguir as modas, não se deixar arrastar pela corrente, pensar pela própria cabeça, viver as emoções, procurar o que é intenso e essencial e rejeitar o resto."

Francesco Alberoni - Sociólogo, escritor e jornalista

6 comentários:

Zé do Cão disse...

Texto giro. Sou ainda uma criança para poder apreciar se sou Jovem ou Velho.
Talvez velho de aparência...

Talvez jovem na inocência...

Um abraço

A. João Soares disse...

Amiga Fê,

Tive um chefe que gostava de elogiar com a seguinte frase: eu não faria melhor!

Como velho, apego-me a esse momento antigo e digo: eu não escreveria melhor!
Mas não quero sentir-me velho e digo que há pequenos segredos para manter a juventude que Francesco Alberoni muito bem define. IMitar a criança (que no primeiro ano de idade aprende mais coisas do que no resto da vida). manter a curiosidade, perguntar PORQUÊ?, procurar compreender tudo, analisar cada coisa até ao mínimo pormenor possível. Com isso, cria-se uma atitude de humildade, não se condena, antes se sugere outro caminho que nos parece mais racional.
Pensar em coisas fora da rotina e procurar compreender, por exemplo, o fenómeno dos extraterrestres, ou a ambição dos políticos sem olharem a meios..., a aparente convicção de um tirano ou de um bandido, ou corrupto. Porquê???

Um post com muito interesse que voltarei a ler com atenção.

Beijos
João
Do Miradouro

Marli Borges disse...

Olá!!
Muito oportuna essa reflexão! Juventude e velhice um binômio que sempre dá o que falar!

Luis disse...

Minha Querida Amiga Fê,
Belo post que vem ao encontro do que defende o nosso blogue. Há jovens que são velhos e idosos que são jovens. É o seu estar na vida que os define. Um grande beijinho muito amigo.

orvalho do ceu disse...

Olá,
Explorar o novo é um desafio para mim mas estou evoluindo bem nesse campo... é necessário!!!
Abraços fraternos

celle disse...

Fê,quando pequeninos, nosso corpo é frágil e nossa inteligência, gigante, é quando mais aprendemos.
Na melhor idade precisamos usar o que aprendemos pela vida, nossa sabedoria, nossas muletas ou bengalas para ajudar ainda, nosso corpo frágil se manter de pé, com dignidade...
Beijos
Celle