20/09/2009

Obras e empreitadas

Este é um alerta para todos aqueles que precisem de contratar empreiteiros.
Contratei um construtor, para uma obra em casa. Assinamos um contrato em 13Dez2008 onde constavam, caderno de encargos, o montante da obra, prazo de conclusão e cláusula de indemnização, no caso de incumprimento.
Embora verbalmente o prazo de conclusão fosse um mês, a data escrita foi 28Fev2009. Nesta data eu pagaria a última prestação do contrato, um quarto da empreitada.
Falhou a primeira, falhou a segunda que seria 10Abr2009.
Em 31Ago2009, aplicando a cláusula compensatória, o empreiteiro além de ter que terminar a obra, já me devia 8500Eur.
Ameacei-o com processo judicial. Desapareceu durante várias semanas.
Entretanto consegui informações sobre a idoneidade e situação do indivíduo. Um desastre.
Diz ele que por falta de recebimento de trabalhos realizados para dois construtores, não tinha dinheiro para terminar atempadamente a minha obra e tinha os funcionários em férias forçadas.
Consegui um acordo verbal, eu pagaria os materiais para a conclusão da obra e ele daria a mão-de-obra. (Claro que abdiquei da compensação)
A obra está em fase final. (Quase dez meses)
O alerta:
- Este indivíduo foi-me indicado por ser irmão de um ex-colega de trabalho.
-Não acreditem em credenciais, procurem os últimos dois clientes e informem-se sobre o comportamentodo construtor. (Os clientes são as melhores fontes)
- Nunca adiantem dinheiro extra-contrato e procurem se possível pagamento só no final.
- Antes de processos judiciais, procurem informações sobre a capacidade económicados visados. Podem estar “esganados” e lá se vai o nosso tempo e mais dinheiro para a justiça.
Se eu tivesse inicialmente seguido isto…

6 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem bonequinha da sorte lá esperando por vc.

Uma semana de luz pra vc Fernanda.

Obrigada por sempre estar presente no meu espaço.

beijooo.

A. João Soares disse...

Amigo José,

A vida é cheia de percalços. Em cada esquina uma surpresa por vezes bem desagradável. Fez muito bem em nos narrar este seu caso, para servir de lição aos leitores. Convém evitar pensar que estas coisas só acontecem aos outros.
Como muito bem diz, o melhor avalista é a opinião dos clientes anteriores.

Um abraço e desejo que a piscina já esteja completamente operacional, para ainda aproveitar este fim de verão.

Um abraço
João

Fernanda disse...

Muito obrigada amiga...já fui ao seu Blogue e trouxe a bonequinha, até para aqui, pode ver no slide.

Não tem importância alguma, mas repare que este post é do J.Ferreira, do José, o meu marido, ahahahah!

Tudo bem :)))

Beijos

Luis disse...

Amigo José,
O que acabei de ler foi o que aconteceu com o meu amigo Begonha com quem passei o fim-de-semana que narrei. Mas casos destes hoje em dia são uma realidade pelo que é difícil não cair nelas. A falta de Ética e da Palavra é uma situação banal de todos os dias, a começar em quem nos dirige....
Espero que possam gozar a piscina ainda este ano para vosso descanso e gozo.
Um abraço amigo

Agulheta disse...

Olá José. Como sinto as palavras com que documenta,é verdade sempre devemos estar alerta,para os ditos (finórios) da sociedade,este está a ser um.
Abraço e tudo de bom Lisa

J.Ferreira disse...

Meus caros,

Infelizmente estas situações são uma realidade e em número cada vez maior.
Os construtores queixam-se da crise mas quando recebem, como foi o caso, verifica-se que há muitos burlões neste ramo.A crise neste sector é muitas vezes fruto do seu própio comportamento.
Sudações.
J.Ferreira