30/07/2009

Citânia ou Castro do Cossourado

A Citânia ou Castro do Cossourado, no Forte da Cidade, freguesia do Cossourado , perto de Paredes de Coura, fica no topo do monte mais elevado da povoação.

A ocupação deste povoado terá ocorrido entre os séculos II e V a.c., não havendo vestígios de ocupação romana, a não ser posteriormente à construção de umas das principais vias romanas que ligava Bracara Augusta (Braga) a Lucus Augusti (Lugo), na base do Monte do Cossourado.

Um local muito cuidado, em termos de apresentação, com bastantes placas informativas, e com nítidos vestígios de desflorestação de modo a dar mais visibilidade a este local.

Podemos observar duas reconstruções habitacionais (uma redonda e outra rectangular), e à sua volta as escavações organizadas de mais umas quantas casas de tamanho e planta irregulares.
Também aqui encontramos uma Casa do Conselho, duas linhas defensivas e outra mais escondida a Oeste.
Vejam as fotos aqui e se possível visitem.


Fernanda Ferreira

8 comentários:

Ferreiras disse...

Para quem ama história e natureza, encontra aqui um local a não perder.

Eu descobri este local nas minhas voltas de bicicleta, devo salientar que esta Citânia foi restaurada e o seu acesso desflorestado após violentíssimo incêndio, há mais ou menos quatro anos.
Mais adianto, que na altura do abate das árvores queimadas, milhares delas, essencialmente pinheiros e eucaliptos, os madeireiros deixaram por todo o lado os respectivos ramos e tudo o que não tinha interesse comercial, impedindo mesmo o acesso pelo antigo trilho.

Este mesmo local tinha árvores seculares que foram todas abatidas ou queimadas.

Esta parte a Fernanda não mencionou, não que não o soubesse, mas porque só conheceu a Citânia após ser possível o seu acesso a pé. Ninguém chega ao local de carro. Ainda bem.

Obrigado e mais uma vez parabéns pelo tema escolhido.

Beijo
J.Ferreira

A. João Soares disse...

À Ná e ao José,
Os meus parabéns por divulgarem valores culturais, históricos e paisagísticos da sua região. Há por esse terreno fora muita coisa importante. Talvez a campanha para Limpar Portugal evidencie muitas coisas mais ou menos semelhantes que são pouco conhecidas.
Gostei do post com as fotografias que vi Na Casa do Rau.
Divulgar estas belezas é um acto meritório que merece aplauso. O meu aplauso aqui vai.

Abraços
João

Maria Letra disse...

Olá Ná!
Faço minhas as palavras do amigo João Soares. Uma dos meus filhos e nora têm uma casa em Paredes de Coura mas sempre que vou lá, fico-me por ali a brincar com as netas e a conviver com a família de quem tenho tantas saudades, que perco essas boas oportunidades de ver o que há pela região. Quem sabe num futuro não muito distante terei mais tempo, agora que sei haver por perto este cantinho tão bonito.
Parabéns por dar-nos a conhecer verdadeiras maravilhas do nosso País, Ná. Bem haja!
Maria Letra

Anónimo disse...

sempre dixen que si non fora español quixera ser portugues. un abraço.XULLO.

Fernanda disse...

Olá Mizita!

Pois é verdade, conhecemos tão pouco as nossas belezas, a nossas origens estão por aqui, latentes, precisam de ser valorizadas, restauradas, mantidas vivas e VISITADAS.
Beijo

Fernanda disse...

Amigo Xullo,

Sabe que há muitos portugueses que dizem o mesmo?
Gracias por la amable visita.
Un abraço
Fernanda

Pedro Ferreira disse...

Também estive aqui contigo e com o pai :)

Estás mesmo numa de me matar com saudades, brinco, não a sério, continua...
Sabes bem que a saudade é muita, mas é um "sweet bitter taste".
Neste dia fizemos tanta coisa juntos, até fomos ao Pedra Alta, não fomos???

Sabes que para além de me matares saudades a mim, à Fátima que ainda não conhece essa parte de Portugal, há muitos amigos Portugueses e Suíços que já te lêem aqui, aos Suíços eu ajudo com explicações e traduções, eles estão a adorar conhecer o nosso lindo país pela tua mão.

Só tu para o fazeres tão bem.

Muitos beijos e um abração,
Pedro

Fernanda disse...

Obrigada Pedro, sei bem como o teu tempo é escasso para vires comentar.

Escusado será dizer como me sinto feliz por isso, bem como pelo facto de teres gostado.
A intenção não é matar-te com saudades, mas as saudades.

É bom saber que não és só tu que aproveitas para saber do nosso país, muito bom mesmo.

Beijão cheio de saudades,