17/10/2009

QUE SURPRESA AGRADÁVEL

Café reduz risco de Alzheimer


Estudo publicado na Journal of Alzheimer’s Disease* sugere que o consumo regular de café tem um impacto positivo sobre o sistema nervoso central, reduzindo o risco de aparecimento das doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzhemier.

O consumo de café não ajuda apenas a manter-nos acordados! Tudo indica que o consumo regular e contínuo de café interfere positivamente no sistema nervoso central e estimula o cérebro, ao ponto de prevenir ou retardar o aparecimento da doença de Alzheimer.

O estudo Cardiovascular Risk Factors, Aging and Dementia (CAIDE), da responsabilidade da Universidade de Kuopio (Finlândia) em colaboração com o Instituto Karolinska (Suécia) e o Instituto Nacional de Saúde Pública Finlandês, decorreu durante 21 anos e acompanhou um grupo de cerca de 1400 homens e mulheres. As observações finais revelaram que apenas 61 dos participantes desenvolveram algum tipo de doença neurodegenerativa, dos quais 48 Alzheimer.

Controlados os factores sócio-económicos e de saúde dos participantes que pudessem interferir no resultado (colesterol, tensão arterial), os investigadores constataram que os que bebiam entre três a cinco cafés por dia estavam 65% mais protegidos de desenvolver algum tipo de doença neurodegenerativa, quando comparados com os que bebiam dois ou menos cafés por dia.

O neurologista Miia Kivipelto, do Instituto Karolinska, coordenador do estudo, reforça que apesar de se tratar de um “estudo observacional”, é possível explicar por que motivo o consumo de café pode reduzir a ocorrência de doenças degenerativas na terceira idade. As razões são simples e prendem-se com a redução dos factores de risco associados a este tipo de doenças. Primeiro: inúmeros estudos associam o consumo de café a uma menor incidência de diabetes tipo 2; Segundo: estudos desenvolvidos em animais mostram que a cafeína reduz a formação de placas de ateroma no cérebro; Terceiro: o café é rico em antioxidantes, que actuam sobre o sistema circulatório, reduzindo o risco de AVC.

Assim, à luz dos conhecimentos actuais, podemos identificar algumas boas razões para beber café:

  • O café melhora o estado de alerta e concentração
  • O café é rico em compostos antioxidantes, benéficos para a saúde, que oferecem protecção contra várias doenças como as doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro;
  • O consumo de café (4 ou mais chávenas/dia) pode diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo:
  • A ingestão crónica de café pode reduzir o risco de demência;
  • O consumo de café está associado a uma menor incidência de doença de Alzheimer e de Parkinson ;
  • O café melhora a memória quando existe deterioração cognitiva devido a alguma doença subjacente;
  • O consumo de café (4 ou mais chávenas/dia) pode diminuir o risco de desenvolver gota em 40%;
  • O café diminui a absorção de glicose (açúcar) no intestino podendo ajudar no controle do peso;
Milai

****

7 comentários:

Ana Martins disse...

Estas são pois excelentes notícias Mara. Já tinha ouvido falar que o café diminuia o risco de Alzheimer e Parkinson, mas quanto ao resto desconhecia totalmente.
Pela parte que me toca, gosto imenso de café e nunca bebo menos de quatro por dia. Já várias vezes me tinha questionado se não seria demais. A minha Mãe por ex. anda sempre a dizer-me que bebo muito café, mas como já é um vício,tenho mesmo que o tomar, caso contrário sinto a falta dele. Depois também tenho Tensões baixas e se por qualquer motivo me for impossível tomar mesmo café, fico com dor de cabeça.

Beijinhos,
Ana Martins

Sonia Schmorantz disse...

Obrigado por me dar mais um bom motivo para tomar este cafezinho, que é uma delícia, rsss
Um abraço, lindo domingo

A. João Soares disse...

Quarida Amiga Milai,

Vamos sempre aprendendo. Tomo pouco café mas devo reforçar a dose. Aconteceu-me em 1982 numas condições em que era difícil resistir ao café que me era «oferecido» várias vezes ao dia, ter tido uma crise de hemorróidas e a médica recomendou evitar abuso do café e das azeitonas.
Curiosamente, agora são enfatizados os benefícios de ambas estas coisas! Realmente andamos sempre a aprender.

Transcrevi este post para o blogue Saúde e Alimentação
Beijos
João

Mara disse...

