19/09/2009

UM FIM-DE-SEMANA DIFERENTE!






Sábado, 12 de Setembro de 2009, eram 09h00 quando nos encontramos, a minha mulher e eu, com os nossos amigos para passarmos um fim-de-semana no Portugal Profundo!

Eles têm uma casinha toda em pedra em Tarrastal que apelidam de “refúgio de montanha”, com a humildade que lhes é conhecida, tendo sido para aí que partimos em simpático convívio.

Na primeira parte do percurso, na A1,como íamos distraídos em “alegre cavaqueira”, nem demos pela saída de Pombal o que nos obrigou a alterar o itinerário inicialmente previsto. Esse seria: Pombal – Penela - Miranda do Corvo – Lousã – Góis.

Assim, acabámos por seguir, em alternativa, por Condeixa – Miranda do Corvo – Lousã – Gois, perdendo-se a passagem por Penela que, no dizer dos nossos amigos, seria o começo de se conhecer o Portugal Profundo de que tanto se gosta de falar mas que, por outro lado, é tão pouco conhecido e apreciado.

Chegados a Gois fomos visitar a Praia fluvial e esplanada junto ao rio que banha a Vila que apreciamos. Tiradas as fotografias da praxe seguimos para o restaurante “Tranca na Barriga” de que, desde já, fazemos a sua propaganda pela forma como fomos recebidos, tanto pela qualidade da sua cozinha regional bem como pelo serviço apresentado. Depois de uma sopa de legumes da sua horta veio o prato bem apaladado de borrego acompanhado de batatas também da horta e castanhas cozidas. A finalizar uma tigelada à maneira da região! Tudo uma maravilha, podem crer!

De seguida partimos para o dito “refúgio” no Tarrastal, que afinal era uma linda casinha numa encosta com uma linda vista. Os habitantes deste lugar têm tido o cuidado de reconstruir as suas casas de forma a preservar o tipo de construção aí existente pelo que nos julgamos em épocas passadas, no tal Portugal Profundo!

Descarregadas as malas, seguimos a visitar outros lugares próximos – Cabreira, Cadafaz e Colmeal – tendo-se verificado que neles fora mantida a traça das casas tal como já referimos atrás.

Todos estes lugares estão situados em zonas privilegiadas na serra pelo que apresentam paisagens lindíssimas. Pena que as suas casas sejam segundas habitações de pessoas não da região ou de imigrantes que aí passam as suas férias ou fins-de-semana.

Assim, infelizmente, fora desses períodos são lugares desertos. Seria óptimo que pudessem ser acarinhados pelas instâncias turísticas pois mesmo no inverno são lugares de molde a serem acarinhados pelas suas condições e belezas naturais.

À noite fomos a Gois onde jantámos e, de seguida, visitamos a Igreja Matriz onde existe o túmulo do Conde de Sortelha considerado, pelas suas características, como Património Universal.

Regressados a casa ainda tivemos oportunidade de fazer um pequeno “serão da província” bem agradável, onde relembramos momentos passados por nós vividos!

Com imagens que não esqueceremos jamais, fomo-nos deitar para descansar deste dia bem preenchido mas não sofrido, antes pelo contrário, pois foi muito agradável tudo quanto vimos!

Pelas 10h00 do dia seguinte alvorada! Preparativos para mais um dia de visitas à região. Lá fomos à “Tranca da Barriga” onde tínhamos encomendado o almoço que era mais um prato típico da região, bacalhau às lascas entremeado com penca e batatas cozidas em tacho de barro com azeite que é levado ao forno. Uma pequena maravilha!

Após tudo arrumadinho fomos serra acima a pé, para “esmoer”, onde visitamos a Capela de Santa Luzia, local de peregrinações das gentes locais e onde se faz uma pequena romaria. A vista daí é soberba e mereceu o esforço havido para lá chegar!

Ao cair da tarde voltámos a casa e preparamos o regresso à cidade… pois na segunda-feira era dia de trabalho.

Como disse foi um Fim-de-Semana diferente, que muito temos a agradecer ao casal Begonha que tudo fez para nos encantar! E conseguiram!

8 comentários:

A. João Soares disse...

Caro Amigo Luís,

Obrigado por esta surpresa feliz. Parabéns pelo teu primeiro post que mostra que tens muito jeito para a escrita, o que até agora, apenas tinha espreitado através de comentários, sem dúvida interessantes, mas que não são o essencial dum blogue. Espero que este início te sirva de ponto de partida para uma maratona cheia de etapas brilhantes, em que as colagens eventuais passem a ser um mero pormenor.

Abraço
João

Vitor Chuva disse...

Caro Luís!

Também já andei por esses lados e, tirando algum incómodo suportado por parte de quem conduz por essas estradas nem sempre fáceis, tudo o resto é, de facto, muito bonito para quem gosta de natureza.E se lhe juntarmos a boa mesa ... então o prazer é redobrado!
A descrição que faz, mais as lindas fotos que lhe junta, são um estímulo para que ainda lá não tenha ido.

Parabéns!
Um abraço.

Vitor Chuva

Luis disse...

Caríssimos,
Obrigado Amigos pelas boas palavras havidas que são um estímulo para continuar com as minhas "viagens pela minha terra" que é tão bonita e tão desprezada!
Há muito português que vai conhecendo o mundo e que desconhece Portugal... São os turistas estrangeiros que fazem "gala" em conhece-lo e propagandeá-lo. A propósito tive oportunidade de ver um "outdoor" enorme na Praça Vermelha, em Moscovo, fazendo propaganda do nosso País! Oportunamente trarei a este blog a fotografia do mesmo para Vossa apreciação.
Um abraço amigo,
Luís

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Não faça já o encerramento que eu ainda não disse de minha justiça, nem eu nem mais, seguramente....

Já tinha lido e visto as fotos, embora não saiba quem e quem, mas são gente bonita e com ar simpático. Gostei!

Adorei as paisagens... passava aí uma boa temporada, mesmo sem laptop!!!

Mais, e talvez o mais importante, é que o Luís se revelou como autor dos seus póprios textos :)))) parabéns!
Muito sinceramente e sem pretensões de qualquer ordem, só tem parágrafos a mais, de resto está perfeito, adorei.

Quero mais.

Beijos da sua amiga,

Luis disse...

Minha Querida NÁ,
Não, não encerrei e para si muito menos! Obrigado igualmente pelas suas boas palavras e o seu comentário é muito pertinente pois na realidade por vezes perco-me em pormenores e aumento o texto desnecessáriamente... Sou muito prolixo... Deve-me ter ficado das prelecções que dava aos meus militares para que eles ficassem sem dúvidas. Há que rever o problema... Mas obrigado pela dica!
Um beijinho muito amigo,
Luís

Luis disse...

Já me esquecia: o casal da esquerda são "os Begonhas" e à direita é a Lena, a minha mulher.

Fernanda disse...

Querido Amigo Luís,

Não é nada "prolixo", nunca mais volte a dizer uma coisa dessas.
A sua esposa parece uma menina, parabéns (para ela) claro, ahahahah!

Beijinhos

Mara disse...

Querido Amigo Luis,
Que bem que me soube este fim de semana convosco no Portugal profundo!
A natureza no seu estado mais básico.
Nos meus tempos de menina passei muitas vezes por Penela a caminho de Tomar, terra natal de meu pai. Toda essa zona mexe comigo. Até o bacalhau a que eu chamo "apilarado" faz as minhas delícias.

Conte mais coisas assim porque gostei nuito da sua maneira de escrever.

Beijinhos para si e sua esposa
Milai