15/09/2009

Pelas vítimas de abuso sexual

Acender um milhão de velas

As vítimas inocentes de abuso sexual da Internet não podem falar por elas próprias.
Mas você pode. Com a sua ajuda, nós podemos erradicar este negócio perverso.
Não precisamos do seu dinheiro.
Nós precisamos que acenda uma vela de apoio .
Quantas mais velas acendermos, mais poderosas se tornarão as nossas vozes.
Esta petição será usada para encorajar os governos, os políticos, as instituições financeiras, as organizações com dinheiro, os servidores de serviços da Internet, as agências de coação e de justiça a erradicar a viabilidade comercial do abuso de crianças online.

Eles têm o poder de trabalhar juntos. Você tem o poder de os forçar a agir.
Por favor, acenda uma vela na lightamillioncandles.com ou mande por e-mail o seu apoio. light@lightamillioncandles.com.

Juntos pudemos destruir a viabilidade comercial dos sites de abuso de crianças, os quais estão a destruir as vidas de crianças inocentes.
Por favor envie um e-mail a todos os seus amigos, parentes, colegas ou por todas as formas viáveis para que todos possamos acender uma vela.

9 comentários:

Fernanda disse...

Caro amigo João,

Eu já acendi a minha vela. Também publiquei o texto original em Inglês no meu Blogue, sei que nem era preciso pedir-lhe permissão.

Espero que todos os nossos leitores façam o que aqui lhes é solicitado, afinal é tão pouco...mas esse pouco pode ajudar a mudar tudo. Copiem o texto, divulguem-no, façam tudo que está ao seu alcance para ajudar tão nobre causa.
Este é seguramente um dos crimes mais hediondos.
Bem-haja por torná-lo público.

Beijos
Fernanda Ferreira

Vitor Chuva disse...

Caro João!

Este é um dos lados negativos, neste caso negro, da forma de utilização que alguns fazem da Inetrnet.Tudo o que pudermos fazer para o combater será útil ainda que, certamente, não o suficinte. Mas, "como muitos poucos fazem muito", eu junto o meu pequeno contributo.

Um abraço.

vitor Chuva

Luis disse...

Caros Amigos,
Vou igualmente contribuir para esta causa tão importante. Mais uma vez o ser (des)humano se aproveita do que é belo para os seus prazeres insaciáveis e perversos! BEM HAJA ESTES ALERTAS!
Um abraço amigo

A. João Soares disse...

Caros Ná, Vitor e Luís,

Não pode haver dúvidas. É certo que nenhum de nós pode alterar os comportamentos generalizados, mas «água mole em pedra dura tanto bate até que fura» Uma frase hoje e outra amanhã produzem efeito, gota a gota..., grão a grão...
É nesse sentido que estou na blogosfera, para contribuir para um mundo melhor.

Abraços
João

A. João Soares disse...

Já foram identificados 60 suspeitos

Polícia e Interpol desarticulam rede de pedofilia em 23 países, incluindo Portugal

Público. 15.09.2009 - 18h06 Lusa

A Polícia Federal brasileira está a realizar uma operação com a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) para desarticular uma rede de pedofilia em 23 países, incluindo Portugal, um dos países onde foram localizados membros da rede criminosa.

A acção policial conjunta pretende uma "repressão à produção e divulgação de imagens com cenas de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes", segundo informa a Polícia Federal.

No Brasil foram localizados 11 suspeitos de pedofilia e até ao momento sete já foram presos em flagrante nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará e no Distrito Federal.

A Polícia Federal comunicou ainda que outros 60 suspeitos foram identificados nos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, França, Canadá, Austrália, Marrocos, Bolívia, México, Bélgica, China, Colômbia, Croácia, Espanha, Holanda, Itália, Noruega, Romênia, Suécia, Suíça, Tailândia, Venezuela e Portugal.