Queridos Amigos ANA, SÓNIA E JOÃO,

É com grande alegria que todos tenham ficado contentes por saber que podem tomar o seu cafézinho mais à vontade. O que a Ana diz é exactamente o que eu digo e sinto. A Sónia já pode pode também tomar o seu cafézinho que até lhe vai saber melhor. O João fala em café e azeitonas!!! O café é um pequenino momento de felicidade que nos dá boa disposição por horas. As azeitonas nunca faltam mo meu frigo.
Eu digo muitas vezes "abençoadas as mãos que cultivam a planta do café".
São coisas assim, pequeninas/grandes que temos que agradecer todos os dias.
Faz-nos bem tomarmos conhecimento destas notícias para vivermos sem tantos medos.

Beijinhos
Milai Mara

Maria Letra disse...

Amiga Milai,
Também já tinha lido diversos artigos onde é dado lugar de honra ao café, por evitar essas doenças, tão em moda actualmente. Mas daí a abusarmos dele ... irá uma grande distância, amiga Ana. Minha irmã tinha o mesmo problema da Ana. Recordo bem esse período em que as suas dores de cabeça eram de tal ordem que ela tinha de ir à procura dum café, se estivessemos na rua e, o que é curioso, é que lhe passavam poucos minutos depois de tê-lo tomado. Lentamente, começou a diminuir a dose diária e, hoje, passa dias que não o bebe e as dores de cabeça também não voltaram. Atenção aos que sofrem de tendência para hipertensão, o que não é o caso da Ana, pois o abuso do uso do café, nesses casos, pode trazer graves consequências. Não se trata de não tomá-lo, trata-se de dosear a sua ingestão. A minha opinião, amigo João Soares, seria a de manter-se na dose que tem, não passando dos dois cafés diários, mas quem sou eu .... Quanto às azeitonas, pelo que tenho lido, depende da qualidade da azeitona e na forma como é tratada até ao seu consumo. Como sabe, algumas azeitonas vêm temperadas, muitas das quais saborosíssimas, sobretudo aquelas nas quais foi usada uma mistura de condimentos do tipo italiana, maravilhosas mas que, sempre na minha opinião, a sua tolerância depende da sensibilidade de cada um de nós. Eu, por exemplo, USO E ABUSO, às vezes, das que vêm no seu estado natural e que não são ácidas. Nunca senti qualquer problema. Contudo, se comer um certo tipo de azeitonas, eu sinto-me muito mal.
Eu tive um competentíssimo médico Japonês que me dizia: o médico pode prescrever a um doente, aquilo que aprendeu seja conselhável para o doente, nomeadamente os alimentos, no entanto, quem dita as leis do seu uso é o organismo dele. Isto a propósito de recomendar-me que não comesse pão branco, feito com farinhas refinadas, o qual deveria ser substituído por pão fabricado com farinhas integrais. Reagi mal a esta recomendação pois o meu coração batia desordenadamente sempre que o comia e, portanto, passei ao pão "meio termo", que ainda hoje como.
Se, naquilo que escrevi, existe algo que mereça ser discutido, seria bom que o fizessemos pois a experiência de cada um merece muita reflexão. É com essas experiências que se fornecem dados aos investigadores.
Um grande abraço a todos.
Maria Letra

Fernanda disse...

Amiga Milai,

Tal como a Mizita, já estava informada dos benefícios do café. Contudo e como ela própria salienta e muito bem, esta não é uma regra aplicável a todos nós.
Cada caso é um caso, e esta ideia magnífica de que se pode tomar ¾ ou mais cafés por dia não é aplicável a todos nós.
EU NÃO POSSO, de maneira alguma tomar um só café por dia, só descafeinado, o que não tem nenhuma das vantagens citadas, porque é exactamente a cafeína que tem todas as vantagens que enumeraste.
O meu sistema nervoso não mo permite, infelizmente.
O café está também proibidíssimo a quem tiver úlceras ou gastrites, etc.

Não há regra sem excepção. Cuidado e não generalizem.

Beijinho

Luis disse...

Amiga Milai,
Gosto muito de café e sem acuçar para pode-lo saborear melhor. Sabia das suas qualidades mas não abuso exatamente porque tudo tem o seu reverso da medalha. Na vida devemos ser moderados pois dessa maneira diminuimos os riscos que podem advir para a nossa saúde!
Beijinho.