23/04/2009

SOLIDÃO DÓI...

De tantas e tantas dores espalhadas por aí, uma das que mais doi é a da solidão. Dói assim tanto, que quanto mais a gente chora, mais ela dói. E quanto mais dói, mais nos isola.

O mundo sofre de solidão. Ah, sim, sofre! Todo mundo anda tão preocupado com as doenças ditas modernas e que se espalham numa velocidade assustadora, mas poucos pensam nessa doença que nem matar, mata, mas isola.

E ela é tão devastadora quanto qualquer outra, mas de maneira diferente. As pessoas disfarçam trancadas em suas casas ou seus apartamentos, diante de um computador, onde as amizades virtuais tomam um lugar de suma importância.
É que há muitos solitários se amparando, até mesmo sem saber. Mas é no momento de ir dormir que sentem essa dor que vai corroendo o peito e ficam torcendo para o sono chegar logo.

Não inventaram um remédio para acabar com a solidão. É que não precisa, pois ele sempre existiu. É suficiente pensar um pouquinho em quem está do lado, quem não tem ninguém, quem viveu, se deu e fica esperando ainda da vida o retorno...
Quem quer contar histórias, mas não encontra ninguém com tempo ou paciência para ouvir... quem a vida podou de pais, filhos, irmãos... há em torno de cada um de nós alguém assim, quando não somos, nós mesmos, aquela pessoa que está precisando tanto de uma mão que aperte a nossa.

Não é preciso conhecer matemática para sabermos que um mais um fazem dois e, mais ainda: um triste mais um triste podem fazer dois felizes.
Oferecer a alguém a oportunidade de sentir-se menos só, nem que seja um pouco, um dia, já é acender uma velinha no coração dessa pessoa.

Não sei por que hesitamos tanto! Talvez por que pedimos tantas coisas e nos esquecemos de pedir que faça chover amor.
E isso é muito, muito importante.
O principal na vida...

Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia:
"Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal.
Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre.
Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal...

A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas.
Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente,
tudo o que podia no seu avental .

A voz misteriosa falou novamente:
"Você só tem oito minutos." Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...
Lembrou-se, então, que a criança ficara lá e a porta estava fechada para sempre!!!

O mesmo acontece, as vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver...
Não se esqueça do principal!"
E o principal são os valores espirituais, a vigilância, a família, os amigos, a vida!!!

!!! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres
materiais os fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado...
Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial:
"Os tesouros da alma!"
Que jamais nos esqueçamos que a vida, neste mundo, passa rápido e que a morte chega de inesperado.
E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerá as lamentações.

Portanto, que jamais esqueçamos do principal!!!
Mensagem recebida de um amigo, que recebeu de um amigo, e que enviará para um amigo...
"Se Deus criou as pessoas para amarmos e as coisas para usarmos, porque então amamos as coisas e usamos as pessoas?"

Fernanda Ferreira

6 comentários:

Fenix disse...

Comoveu-me...
Beijinhos
São

Dulce disse...

Fernanda,

Muito verdadeiro esse texto.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Cara Amiga Ná,
Muito lindo este texto. Já conhecia o exemplo da mãe e das riquezas que ambicionou. É muito explícito.
A solidão deve ser enfrentada pelo próprio que deve procurar os outros e não ficar á espera. Dei aulas voluntárias em três «Universidades» para idosos, em que muitos se inscreviam para passar algumas horas entre outras pessoas em vez de ficarem a lamentar a vida em cada isolados.
Pessoalmente, além do contacto que a Internet me permite, encontro-me praticamente todos os dias com velhos amigos, como se pode ver pelas fotografias que tenho publicado no Blogue Só imagens.
Quem não puder fazer tanto, que vá até ao jardim, que meta conversa no café, que diga «bom-dia» ou «boa-tarde» aqueles com quem se cruza, etc. A solução tem que ser encontrada por cada um, que deve dar o primeiro passo, para atrair os outros.
Abraços
João

Fernanda disse...

Amigas São e Dulce,

Obrigada pelos comentários.

Beijinhos

Fernanda disse...

Caro Amigo João,

Eu já vi as fotos, grande "tainada", ainda bem ...É esse o espírito.

Obrigada pelos comentários, do coração,

Bjs,

Unknown disse...

Querida amiga Ná,
que texto mais lindo, que reflexão maravilhosa!!! Também já conhecia o texto, mas agradou-me voltar a reler!

Beijinhos,
Ana Martins