29/09/2009

Apesar ....,

1. Do resultado das eleições do passado domingo,
2. De continuar a ferir as minhas entranhas, a petulância
dos nossos políticos ….,
3. Da falsa democracia estampada nas atitudes do nosso
PM …,
4. De não vislumbrar sejam tomadas medidas correctas
para desfazer este novelo de problemas em que estamos
metidos, começando a pegar pela ponta justa do fio
que sabemos estar dentro do novelo, mas é ignorado …,
5. De continuar a sentir que os despertadores deste País
não estão a funcionar e que, portanto, há ensonados que
continuam a dormir …,
6. Do grito de dor de tantas almas a morrer de fome, o qual
não encontra eco nas cabeças apodrecidas dos respon-
sáveis pela exterminação desse flagelo …,
7. Do eco de muitas vozes clamando soluções para o futuro
do Globo e, consequentemente, da Humanidade, bater
no tecto das salas de conferência e cairem por terra, em
sofrimento, por quem continua a ser vítima das atrocidades
causadas pelos seus ignóbeis irresponsáveis …,

etc., etc., etc... (tenho aqui pouco espaço ….)

Eu e tantos outros que estão no meu coração, como verdadeiros amigos universais, continuaremos a lutar para acabar com este estado de coisas e tudo faremos para que os que pensam que o mundo é só deles, acabem por admitir, nem que seja à força, que

A - A Natureza foi oferecida a todos e não só a alguns que 'marimbam' para ela

B - Estamos aqui apenas por um período e deixem de legar, aos seus sucessores, um mundo de promíscuos resíduos, deixado por eles na sua passagem pela Terra.

Maria Letra

Nota: A inspiração para este texto nasceu do bom exemplo dado pelo amigo João Soares, na sua luta TENAZ pela consciencialização e enriquecimento cultural de todos nós e a minha decisão de inseri-lo no "Sempre Jovens" deve-se ao seu sempre amável convite para que eu continue a publicar aqui textos meus.

11 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Amiga Mizita,

Que linda surpresa a de encontrar este seu texto, no regresso do «Almoço das Terças na Quinta».
Concordo consigo que temos o dever de, nesta curta passagem pela Terra, fazermos algo para a melhorar, para que os vindouros tenham melhor vida do que nós, e evitar tudo o que tenha efeito contrário. Será desejável que os governantes deste novo Governo se consciencializem desse seu dever cívico, humanitário e patriótico para bem de Portugal e da humanidade.

Beijos
João

Luis disse...

Minha Boa Amiga,
Desejo ardentemente que como resultado destas eleições não seja: "viró disco e tocó mesmo"! Queira Deus que haja uma mudança radical nos procecimentos dos políticos. Como diz o João, e muito bem: "será desejável que os governantes deste novo Governo se consciencializem desse seu dever cívico, humanitário e patriótico para bem de Portugal e da humanidade".
Mas as reacções às palavras do Presidente não é isso que auguram, infelizmente.
A ver vamos... Um grande abraço, apesar de tudo, cheio de esperança.

Maria Letra disse...

Obrigada, amigos João Soares e Luís. Nós somos pacientes! Provámos isso de Salazar até hoje.("Nós", os mais velhos).
E assim esperando, vamos gemendo e chorando ...
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Caros Amigos,

Vale a pena fazerem uma visita aos comentários que se enconrtram no post
Momento de mudança, onde Jorge M. como anónimo (por não ser blogger) tece considerações de alto valor.
Obrigado
João

Fernanda disse...

Amiga Mizita,

A política e os políticos que temos são o que se sabe.
As opções dadas ao povo, sobretudo aos que já não acreditavam em nada nem em ninguém, nulas.
Entre os vampiros candidatos ao poder, que o diabo escolhesse o melhor... pelo menos conseguiu-se tirar a maioria absoluta ao Sócrates.
Não será muito melhor, não tenhamos esperanças vãs, mas pelo menos vergamos-lhe a arrogância.
Não, não foi com a minha ajuda, nenhum deles (PS e PSD) viu o meu voto, mas enquanto este povo não acordar mesmo, abrir os olhos, de nada vale termos esperanças.
É como diz o amigo Luís, vira o disco e toca o mesmo. Infelizmente.
Beijos

A. João Soares disse...

Caros comentadores anteriores,

Mais do que a vitória do PS, preocupa-me a apatia do povo bem patente na frase seguinte tirada de um comentário:
As opções dadas ao povo, sobretudo aos que já não acreditavam em nada nem em ninguém, nulas..
Não devemos cruzar os braços. Enquanto estivermos em democracia, mesmo que apenas nominalmente, a soberania pertence ao povo. É bom que por qualquer meio disponível se vá expondo as opiniões individuais.
Quem vier a tomar uma iniciativa musculada, deve primeiro avaliar da sua necessidade e da vontade do povo nesse sentido. Ora essa vontade só pode descortinar-se por intervenções sucedidas de várias formas desde as conversas de café até ao voto em branco, não se prestando este a mais do que uma interpretação. E o voto em branco, nas últimas eleições, de 1,75% dos votos entrados nas urnas representa muito mais do que os de qualquer dos pequenos partidos, o que é muito significativo por não resultar de organização campanha de propaganda sem cartazes nem acções de ruam, etc.

