13/10/2009

UM BARCO NO MAR...

Imagem da net


Um barco no mar,
Um adeus na areia,
Dois olhos perdidos
Na maré cheia...

Corações apertados
E temores refeitos
No barco falado
Na foz dos anseios...

E o mar da desdita
Como um lobo feroz,
Cruel ceifa a vida
A pais e avós...

Cá deste lado,
Na areia molhada
Chora o órfão, o fado
Da vida ceifada!


Ana Martins
Escrito a 10 de Outubro de 2009

HOMENAGEANDO OS PESCADORES QUE O MAR LEVOU!


7 comentários:

Luis disse...

Querida Ana,
Linda homenagem aos que o mar levou! E como eles a merecem...
Merece o nosso inteiro aplauso pela sua lembrança. São eles, os soldados da paz e os agentes da segurança sempre esquecidos e que tão solidários são!Bem haja pela sua iniciativa que alem disso é tão bela.
Um beijinho.

Kyria disse...

Ana,
lindo e tocante poema. Fiquei emocionada, este assunto mexe muito comigo. Bjs

A. João Soares disse...

Amiga e colega Ana Martins,

Uma linda forma de expressar os sentimentos das pessoas mais ligadas aos vitimados pelo mau tempo e outros factores que provavelmente poderiam ter sido atenuados com melhores precauções.

Beijos
João

Mara disse...

Querida Ana Martins

Quantos pais, irmãos, avós, tios, primos...deixam a chorar na areia as mulheres, irmãs, tias, filhos e filhas.
É este um triste episódio muito comum na vida dos pescadores. Saiem para as águas para poderem alimentar os seus e por lá ficam, muitos deles na flor da idade.

Belo e triste poema. Nem tudo é belo...

Beijos
Milai

Gisele Claudya disse...

Que lindo poema!
Adorei.
Beijocas, meu amigo.

Maria Letra disse...

Querida Ana,
Obrigada por este poema triste, que me recorda a minha infância e o sofrimento, não só dos que vão para o mar mas, dtambém, os que ficam em terra.
Um grande beijinho.
Maria Letra

Fernanda disse...

Querida amiga,

Parabéns por este lindíssimo poema.
Este teu poema fez-me lembrar a canção do Mar de Dulce Pontes. "Fui ao mar cruel".
O mar ceifa a vida de muitos que deles vivem, é sem dúvida uma triste realidade.
Beijos