16/07/2009

Limpemos o País onde Vivemos

Abram-se de par em par todas as portas
A quem quiser entrar, com o seu valor.
Os nossos corações, cheios de esperança,
Querem viver num País com mais Amor.
Juntemos todos num mesmo movimento,
Gritemos à união em alta-voz.
Ergamos no País, um monumento
Em homenagem à Paz e a todos nós.
Meus amigos, companheiros nesta luta,
Para erguê-lo precisamos duma mão,
Com a força poderosa dum elefante
E a persistência, arguta, dum leão.
Temos em nós tudo isso. Oh se temos!
Somos capazes de transportar montanhas.
A História bem conhece o nosso povo,
Por brilhantes descobertas e façanhas!
Comecemos por limpar todo o terreno,
Que pisamos com mágoas e incertezas.
Façamos deste gesto um'obra de arte,
Devolvamos ao País suas belezas.
Juntemos forças, façamos desta obra
Uma lição, um exemplo a não 'squecermos.
Limpemos o caminho que pisamos,
É um começo para melhor vivermos.
E depois de tudo limpo, meus amigos,
Mudemos as marés e as tempestades.
O futuro que queremos, para todos,
Depende de milhões de boas-vontades.
A minha eu darei de corpo e alma.
Espero bem, de ti, a mesma abnegação.
Temos de sobreviver à negligência
E ao desprezo d' alguns pela Nação.

Maria Letra

13 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Amiga Mizita,

Apesar de estar sem Outlook, e sem saber por quanto tempo, consegui saber deste seu poema épico que aplaudo, por uma causa muito válida e já o transcrevi para os dois blogs gémeos.

A data escolhida antecipa-se um pouco à data universal para se reflectir no ambiente e à abertura da década da Terra. Tivemos sorte nisso.

Agora é preciso atrairmos para a operação de limpeza e de combate aos lixos, não só as pessoas mas também as instituições que dispõem de capacidade organizativa, experiência e credibilidade. Teremos gosto em as vermos à cabeça da actividade, porque o nosso objectivo é apenas vermos o lixo eliminado ou, mo mínimo, reduzido substancialmente e, ao mesmo tempo, a sensibilização das pessoas para o evitarem.

Beijos
João

Maria Letra disse...

Estou com vocês, amigo João Soares. Iniciarei amanhã os meus contactos. A minha neta foi passar uns dias a Portugal e, portanto, estarei mais livre para esta iniciativa.
Um abraço.
Maria letra

Conceição Duarte disse...

Pois é, assim deverá ser mesmo! Um país só é uma NAÇÃO quando todos se predispõe a ajudar e a fazer dele o melhor para todos!

Parabéns, um beijo CON

A. João Soares disse...

Cara Conceição,

Obrigada pelas suas palavras de solidariedade. Vejamos se este teste resulta ou se os portugueses estão num coma tão profundo que nada os desperta.
Desejamos ter notícias de que as autarquias estão a dar andamento a esta manifestação, até lhes poderia ser útil como campanha eleitoral para as eleições que se avizinham.
Experimentem limpar tudo antes das eleições e mostrar ao povo o vosso interesse pelo ambiente e pela ecologia.
Mostrem que se interessam pelas boas causas, mesmo que não lhes dêem comissões.

Abraço para a Conceição
João

Ana Martins disse...

Mizita,
P A R A B É N S pelo excelente poema que escreveu e que é uma mais valia ao incentivo por um PORTUGAL LIMPO!

Beijinhos,
Ana Martins

Fernanda Ferreira disse...

Amiga Mizita,

Parabéns por mais este belo poema que é para nós todos como um hino...era bom que alguém o musicasse, assim seria ouro sobre azul e todos o cantaríamos no dia 8 de Novembro.

Beijos,

Maria Letra disse...

Amiga Ná,
Também pedirei a alguém. Entretanto, se houver mais do que um a compôr, far-se-à uma votação.
De acordo?
Maria Letra

Celle disse...

