10/09/2009

Alexandre o Grande

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE

Por isso ele era chamado de 'O GRANDE':

1- Que o seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2- Que, no caminho até o seu túmulo, fossem espalhados os seus tesouros conquistados (prata, ouro e pedras preciosas);

3- Que as suas mãos fossem deixadas balançando, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus Generais, admirado com estes desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões dos pedidos e eis a resposta que recebeu:

1- Quero que os médicos mais iminentes carreguem o meu caixão para que se verifique que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2- Quero que o chão seja coberto com os meus tesouros para que todos possam ver que os bens materiais conquistados, aqui permanecem;

3- Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Dá que pensar, não??? Principalmente aos políticos com ética(se os houver !)

4 comentários:

Luis disse...

Caro João,
Fizeste bem em postar este tema pois reflete o quanto é considerado importante a ÉTICA para um lider!
Infelizmente hoje não há lideres há só "sebastiões" que comem tudo à mesa dos povos que pouco ou nada podem fazer para os tirar dali para fora... Criaram uma "teia" que os favorece e não permite serem castigados pelas asneiras que fazem... Até recebem indemnizações chorudas quando saiem!!!! Tristeza a nossa!

Celle disse...

João, você sempre escolhe com sabedoria o que publicar!
Mais uma vez tocou em verdades que nos levam a pensar, mesmo que, seja por algum tempo.
Nosso orgulho e vaidade nos cegam, impedindo o homem de ver sua insignificância neste mundo. Bens, títulos, riquezas nada levaremos,na verdade nós seremos apenas uma lembrança, um pensamento. Isso, se alguém pensar e se lembrar de nós...
Beijos
Celle

Fernanda disse...

Caro amigo João,

Sábio o grande Alexandre. Que aprendamos a lição.
Como diz a mana Celle, que sejamos lembrados pelas boas acções, todo o resto é supérfulo.
Beijo

A. João Soares disse...

Caros Colegas Luís, Celle e Ná,

Ainda bem que apreciaram esta decisão de aqui trazer este post.

è apreciável a diferença entre a noção que Alexandre O Grande tinha do pó em que ia tornar-se e a arrogância dos nossos governantes, actuais e anteriores!!!
O valor das pessoas mede-se mais pela sua humildade nos momentos certos do que pela arrogância, ambição e ostentação.
Nós realmente não somos nada e, depois de nos apagarmos, o mundo continua na mesma sem sentir a nossa falta.
Os poderosos não têm poder para evitar a morte, Os médicos são impotentes e incapazes de a evitar e os ricos deixam cá a riqueza talvez para ser desbaratada.
Para quê os nossos políticos se meterem em tanta corrupção sem respeito pela ética, para quê explorarem o povo para gastarem loucamente e enriquecerem os familiares e amigos, se depois morrem como os mais pobres?
Deviam pensar nas vontades de Alexandre... se conseguissem pensar.

Abraços
João