Quero com isto dizer que o povo não deve cruzar os braços, nem acomodar-se num sofrimento calado; deve ter esperança, deve mostrar a sua posição em relação à forma como os assuntos nacionais são geridos, deve rejeitar soluções tendentes à ditadura, mesmo que disfarçada.

Abraços
João

Luis disse...

Amigos,
João tocaste na ferida! Temos que lutar permanentemente até vermos e sentirmos que estamos a ser bem governados! Estamos fartos de "mais do mesmo"... Há que não esmorecer nem tão pouco cruzar os braços e façamos nosso o lema: " A LUTA CONTINUA ESTA CAMBADA PARA A RUA"!!!
Um abraço amigo.

Maria Letra disse...

Amigos Ná, João Soares e Luís,
Obrigada pelos comentários.
Não é por várias lutas que, e também por esta, aqui estamos? Estejamos confiantes. Sabem muito bem que, por vezes, é preciso retroceder uns passos para avançar muitos mais, afim de dar mais força ao movimento. E este movimento é o nosso. Sabemos que, com o adormecimento de muitos, é natural que fiquemos meio apáticos e percamos um pouco a esperança. Contudo, o PM a maioria já a perdeu. Quem sabe ele vai acabar por criar uma nova cartilha ... É que, perder o poder, é qualquer coisa que ele não desejará.
Um abraço e um bom dia.
Maria Letra

Luis disse...

Querida Mizita,
O PM ler por nova cartilha? Tenho dúvidas até porque se começam a desenhar novas situações. No jornal I já se está a lançar novamente Sampaio à Presidência. Por outro lado as últimas declarações do Sócrates e as notícias que aparecem levam a crer que está tudo concertado e que afinal o Cavaco pode ter as suas razões para o que disse e se mais não disse terá sido por, no lugar em que está ,não o poder ou dever fazer!
Temos de estar atentos para todas estas "manobras de bastidores" que servem de "máscaras" e "cortinas de fumos" para esconder o que lhes vai na mente tortuosa... Cautelas e caldos de galinha não fazem mal a ninguém! Vá à Tulha que por lá estão posições que nos levam a poder pensar assim.
Um beijinho amigo.

Maria Letra disse...

Peço perdão, amigo Luís, peço perdão, porque não tenho ido à Tulha do Atílio. Às vezes ainda tenho a ilusão de que tenho braços de polvo mas não é verdade. Sinto vergonha por não ir visitar os blogues de todos os meus amigos. Vou ver se me distribuo melhor. Umas vezes a uns, outras vezes a outros. Uma coisa não quero que pensem: que o não faço por qualquer outro motivo que não seja a minha falta de tempo e o ter-me habituado mais a visitar os blogues do amigo João Soares ...., para além do tempo que perco com os meus. Eu que me tinha recusado a escrever sobre política por estar cheia desse tema até mais não poder. É que eu sofri grandes desilusões no meu País e fiquei farta da MENTIRA, da FALSIDADE e da DESONESTIDADE, baixos princípios muito em moda e aos quais preferi virar as costas. Os sistemas corruptos, seja a nível político, que económico, fizeram de mim uma mulher magoada, mas consegui dar-lhe a volta e tornei-me, de novo e à distância, numa mulher de luta. Ora a alimentação deste lado foi conseguida, em grande parte, pelo que fui lendo no Do Miradouro e que mexeu, de novo, com a minha pessoa .... Daí eu comentar um pouco mais nesse blogue.
Peço aceite a minha sinceridade.
Um grande abraço.
Maria Letra

Luis disse...

Amiga Mizita,
Como a compreendo e por isso mesmo nada a recriminar , pelo contrário.`´E uma mulher atenta aos problemas e de luta por ideais que andam muito arredios aos nossos (des)governantes. Se a alertei para a Tulha foi só para a alertar de coisas que me parecem ser pertinentes e que estão a ser usadas para camuflar o essencial.
Um grande abraço.