Maninha, você é porreta, mesmo!!!
Junto com o Luiz e o João estão motivando Portugal!
Bravo, bravo, meus cumprimentos...
De longe venho observando e aplaudindo, tentando levar a mesma mensagem por aqui, a minha maneira.
Beijos
Celle

Mara disse...

QUERIDA MIZITA,
NO TEU BELO POEMA ENTRA MAIS UMA VEZ A PALAVRA "AMOR". A PALAVRA MAIS BELA DO MUNDO. O NOSSO ALIMENTO DIÁRIO. SEM AMOR NÃO SE PODE VIVER. OU ENTÃO VIVE-SE MUITO MAL. TODA A GENTE SABE. ATÉ O PROIBIDO APETECE APROVEITAR. ME PERDOEM ESTA AUDÁCIA, MAS É O QUE APETECE PENSAR.
O PAÍS LIMPINHO E O AMOR A PROLIFERAR! A SER VIVIDO! PORQUE SE ASSIM NÃO FOR ENTÃO O MEU POEMA QUE SE SEGUE JÁ NÃO O POSSO APAGAR.

Vitor Chuva disse...

Olá Maria Letra!

Chegando tarde para comentar, julgo que já pouco haverá de novo a acrescentar ao muito que já foi dito.Ainda assim, sempre direi:
- Depois de ler este seu lindo e forte apelo/encorajamento em forma de poema para que todos nós possamos ter um melhor país onde viver, julgo que as campanhas institucionais certamente ficariam a ganhar se adoptassem este modelo.Seria certamente mais apelativo, para além de infinitamente mais bonito e culturalmente enriquecedor!

Um abraço.

Vitor Chuva.

Maria Letra disse...

Amigos Ana, Mara e Victor Chuva,
Quem vive longe, como eu, dos problemas graves que Portugal enfrenta e onde tenho quase toda a minha família, sente um regozijo e uma vontade enorme de 'dar uma mãozinha' quando um movimento se levanta para que as coisas mudem. Aparentemente calma, torno-me uma das maiores entusiastas e determinadas lutadoras quando pressinto a esperança de que alguma coisa pode ser feita. Alguma da minha poesia é disso a expressão.
Obrigada pelas Vossas palavras. São uma doce compensação que, confesso, gosto de receber quando sou invadida por um tumulto de sentimentos que receio não sejam aceites por quem me lê, independentemente de aceitar bem a crítica desfavorável, que muitas vezes eu própria faço ao que escrevo.
Um abraço reconhecido.
Maria Letra

Pedro Ferreira disse...

Peço desculpa por nunca ter tido a oportunidade de comentar os seus belos trabalhos.
Não estou seguro se alguma vez o fiz. A verdade absoluta é que não disponho de tempo, só isso, tendo por isso praticamente a comentar só os trabalhos da mamã, para me sentir mais perto dela.
Sei que me desculpará, bem como os outros amigos de quem ela tanto fala.

O seu poema é um verdadeiro hino, realmente ficava bem musicado.
Parabéns

Pedro Ferreira

Maria Letra disse...

Olá Pedro!
Obrigada pelo seu comentário que só agora li.
Tal como disse e muito bem, todos nós sabemos compreender a sua ausência ou a sua tendência para comentar o que escreve a sua Mãe. É lindo, é natural, é perfeitamente compreensível, portanto, esqueça desculpas por ninguém aqui tem essas susceptibilidades.
(Agora, aqui só para nós os dois, que ninguém está a ler o que escrevo: eu, por acaso, já tinha pensado: "O Pedro nunca ligou importância nenhuma aos meus 'desabafos'... Será que não gosta do que escrevo?" Mas não comente isto com ninguém, é só cá entre nós os dois ...).
Beijinhos e muitas felicidades aí por esses lados do mundo .... E sem a gripe, seja ela de que letra do abecedário fôr...).
Maria Letra