11/07/2009

“Liberdade de Escolha”


Durante anos a fio, todos os carros saídos da linha de montagem de Henry Ford, em Detroit, eram pintados de preto. Os operários, saturados, fartos de tal situação, solicitaram ser recebidos pelo patrão.
No interior do seu gabinete, expuseram o que pensavam sobre o assunto, terminando com um pedido: - “Sr Henry Ford, concede-nos autorização para que possamos pintar os carros numa outra cor, que não o preto?”
Fitando-os durante breves instantes , respondeu: "Claro, dou-vos toda a liberdade para pintar os meus carros na cor que quiserem… desde que seja de preto”

Vitor Chuva

10-07-2009

14 comentários:

Luis disse...

Queridos Amigos,
Esta é a Liberdade de escolha que Sócrates nos tem dado... Ele que fique com o preto e nos deixe ter outras cores!!!!
Um abração.

Fernanda Ferreira disse...

Querido Amigo Luís,

O texto do Vitor é mesmo para descontrair, mas o seu comentário fez-me rir mesmo...embora tenhamos mais razões para chorar.
Queremos mesmo outras cores, vamos lutar por isso.

Beijinhos

Mara disse...

Querida Ná,

Gostei mesmo muito do que li. Cheguei a convencer-me que o Henry ia permitir que os seus empregados
pintassem os carros de outra cor. Imaginei um lindíssimo vermelho. Quando ele insiste no preto fiquei decepcionada. O amigo Victor escolheu um texto cheio de graça que dispõe bem quem o lê.

Eu sou louca por carros antigos, então o da história, podes crer, faria as minhas delícias pintadinho de vermelho.

Que ficha eu faria a percorrer as ruas do Porto com um carro desses.
Mais do que com a tua bicla, embora a bicla também atraísse o olhar das pessoas, especialmente contigo em cima.

Beijinhos
Milai

Mara disse...

Amigo Luis,

Já pode visitar o meu Crepúsculo. Fica a conhecer a minha artista e algumas das suas telas.

Beijinhos
Milai

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda

Desejo um belo domingo e uma linda semana.
Abraços

Anónimo disse...

Aproveitando as palavras do Luís.

Bela ideia, que fique com os pretos e já agora que leve também os ciganos.

Maria Letra disse...

Amigos:

Anulei o meu comentário anterior por um êrro no texto. Peço desculpa.

Por causa da opção de côres é que anda por aí muito touro a marrar para lados opostos ao do povo.
Então o branco não é a junção de todas as côres? Por isso mesmo, eu prefiro o branco.

Lindo poema de Pablo de Neruda!!!,
"Uma Página para Dois".

Não costumo responder a anónimos nem a telefonemas sem a identidade de quem os faz, mas sinto-me impelida a responder desta vez dizendo o seguinte: O problema, Anónimo, não está nos ciganos. Está em toda a estructura política. Percebeu?

Um bom domingo e uma boa semana a TODOS.

Maria Letra

Fernanda Ferreira disse...

Amigos e caros leitores,

Como a amiga Mizita diz, e muito bem, este Anónimo merecia que o seu infeliz comentário fosse para o lixo, podemos fazê-lo sem qualquer problema, como bem sabem.

O trabalho que o amigo Vitor apresentou, pretende tão somente ser um momento de descontracção com uma pitada de ironia...
Por ter sido publicado por mim, posso eliminá-lo a qualquer momento, isto se assim o Vitor o desejar.
Se não o fiz, foi porque estava à espera que ele se pronunciasse, mas ainda bem que o mesmo não aconteceu, mais agora que a Mizita já lhe deu a resposta que ele merece.

Já agora Senhor Anónimo, o amigo Luís não fala em pretos, mas sim em preto (cor), por isso não pegue em palavras que não foram aqui ditas. Neste Blogue não há lugar para racistas nem xenófobos.

Tenho um dia feliz.
Fernanda Ferreira

Luis disse...

