30/07/2009

Soluços da freira

Para melhor suportar o calor nesta época estival, uma gracinha ligeira.

A irmã Maria entrou numa crise de soluços que estava a tornar-se resistente e grave com momentos quase espasmódicos.

Como as várias mesinhas conventuais não deram resultado, acharam melhor que ela fosse ao médico que dava assistência às religiosas do convento.

O médico, perguntou, ouviu as respostas e disse à irmã o seu diagnóstico sem nada receitar. Ela saiu precipitadamente do consultório.

Passado pouco menos de uma hora, a madre superiora entrou no consultório com aspecto de grande preocupação a perguntar ao médico o que disse à irmã Maria, porque ela entrou no convento com muito mau aspecto, apenas teve um contacto rápido com o padre e fechou-se na cela sem dizer nada a ninguém.

O médico disse que ela se queixara de soluços e perguntou se eles tinham passado.
A madre disse que sim. E acrescentou que pouco depois o padre foi encontrado enforcado na corda do sino.

O médico disse então que, como os soluços se curam com um susto, disse à irmã Maria, para a assustar, que ela estava grávida.

6 comentários:

Fernanda disse...

Oh! Amigo João,

Esta tem tanto de hilariante como de
mazinha...ahahahaha!
Então isso faz-se???

Ferreiras disse...

Também não conhecia e, sinceramente, só não entendo porque havia a freira de se suicidar.
Então ela não sabia o que tinha andado a fazer???

Obrigado pelo momento de boa disposição,
J.Ferreira

A. João Soares disse...

Amigo José,

Quem se suicidou foi o padre. Vá lá saber-se porquê!!!???

Um abraço
João

Ferreiras disse...

Tem razão amigo João, fiz uma leitura cruzada,só pode.

Mas assim sendo, tem ainda mais que se lhe diga, o padre esse sabe bem o que faz, se decidiu suicidar-se não se entende???!!! Seria um padre normal???!!!

Cumprimentos do amigo,
José

A. João Soares disse...

Caro Amigo José,

A sua pergunta dava para escrever um tratado acerca da fronteira indefinida entre o que é normal e o que o não é.

As anedotas são sempre a propósito de algo ou alguém que não é normal. E, realmente, segundo os cânones da Igreja nem o padre nem a freira da anedota são normais porque são religiosos em pecado contra um dos dez mandamentos. E pelos vistos não estavam habituados a pecar, e ao verem-se descobertos ficaram em pânico.
Veja como uma vulgar cura dos soluços pode provocar uma tragédia.
A vida nem sempre é fácil!!!

Abraço
João

Ferreiras disse...

Amigo João!

Estava a brincar com a situação.
É verdade se não fossem os soluços, ficaria tudo bem, maldita crise de soluços!!!

A verdade é que se não são as freiras, são as sobrinhas, as primas, etc.
Não me lembro de ter conhecido um padre que não tivesse uma "escapatória", não digo que não os haja, mas são mais os "padres Amaros" que os santos padres.

Pessoalmente penso que todos deveriam ter direito a casar ou viver, como qualquer outro ser humano, com quem escolhesse, fazê-lo.
Opiniões.

Boa noite
Cumprimentos
José