15/11/2010

Tabaco, droga a evitar

Correio da Manhã. 15-11-2010. Por: Ana Carvalho Vacas

Dia Nacional do não Fumador

Vinte por cento da população portuguesa é fumadora. O alerta foi dado por Paulo Vitória, da equipa coordenadora da linha SOS Deixar de Fumar, na apresentação dos resultados da campanha anti-tabaco HELP, que decorreu esta segunda-feira na sede do Conselho Nacional da Juventude, em Lisboa.

"O tabaco é uma causa de morte em Portugal, e porque não torná-lo numa causa de vida” apelou o responsável nas vésperas do Dia Nacional do Não Fumador, que será assinalado na quarta-feira, dia 17.

Paulo Vitória acrescentou que os jovens começam a fumar cada vez mais cedo, uma realidade que afecta mais as raparigas que os rapazes. “O pico situa-se entre os 13 e os 15 anos”, disse.

A linha SOS Deixar de Fumar é uma linha telefónica que apoia fumadores, através de conselhos e informações de tratamento, e também não fumadores, esclarecendo possíveis dúvidas.

“Cerca de 82 por cento das pessoas ligam porque querem deixar de fumar e destes, aproximadamente 75 por cento já tentou deixar de fumar” refere o responsável, salientado que muitos fumadores conseguem deixar de fumar sem o apoio de profissionais. “A força de vontade é fundamental” conclui.

Estima-se que, anualmente, mais de cinco milhões de pessoas morrem em todo o Mundo devido ao tabaco.

Imagem de Jupiter Images

7 comentários:

Suziley disse...

Oi, João:
Aqui, também, no Brasil, há um grande número de jovens fumantes. Infelizmente. É preciso vencer este vício para preservar a saúde. Conscientização e educação sempre. Gostei da postagem. Um grande abraço, boa tarde :)

Luis disse...

Caríssimo Amigo João,
Foi por isso mesmo que deixei de fumar há mais de 30 anos... O estado manda pôr nos maços que o "tabaco mata", mas como ganha muita "massa" com ele não proibe a sua venda!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Olá Suziley,

É um vício terrível que destrói o aparelho respiratório. Os homens estão a desviar-se do vício, mas as mulheres estão a mostrar-se mais frágeis e sem força de vontade para o abandonar. Enfim, está a tornar-se num vício feminino.

Será bom que as pessoas deixem de correr risco tão demolidor

Beijos
João

Saúde e Alimentação

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Os políticos, como muita gente tornam-se escravos do dinheiro. O vil metal tem arrastado as pessoas para um moderno tipo de escravatura, se que é difícil sair. Mas há pessoas que têm mostrado ser possível viver com muito pouco dinheiro como podes ver nos seguintes posts:
- Dinheiro não dá felicidade
- Mark Boyle: Há um ano sem dinheiro
- Dispensar excessos, consumismo e ostentação
- Simplicidade na vida
- Elogio da simplicidade

Abraço
João
Do Miradouro

Fê-blue bird disse...

Amigo João:
Infelizmente uma realidade cada vez mais comum, apesar de saberem os riscos de tais hábitos.
Felizmente cá em casa ninguém fuma.

beijinhos

Luis disse...

Caríssimo Amigo João,
Complementando o que já comentei li hoje no CM que o estado "arrecada" mil milhões de euros/ano com o tabaco o que perfaz3,9 milhões de euros dia... Não sabemos é quanto gasta na saúde por via destes ganhos!!!
Um forte e amigo abraço.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

A maior droga deste país são os políticos que temos tido. Têm que sacar o máximo através de todos os truques a que chamam impostos com os mais variados nomes. Falta uma lista de todos os tipos de saques que fazem ao nosso dinheiro, desde as portagens ao IRS. Eles precisam de viver bem, com os carros mais caros do mundo, com a maior quantidade de «boys» e «girls», aboletados nos gabinetes de sorvedouros do nosso dinheirinho, e se os gabinetes não chegarem para mais incompetentes, criam mais insituituições, fundações, mesmo que venham criar sobreposição e confusão com serviços já existentes.
Isto está bem claro em

Onde se cortam as despesas públicas???
Dezenas de institutos públicos a extinguir
Fundação Cidade de Guimarães
BE questiona ministra sobre 27 cargos directivos para parque do Côa

O problema está bem identificado, bem equacionado. Basta haver honradez, coragem, sentido de Estado, sentido de responsabilidade, VONTADE, para o resolver.

Um abraço
João
Do Miradouro