09/10/2009

Herta Mueller venceu o Prêmio Nobel 2009

Notícia conhecida desde ontem, mas indubitavelmente tão pouco esperada que surpreendeu até a própria autora.
Como a maioria dos portugueses, também nunca li nada desta autora, mas é com enorme felicidade que relembro que ela é a Nobel da Literatura, salientando que desde 1909 ela é tão-somente a 13ª a conseguir esta proesa.

"A escritora alemã nascida na Roménia Herta Mueller venceu o Prémio Nobel 2009 na categoria literatura nesta quinta-feira, por conta de uma obra "com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, que descreve a paisagem dos excluídos''. A autora tem apenas um livro publicado no Brasil: "O compromisso", lançado em 2004 pela editora Globo e em Portugal são dois: O homem é um grande faisão sobre a terra, com tradução de Maria Antonieta C. Mendonça (Cotovia, 1993); e A terra das ameixas verdes, com tradução de Maria Alexandra A. Lopes (Difel, 1999).”

“A minha escrita sempre tratou de como uma ditadura surge, como uma situação pode ocorrer em que um punhado de pessoas poderosas dominam um país e o país desaparece, e só resta um Estado - disse Mueller à Reuters.
- Acho que a literatura sempre emerge de coisas que fizeram dano a alguém, e há um tipo de literatura em que os autores não escolhem seu assunto, mas lidam com um que lhes foi lançado -não sou a única escritora assim.”
Para mais informação ler herta-mueller.

Mulheres que já venceram o Nobel de Literatura
ESTOCOLMO, Suécia — A escritora alemã de origem romena Herta Müeller, vencedora do Nobel de Literatura de 2009, é a 12ª mulher a receber o prestigioso prémio.

A seguir a lista de mulheres vencedoras do Nobel de Literatura:

2009 - Herta Müller (Alemanha)
2007 - Doris Lessing (Grã-Bretanha)
2004 - Elfriede Jelinek (Áustria)
1996 - Wislawa Szymborska (Polônia)
1993 - Toni Morrison (EUA)
1991 - Nadine Gordimer (África do Sul)
1966 - Nelly Sachs (Suécia)
1945 - Gabriela Mistral (Chile)
1938 - Pearl Buck (EUA)
1928 - Sigrid Undset (Noruega)
1926 - Grazia Deledda (Itáalia)
1909 - Selma Lagerloef (Suécia)
Pesquisa e foto da InterNet.
Fernanda Ferreira

10 comentários:

Luis disse...

Querida NÁ,
Ainda bem que assim aconteceu pois as mulheres por vezes ficam esquecidas neste tipo de prémios.
Por isso fez bem em realçar este caso pelo mérito que ela merece ver realçado e pelo tipo de pensamentos que a escritora nos apresenta. Parece ser alguém que luta por uma sociedade mais igualitária e solidária.
Parabéns por este belo e justo post!

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

É seguramente um prémio justo, uma vez que toda a sua obra e vida foi dedicada à luta contra a ditadura.

Depois, e como diz, as mulheres devem e merecem ser reconhecidas pelos seus talentos de igual modo como os homens.

Parabéns para Herta Mueller e todas as mulheres que ousam desafiar, como podem, porque não pela escrita, os seus valores.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Caros Amigos,

Será que serei assim tão iletrado? De todas estas premiadas poucas conheço!!!
O que se passa por detrás do pano destas nomeações? Que interesses predominam?

O António Lobo Antunes tem feito um esforço enorme para ser premiado e agora circula um pequeno excerto de um livro seu, em que não se livra do epíteto de que «bolsou outra vez» , por ter ofendido com mentiras inconcebíveis uma geração de homens portugueses agora com perto de 60 anos. Destaco uma frase de um comentador «Será que nos "almoços do batalhão", ainda ninguém se sentiu filho de boa gente, propondo que se lhe chegasse a roupa ao pêlo?»
Prémios e outras comendas, nem sempre merecem parabéns.

Cumprimentos
João

M@ disse...

Também vou participar no concurso.
Desejo um bom fim de semana.
Manuela

Manuela Araújo disse...

Olá amiga Fernanda

Mesmo com essas mulheres todas a ganhar o Nobel da literatura, são muitos mais os homens que o ganharam.

Beijos

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Não gosto de ler António Lobo Antunes, acho que ele abusa do uso de frases demasiado longas o que torna a leitura tediosa.

Se precisava de uns açoites ou não...não sei, mas se o João implicitamente diz que sim, é porque sim.

Não nego que fiquei feliz por ser uma mulher a ganhar, são tão pouquinhas as que ganharam, conhecidas ou desconhecidas, devem todas ter merecido.

Já agora, o Nobel da Paz é bem mais estranho...quanto a mim foi dado a alguém que sim fez promessas, espero que as honre, mas não posso deixar de achar que o prémio é prematuro.

Beijinhos

Fernanda disse...

Olá Manuela,

Fui saber quem era, mera curiosidade...vai então entrar no concurso da Aldeia da Minha Vida, também eu.
Espero que nos apresente um petisco regional e delicioso.
Boa sorte!

Bom fim de semana para si também,
Bjs.

Fernanda disse...

Querida amiga Manuela,

Claro que sim, que as mulheres comecem a ter o lugar de destaque que merecem.

Beijos

Pedro Ferreira disse...

Querida mãe,

Mesmo aqui ao lado e também não conheço, nunca ouvi falar.
Mas, como tal como tu, acho que se foi distinguida tem que ter mérito, tem seguramente!!!

Beijos e abraços,
muitas saudades.

Pedro Ferreira

Fernanda disse...

Olá Pedro!

Pois é ! ela vive na Alemanha, mesmo quase aí ao lado.

Merece com certeza absoluta, não fosse ela uma mulher que se exilou mas lutou sempre pelo seu país.

Beijinhos querido da mãe que te adora.