15/10/2009

Que Maçada Maçadora!



Não estou em mim, que surpresa!
É que em Vilar de MAÇADA,
Lá p'rós lados de Alijó,
Cidade bem Portuguesa,
Foi onde nasceu um Virgem!
Que MAÇADA, vejam só,
De nome seu, José Socrates.
É, portanto, um MAÇADOR.
Vamos ter de aguentá-lo.
A menos que alguém decida,
Sem piedade, ou amor,
Do seu poder retirá-lo.
Cá por mim, não disse nada.
Já cá não está quem falou.
Mas que é MAÇADA, isso é.
Levar com ele mais uns anos,
Não me parece que o Zé,
Que dizem ser do Povinho,
Esteja de acordo com isso.
Portugal é um cantinho
Que precisa de limpar,
Muita coisinha, Deus meu!
Não é bom que o sujo aumente,
Porque a continuar assim,
Não há ninguém que aguente.
Que MAÇADA! Dizer sim,
Ao estado em que as coisas estão,
Cada vez piorando mais,
Corresponde a dizer Não
A um mal que não melhora.
Que MAÇADA MAÇADORA!

Maria Letra
Imagem da net

8 comentários:

singamaraja disse...

Visiting you teacher

Mara disse...

OLÁ MIZITA,
SENTES-TE COM FORÇAS PARA UMAS PEQUENAS FÉRIAS? SURGIU-ME ESTA IDEIA DEPOIS DE LER O TEU POEMA. ANDAVA TRISTE A PENSAR...VAMOS ATURÁ-LO MAIS 4 ANOS?
E O ZÉ DO POVO, COITADO, SEMPRE NA MESMA PASMACEIRA.
ANDA, VAMOS LÁ (AR) E DAMOS-LHE DOIS MURROS BEM DADOS JÁ QUE NINGUÉM TOMA A INICIATIVA. AFINAL. SOMOS MULHERES OU NÃO SOMOS MULHERES!!!
DIZ-ME SE ACEITAS A MINHA IDEIA.
HÁ OUTRA COISA QUE TAMBÉM ANDO A PENSAR... AFINAL PORTUGAL FOI LIMPO OU NÃO? SABES ALGUMA COISA?

BEIJINHOS E PARABÉNS PELO TEU POEMA QUE VEIO DE ENCONTRO A MIM NA HORA CERTA.
MILAI

Luis disse...

Querida Amiga,
Delirei com este seu poema e por isso atrevi-me a colocá-lo na Tulha enriquecendo-a com esta sua sátira!
Realmente tudo isto é "uma maçada maçadora", do estilo "vira o disco e toca o mesmo"! Até quando? As mulheres têm sido o motor dos movimentos para repor a limpeza em Portugal, portanto comecem a pensar como fazê-lo e depressa não venha a ser tarde demais... Estou convosco!!!
Um abraço solidário.

Maria Letra disse...

Singamaraja,
You knocked on the wrong door. Find your way somewhere else.
Maria Letra

Maria Letra disse...

Olá Milai,
Obrigada amiga, mas eu nunca gostei de resolver as coisas à bofetada porque fica-se com as mãos a arder. Prefiro outras formas de luta. E depois quem fica a rir-se? Quem levou no corpo.
Nem sequer quero ir passar férias a Vilar de Maçada, QUE ATÉ DEVE SER UM AMOR DE LOCALIDADE. Mas quem sabe vínhamos de lá de cabeça feita. José Socrates não está assim por qualquer motivo. Deve ter sido um arzinho que lhe deu ..
Já percebi. Estás em dia Não.
Um beijinho muito grande e obrigada pela sugestão, mas NÃO!
Maria Letra

Maria Letra disse...

Obrigada, amigo Luís, foi esse o objectivo: Fazer um poema que virasse sátira.
Com a Milai, como quase sempre, brinquei, mas falando muito com a cabeça em cima dos ombros ... até vamos passar por uma 'GANDA' MAÇADA. 4 anos é muitA tempo!!!!!!
É mesmo maçador, este senhor!
Leve para a Tulha do Atílio o que achar conveniente. Não tenho qualquer problema.
Um abraço e gosto muito dos seus últimos posts. Muito úteis.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Querida Mizita,

Depois sw «e tantas horas longe desta máquina, vou ser rápido. Gosto do poema que me leva a detestar a maçada. Lindo poema com ironia e muito de didáctico para os eleitos e os eleitores. O povo, este bom povo, terá que aprender a defender os seus interesses e não ir atrás de propagandas.
Mas há um raio de esperança. A maioria simples obriga a diálogo e negociação com a oposição o que é muito benéfico para Portugal. Haverá menos decisões erradas e menos recuos, o que representa progresso e economia de recursos em tempo e dinheiro.

Beijos
João

Maria Letra disse...

Obrigada, amigo João Soares, pelo Seu comentário. Estou de acordo consigo, plenamente!
Um beijinho e boa noite.
Maria Letra