Queridos Amigos,
Sem querer fui utilizado para uma polémica a que sou totalmente alheio como já o disseram nos diversos comentários os nossos bloguistas. Quando falei em "preto" era a cor pois nada me move contra quem quer que seja por causa de etnias, raças ou por outra qualquer diferença até de ideias que possa existir entre pessoas. Por tal motivo não aceito que a minha "brincadeira" (leia-se critíca ao governo actual), tenha sido usada e abusada pondo em causa a minha maneira de ser e a dos nossos colaboradores. Por cá não há racismos nem xenófobos - somos todos iguais...Infelizmente e como sempre sob a capa do anonimato... é a cobardia a funcionar! Tenho dito e agradeço a todos os nossos Sempre Jóvens a defesa que fizeram à minha pretensa graça política que até fez rir a NÁ.
Um beijinho a todos e um grande abraço solidário.

Maria Letra disse...

Amigo Luís,
O nosso amigo foi claro ao comentar: "ele que fique com o (carro) preto" ... TODOS NÓS, colaboradores deste blogue, percebemos bem.
Vamos aligeirar aqui um pouco, mas só um pouco, o comentário dessa pessoa anónima que não quer dar o nome porque não terá a sua coluna vertebral tão direita quanto a de todos nós: teria ele, também, querido dizer: "que fique com os (carros) pretos e já agora que leve também os ciganos (com os carros pretos). O problema é que, na realidade, essa pessoa, muito provavelmente, não saberá Português, suficientemente, para ser clara e, depois, acontecem estes inconvenientes. Mas pior que não saber Português suficientemente, é não saber que, no meio da comunidade cigana, existe gente muito sã, muito correcta, como existem ladrões, traficantes de droga, etc... E na nossa comunidade, não há nada disso, Sr.(a) Anónimo(a)? Para a próxima, tenha o cuidado de recordar que está entre pessoas que respeitam o ser humano, sem olhar a etnias ou raças.
Aproveite o domingo para descansar, não vá o seu comentário ser resultante de excesso de trabalho.
Maria Letra

Vitor Chuva disse...

Olá a todos!

Estava muito longe de imaginar que um simpático carro do princípio do século passado pudesse causar tantos "incidentes" (na estrada de ideias e palavras que é este blogl),p'lo simples facto de ter sido pintado de preto.
A cor do mesmo, como se percebe, é irrelevante no contexto da ideia que se pretende passar; podia ser de qualquer outra cor, que nenhuma diferença faria! Do que esta história curtinha, com uma pitada de ironia, fala é de liberdade de escolha, que muitas vezes, sem que o percebamos, é feita a partir daquilo que nos deixaram para escolher.

A todos aqueles que comentaram, sem infracção às regras da boa convivência,o meu obrigado!

Vitor Chuva

Luis disse...

Amiga Mizita,
Gostei deste seu comentário e nada mais me oferece dizer.
Em relação ao seu poema abusivamente coloquei-o na Tulha e dei-lhe mais realce, se é possível fazê-lo,com uma foto muito mediática. Gostava de saber a sua reacção a este abuso!Não foi por mal, como sabe, a minha intenção foi dar ainda mais visibilidade a um poema disso merecedor.
Beijinho amigo e bom Domingo.

A. João Soares disse...

Ainda bem que o Vítor Chuva se refere a regras de boa convivência, porque eu vinha trazer um pouco de calma.
Primeiro, quero congratular-me com o anónimo (é uma forma ao dispor de um não bloguista para assinar um comentário!)por nos visitar e querer deixar um comentário talvez com intenções humorísticas ou não.
Tem havido anónimos que me dão oportunidade de expandir as razões dos meus posts, mas prefiro o anónimo que no fim do comentário assina com um nome. Mesmo que seja um heterónimo, dá mais sensação de confiança.
Depois da lição que os outros comentadores deram, digo ao anónimo para voltar mais vezes, mas tenha em consideração os reparos que aqui constam.

Cumprimentos
João

Maria Letra disse...

Num dos meus comentários escrevi 'estructura', em vez de estrutura. Sendo a sua tradução para inglês 'struCture', falhei. Peço desculpa.
Maria Letra.