As medidas tomadas no exterior são coordenadas pela Interpol e acompanhadas por adidos da Polícia Federal nos respectivos países. O crime, pela legislação brasileira, está sujeito a penas que podem alcançar oito anos de prisão.

De acordo com o delegado que coordenou a operação, Jessé e Almeida, as novas prisões só foram possíveis devido à nova lei que trata dos crimes de violação que vigora desde Agosto e criminaliza a posse de material relacionado à pedofilia.

A PF informou que novas prisões ainda podem ser feitas, em decorrência dos outros seis mandados de busca e apreensão que ainda devem ser cumpridos.

A identificação do grupo aconteceu após a prisão, em 2008, de um suspeito na cidade de Campinas, interior de São Paulo, que possuía cerca de 100 gigabytes de material de pedofilia no computador e pertencia a uma rede na internet destinada à divulgação de imagens e vídeos.

Fernanda disse...

Caro amigo João,
São boas notícias, mas ainda não deitemos foguetes.
Há muita coisa ainda a fazer, infelizmente.

Já agora e saindo um bocadinho do contexto, talvez me possa dizer, como actuar quando pesquiso na Net algum assunto, o que já me aconteceu até com um aluno de menor idade, o Tomás, e meu saem imagens de pura pornografia e do mais explícita possível, tanto masculina como feminina???

Quem deixa os seus filhos sozinhos em frente a um computador, nem sonha o que eles encontram sem mesmo procurarem.
É nojento e devia haver uma forma de denuncia imediata.

Beijos

Ana Martins disse...

Caro João,
já acendi a minha vela e tomei a liberdade de publicar este post na Voz do Povo reencaminharei por email por todos os meus contactos.

Beijinhos,
Ana Martins

Maria Letra disse...

Eu ainda não acendi a minha vela mas irei fazê-lo esta manhã.
Sobre este assunto já foi tudo dito e é muito lamentável que "Os Homens de Boa Vontade" possam menos do que os de má vontade. Para que tal não aconteça, muito deverá ser feito e eu, ainda há dias, em Portugal, presenciei uma situação que me deixou muito preocupada. Uma grande amiga minha foi dar com o filho, de 8 anos de idade, a responder a uma mensagem que outro miudo (???) lhe enviou através dum chat de jogos para crianças. Haverá a certeza de que era, realmente, uma criança que estava a escrever a mensagem, ou pode haver a infiltração de adultos nestas coisas? Eu estou convencidíssima que sim e fiquei muito preocupada com todos as crianças cujos pais, ambicionando o seu momento de lazer ou entrega a afazeres que lhe ocupam o tempo, encontram muito cómodo que os seus filhos estejam a fazer algo que os ocupa, ao invés de aborrecê-los com as suas brincadeiras, traquinices, perrices ..., seja o que fôr.
Maria Letra

Maria Letra disse...

Gostaria, ainda, de chamar a atenção para as famosas Play Station e Cartoons, por exemplo, da SIC Radical, etc., onde a violência, o suspense e a agressividade verbal só servem para exacerbar a já activa forma nervosa como as crianças, na sua maioria, vivem hoje o seu dia-a-dia.
Não seria, talvez, uma boa ideia, quando as nossas crianças têm momentos de anormal euforia, obrigá-los a sentarem-se numa sofá, em jeito de castigo declarado, a ler um livrinho de histórias e pôr-lhes uma boa música de relaxamento ... "assim como quem não quer a coisa ..., para acalmarem um pouco"? Por vezes a reacção dos pais é a de violência contra violência e não creio dê resultado. Mesmo que a história não seja lida, eles terão a música ambiente ..., bem diferente dessas músicas muitas vezes criadas por músicos que estão, muitíssimas vezes, sob a influência de drogas quando as fazem. E o que é facto é que os 'putos' até gostam dela. Que pena!
Eu sei que alguém vai já 'atacar' esta sugestão ... mas ... digo eu ...
Peço desculpa que já fui longe demais.
Maria Letra