12/10/2009

Não deixem secar a fonte!


Não é por acaso que tenho recebido, diariamente, mensagens duma AMIGA, muito querida, a qual, e apesar de todas as provas nefastas a que têm sido ultimamente posta à prova, ainda assim tem este gesto de rara dedicação e de carinho extremo.

Para esta minha amiga, que muitos conhecem e outros conhecerão, peço um pensamento positivo, cheio do mesmo amor que ela é capaz de dedicar a todos que a visitam no seu Blogue Sou pó e Luz .


"Os humanos desiludir-vos-ão, far-vos-ão sofrer, isso é inevitável, mas deixai a vossa nascente correr, isto é, não pareis de amar.
Vós direis: «Mas nós estamos fartos de ser sempre maltratados, enganados, lesados.»
Mais vale ser maltratado, enganado e lesado do que impedir a sua nascente interior de correr. As perdas e as decepções, vós podeis sempre repará-las, mas, se a nascente do amor já não corre, estais perdidos, tornais-vos, interiormente, um pântano.
Evidentemente, é desejável saber como orientar a água dessa nascente, como a canalizar, para ela não ir correr para qualquer lugar, qualquer jardim, e aí favorecer o crescimento das ervas daninhas ou das urtigas.
Não se deve deixar secar a nascente, mas não é proibido protegê-la.
E o que se deve fazer com os outros?....
Isso não é connosco, a vida encarregar-se-á deles."


Omraam Mikhaël Aïvanhov

Foto da Ná
Fernanda Ferreira

12 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

«Não pareis de amar». Não nos consideremos maltratados e lesados. Não fervamos em pouca água. Não afastemos os nossos amigos por coisas de somenos.
Amar os outros faz bem a nós à nossa paz interior.

É bom reflectirmos em textos como este.

Beijos
João

Luis disse...

Bons Amigos,
Visitei o blogue em causa e voltarei lá pois deu-me tranquilidade! Neste mundo tão agressivo precisamos de um oásis para retemperar e não deixar secar a fonte do Amor. Sem Ele nada seremos!!!
Obrigado NÁ por estas suas dicas.

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Entendo muito bem onde quer chegar, mas está redondamente enganado e sempte dou provas do que aqui afirmo.
A excepção é a de "ferver em pouca água", é o meu calcanhar de Aquiles. Todos temos o nosso, ou não???

Beijinhos

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

É exactamente assim que me sinto sempre que que lá estou.
Fico feliz que tenha gostado, volte sim, é um lugar encantado, povoado por fadas boas e carregado de paz.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Não entendeu nada bem onde eu queria chegar. Não ataco pessoas e neste caso, sem preconceitos, refiro-me às pessoas em geral. Se vir um comentário que fiz há dias à nossa amiga Milai, verá que adoro as lições da água corrente e disse nesse comentário ela que é com muito agrado que refiro a essas lições. Agora estava lançado para escrever mais uma reflexão sobre a água e tive em atenção aquilo que aconteceu com a sua certeza absoluta. Vê ameaças onde nem sombras estão.
O texto diz «não pareis de amar». Ora, o receio só existe onde não há amor, onde falta a confiança onde as pessoas se consideram «maltratadas, enganadas e lesadas» Refiro o texto!!!

Beijos
João

eduarda disse...


A Mariz é uma amiga, que foi colocada ,no meu caminho de "procura".
Apesar de todas as forças negativas que ultimamente lhe têem surgido, a "Sua Fonte" não seca.
A Mariz é um rio de amor , carinho e luz que vai desaguar num mar de alertas, que nos ajudam a tornarmo--nos seres melhores
Um beijo grande,

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Responde-lhe com este belo poema do Eugénio de Andrade, só porque me veio ao pensamento e o adoro.

"Sim, eu conheço, eu amo ainda
esse rumor abrindo, luz molhada,
rosa branca. Não, não é solidão,
nem frio, nem boca aprisionada.

Não é pedra nem espessura.
É juventude. Juventude ou claridade.
É um azul puríssimo, propagado,
isento de peso e crueldade.

Beijinhos

Fernanda disse...

Querida amiga Eduarda,

Muito obrigada, do coração, por ter vindo até nós para comentar este texto que a nossa amiga Mariz teve a amabilidade de me enviar esta madrugada.

Sinto o mesmo, tenho a certeza que o seu amor pelos outros é inesgotável.

Tenho esperança que ela supere todos os momentos maus que lhe têm surgido.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Minha querida Amiga Ná,

Com estas duas quadras consolida a sua consonância com o texto da Mariz, Uma fonte de amor pelos outros que nunca se esgota, apesar de eventuais aparências de receio e ressentimento. As aparências iludem. Não a rapazes maus, como dizia o Padre Américo. Curiosamente, nunca ouvi dizer coisa semelhante das raparigas!!!
É que os homens são amigos e tolerantes entre si, o mesmo não se passa entre as mulheres!

Beijos
João

Fernanda disse...

Querido João,

Mais uma vez 100% de acordo consigo.

Por isso eu sempre preferi a companhia dos rapazes, mesmo a dos meus dois irmãos à minha própria irmã.

Embora essa do Padre Américo também não ser tão exacta assim, há rapazes e raparigas boas e más, só que os rapazes, como diz, são bem mais tolerantes.


Fernanda Ferreira

PS. Tenho a cidade de Braga no Rau.

Ana Martins disse...

Querida amiga Ná,
Quem conhece a Mariz, sabe que a sua fonte de amor é inesgotavel e que a sua beleza interior é infinita.
A Mariz é uma Mulher muito forte e a sua fé é inabalavel.
O meu pensamento positivo hoje vai para ela... Força Mariz!

Beijinhos,
Ana Martins

Fernanda disse...

Querida amiga Ana,

Se alguém conhece bem a Mariz és tu, que ma apresentaste, sempre a admiraste profundamente, eu sei.
Sei também, apesar de estarmos unidas há menos tempo, que é verdade...sei da sua força interior e da sua capacidade de dedicação aos outros, do seu infinito amor pelos outros.
Ela é única.
Junto-me a ti nesse voto de Força.

Obrigada amiga.
Beijos