11/04/2009

MUITO PREOCUPANTE...UM OCEANO DE PLÁSTICO!!!!

Durabilidade, estabilidade e resistência à desintegração. As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.


Foto do vórtex



No oceano Pácífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de
1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.
Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico.
Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.


Ocean Plastic



O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.


Tartaruga deformada por aro plástico



A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental. Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. 'Como foi possível fazermos isso?' -
'Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo'.
Pesquisadores alertam para o fato de que toda peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda estão em algum lugar. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em
algumas áreas do oceano pacifico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia
alimentar marinha.


Todas a peças plásticas à direita foram tiradas do estômago desta ave


Segundo PNUMA, o programa das Nações Unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinhas
todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.


Ave morta com o estômago cheio de pedaços de plástico


E para piorar essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja, qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, na mais pura verdade de que o que fazemos à terra retorna à nós, seres humanos.

Fontes: The Independent, Greenpeace e Mindfully

Ver essas coisas sempre servem para que nós repensemos nossos valores e pricipalmente nosso papel frente ao meio ambiente, ou o ambiente em que vivemos.

Antes de Reciclar, reduza!


"Podemos ir longe, se começarmos de muito perto.

Em geral começamos pelo mais distante, o "supremo princípio", "o maior ideal", e ficamos perdidos em algum sonho vago do pensamento imaginativo.Mas quando partimos de muito perto, do mais perto, que é nós, então o mundo inteiro está aberto - pois nós somos o mundo.Temos de começar pelo que é real, pelo que está a acontecer agora, e o agora é sem tempo."
Krishnamurti


--
Para produzir 1 tonelada de papel são necessárias 10 a 20 árvores, 10.000L de água e 5MWh de energia. A protecção do ambiente deve ser uma preocupação de todos nós.

RECEBIDO POR E-MAIL
Ana Martins

7 comentários:

Luis disse...

Amiga ANA,
Desconhecia por completo este gravíssimo problema que se está a passar nos Oceanos, obrigada portanto pela informação.
Sabia dos problemas das lixeiras em terra mas no mar nunca me passaria pela cabeça o seu horror.
Há que começar a reduzir o consumo de tais materiais, substituindo-o pelo vidro e loiça que são materiais recicláveis e não têm desses problemas.
Beijinhos

Miguel Letra disse...

Ana,
Infelizmente conheço este drama, mas tal como o petróleo é um caso perdido.
Mais uma vez em práctica o deliberado e consciente suicídio da Humanidade.
Que Deus nos Ajude a todos e perdoe tantos pecados cometidos contra a natureza!

A. João Soares disse...

Cara Ana,
Os visitantes deste espaço estão de parabéns por esta útil informação. Conheço o problema e sei que há uma tendência para a sua resolução, reduzindo esse perigo no futuro, através de plásticosa biodegradáveis e pela substituição dos sacos de plástico por sacos de pano e de papel. Nas nossas grandes superfícies já está em marcha essa mudança.
Há também que reconsiderar o sistema de embalagens: quando se sai dum supermercado taz-se um produto que, além da sua embalagem inicial, vem num saco de plástico, um exagero de plásticos que duram muitos anos a degradar-se e constituem grave poluição da terra do mar e do ar se eorem incinerados.

Um abraço e Bom Domingo
João

Fernanda disse...

Amiga Ana,

Sim é verdade..isto é a mais trite das realidades, nós estamos a destruir o Planeta.
É urgente que tomemos consciência de que todos somos responsáveis, todos sem excepção!!!
Se cada um de nós individualmente tomar consciência deste e de muitos outros problemas ligados à poluição, tomar medidas e actuar JÁ... as futuras generações poderão sobreviver ou NÃO.

Obrigada pelo belíssimo trabalho e essencialmente pela divulgação.

Beijinho grande,

Anónimo disse...

Amigo
Fiquei siderado com tanta porcaria.
Lembro -me que nos filmes americanos vejo que nas compras dos super-mercados se usam sacos de papael.
Bem sei que isso contribuiria para o corte de mais árvores com as consequências que daí adviriam.
Mas porque não usar sacos reutilizáveis e ou bio-degradáveis a curto prazo ?
Boa Páscoa
M.D.

A. João Soares disse...

Caro M.D.
Sei que a sua visita se deve ao meu e-mail. Porém as honras da publicação deste artigo devem-se à colega Ana Martins, a quem endosso os elogios.
Os sacos de pano, reutilizáveis, por muito tempo estão timidamente a entrar nos hábitos de pessoas mais conscientes da ecologia. Oxalá tais cuidados sejam intensificados.
Um abraço
João Soares

Ana Maria disse...

Sou muito preocupada com tudo isso que o homem provoca com a natureza.
Feliz Páscoa e beijinhos achocolatados!