25/07/2009

Venham Leandros/Bernardos

Este poema foi inspirado num texto colocado pelo amigo João Soares no seu blogue "Do Miradouro", em 27 de Abril passado, intitulado "Liberdade de Expressão em Perigo". Tal artigo originou uma série de comentários dignos de serem lidos com atenção, alguns dos quias, por sua vez, deram origem a um outro post seu, há dias, intitulado "Um só-cretino". Se ainda não os leram, aconselhá-los-ia a procurarem lê-los com atenção.
...........................

Venham Leandros/Bernardos

De qualquer côr, não importa.

Laranjas, verdes ou pardos,

Entrarão p'la mesma porta.

Pomos só uma condição:

Que entre em democracia,

Não seja camaleão,

Nem nos traga hipocrisia.

Que não venha nenhum lobo,

Disfarçado de carneiro,

Que se diz ser pelo povo,

Mas não passa dum fiteiro.

Defendemos os montões

De seres com fome, oprimidos,

Que se contam aos milhões,

Neste mundo de fingidos,

Onde poucos são sinceros,

E muitos, os aldrabões,

'screvem grandes exageros

E provocam confusões.

Defendemos a cultura

E toda a arte em geral.

Propagamos o que dura

Deste nosso Portugal.

Defendemos a ciência,

Ao serviço do progresso,

Mas não temos paciência

P´ra lutas com retrocesso.

Portanto, amigos leitores,

Deste blogue, em acção,

Somos todos escritores,

Mas o líder, é o João!

14 comentários:

Fernanda disse...

Amiga Mizita,

É impressionante a forma como se escreve assim...eu fico completamente fascinada e rendida.

Se o outro pode ser o tema da campanha Limpar Portugal, este bem podia ser o hino dos Sempre Jovens.
Que tal???

Parabéns
Beijo

Maria Letra disse...

Amiga Ná,
Não teria mérito para tanto. Isto são, como sempre digo, 'desabafos' meus. É que às vezes fico em pólvora com a desfaçatez de certos indivíduos, acredite. Entram vestidos com pele de lobo, pensando encontrar parvos pela frente, mas claro está que o que encontram é um homem cheio de dignidade e valor moral, que não aceita calar uma denúncia que se impõe e, depois, vestem a pele do carneiro.
De qualquer modo, Ná, fico muito feliz com o seu comentário.
Beijinhos.
Maria Letra

Ana Martins disse...

Mizita,
estou de mãos dadas com a Ná, penso que nada mais há a acrescentar.
Hino do Sempre Jovens, soa-me muito bem!

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Querida Mizita,

Não agradeço as palavras com que se me refere por serem muito exageradas. Mas, como português, agradeço o calor deste «hino» à democracia, à frontalidade e contra a hipocrisia camuflada, levada a cabo por um anónimo que, a troco de algo desconhecido, se prestou a esta «adoração» ao deus que colocou num pedestal. A propósito desse ídolo sugiro que faça clique para ver um vídeo muito interessante a propósito de bolsa de estudo

Beijos
João

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
Já vi o vídeo. Mas que dupla! Até os meus netos faziam aquela conta! Que mediocridade.
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Querida Mizita,

Mediocridade é o que diz quem observa e pensa. Mas um fanático LEANDRO/BERNARDO considera que é um super-deus omnisciente e omnipotente. E o povo, na sua inocência, ignorância e apatia, deixa-se arrastar pelas vãs promessas sem reparar que está a ser enganado escandalosamente.
Beijo
João

Maria Letra disse...

Amigo João,
Àparte a mensagem que nos passa o esforço do PM, retratado no vídeo ... Se pensarmos que tenho falado com jovens a frequentar o 9.º ano e NÃO SABEM fazer uma conta de dividir, tudo é possível. Como podemos exigir deles seja o que fôr, com estes exemplos? Ai de nós se não soubessemos fazer contas na 2.ª classe.
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Cara Mizita,

Devemos ser caridosos, misericordiosos, e compreendermos as dificuldade da pessoa. Recorde-se do que foi dito acerca das novas oportunidades e que ele fez essa preparação na Independente embora melhor supostamente melhor devido á amizade do professor Morais de quem, por vezes se sabem notícias «abonatórias».
A ignorância não é defeito. O defeito grave é não ter consciência dela. E pior que defeito é fazer promessas de coisas que não conhecem nem sabem explicar.
Como pode o cidadão acreditar neste género de pessoas?
Mas mesmo assim não faltam LEANDROs/BERNARDOs que, a troco dum punhado de lentilhas, se prestem a propagandear as suas capacidades divinas!!!

Beijos
João

Vitor Chuva disse...

Olá Mizita!

Protesto cheio de força, este, em forma de poesia.
Será que os destinatários o vão ler, pergunto eu?
E, se o fizerem, sera´que ainda lhes resta um mínimo de sensibilidade para a ele reagirem?
Eu gostaria de pensar que sim - e não desista de acreditar!

Muito bem escrito; parabéns!

Um abraço.

Vitor Chuva.

Maria Letra disse...

Obrigada, Victor Chuva.
Eu não sei se os destinatários vão ler o meu poema ou outros textos muito superiores aos meus, aqui publicados, mas o que é certo é que, como digo neste último texto que acabei de postar, o povo português, ao qual pertenço, é muito resistente à espera. Isto é como dar conselhos aos nossos filhos ou aos nossos netos: por vezes entram-lhes por um ouvido e saiem-lhes por outro. Nessa passagem, fica algum resíduo que, mais tarde ou mais cedo, acabará por despertar-lhes a consciência 'adormecida'. Sou dos que acreditam nisso.
Um bom resto de domingo!
Maria Letra

A. João Soares disse...

Querida Mizita,
Continue com esta luta serena, persistente, com esperança num resultado positivo. Como simples cidadãos, não temos outra forma de desempenhar o nosso direito de cidadania, do exercício da quota-parte de soberania que nos compete.
«Água mole em pedra dura tanto bate até que fura», «devagar se vai ao longe», «grão a grão enche a galinha o papo». A sabedoria popular continua válida. Sigamos em frente com a passada que pudermos dar.
Beijos
João

Maria Letra disse...

Bem, amigo, o provérbio não será bem assim ... ou foi o João que o adaptou ao estômago já meio 'encolhido' dos portugueses? Eu conhecia "De grão a grão, enche a galinha o paparrão". Repare que este até se aplica melhor é a certos paparrões que andam para aí ... porque o dos Portugueses está mesmo encolhidinho. O pobrezito não passa dum 'papinho'. Nem papo é.
Um beijinho.
Maria Letra

Maria Letra disse...

Obrigada, Ana.
Passei por cima do seu querido comentário. Peço desculpa.
Um grande beijinho.
Maria Letra

Mara disse...

Querida Mizita,
Ao mesmo tempo que estou a ver a tua neta Filipa a ser entrevistada pelo João Baião, acabei de ler o teu poema "VENHAM LEANDROS E BERNARDOS".
Não sei para que lado me virar, o que primeiro comentar. Tenho que deixar para depois p'ra minha cabeça acalmar !

Até mais logo.

Milai