19/10/2009

Oceanário




Em nossa visita à Lisboa, fomos também ao "Parque da Nações"
Local da realização da Expo-98, quando das comemorações dos 500ºaniversário da viagem de Vasco da Gama à India.
Zona charmosa, junto ao Tejo, diferenciada, moderninha, e auto-suficiente....
Contrasta suas belezas com as belezas centenárias dos monumentos históricos e patrimônios da UNESCO, principalmente os de construções e artes manuelinas.
Bem moderna, seus prédios excelentes, de arquitetura portuguesa recente e bem avançada, sobressai chamando atenção do turista e de quem por ali passa!!
Durante o dia um grande parque de diversões, e de comércio, à noite um local cultural
e artistico com eventos e concertos e uma vida noturna jovem com gente bonita; o casino de formato interessante, recentemente inaugurado e uma Torre que se assemelha a um hotel de Dubai. rsrs
Um Espaço amplo que abriga várias e grandes construções cercadas por amplas calçadas e jardins. Em Lisboa o verde existe por todo lado, chamou muito nossa atenção!
O tempo nos obrigou usar o teleférico para lá de cima apreciarmos tôda a região. Não poderiámos visitar tudo devido a visita que faríamos ao oceanário!
Tomamos o Teleférico, apreciamos o rio Tejo. Nos lembrou o mar. Admiramos lá mais adiante um comprido prédio de cobertura esverdeada, A Estação do Oriente com seu imponente teto em estrutura metálica.
Soubemos ser o local da integração entre, os vários meios de transportes existentes em Lisboa: Metro, Bonde, Taxis, Comboio, Ônibus etc. Interessante!
O pavilhão de Portugal, e demais locais:
O Pavilhão do Conhecimento - Ciência e Vida,
O Centro Náutico - esportes
Jardins das Aguas e Jardim das Ondas
convidam ao descanso e laser.
Restaurantes grandiosos, bonitos, como tudo ali
e muitas Lojas que não entramos.
Descendo do teleférico nos dirigimos ao Ocenário, maravilhoso, um dos maiores aquário da Europa, onde passamos momentos inesquecíveis.
Alí alberga centenas de espécies, organizadas por habitat e visiveis em dois níveis.
Um tanque central com espécies grandes e pequenas, que nadam circulando irriquietos.
UM tanque ao lado vivem lontras dengosas, e pinguins da Antartica que usam as asas apenas para nadar.
E existem vários outros aquários, ao lado do grande, com peixes e demais habitantes do fundo dos mares, animais, aves, rochas e plantas marinhas dos diversos oceanos!
Desde o tropical, os temperados e os gelados: ártico e antartico.
Tudo deslumbrante, só vendo.
Embora, o ar refrigerado estivesse muito frio...
Me esquecí de algum local?
Há! - a Ponte Vasco da Gama , morri de vontade de atravessá-la, não deu!
Ainda volto pra passar por ela!...
Adeus!

3 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Amiga Celle,

Como português agradeço à amiga brasileira que tão bem descreve o «Parque das Nações» e todas as suas belezas. Apaixonadamente.
É uma lição para essa tal Maitê que cuspiu nos portugueses que tão bem a receberam.
Parabéns pelo seu relato, simples mas completo, que mostra um dos grandes feitos, do Portugal moderno, recuperando uma zona que estava mal aproveitada e de que resultou uma beleza.

Beijos
João

Fernanda disse...

Querida Celle,

A sua estadia em Lisboa foi muito proveitosa, e fez-lhe muito bem, está mais solta, até parece mais portuguesa,ahahaha!

Felizmente aparece alguém BRASILEIRO que se apaixonou por Lisboa.

Obrigada amiga pela descrição calorosa que faz das suas experiências no nosso país.

Beijinhos

Luis disse...

Querida Celle,
Repetindo os comentários do João e da NÁ linda a sua descriçao do que viu e bem pormenorizada ainda que feita sintéticamnete! Mostra o seu encanto por tudo quanto viveu nestas terras lusitanas. Merece um grande beijinho e todo o nosso carinho. Volte sempre!