21/04/2009

Cada minuto que passa... é especial.


Se pode perder dois minutos ...por favor leia esta mesagem.
Antes de iniciar, fica sabendo que não é uma tolice qualquer, e que somente as pessoas que possuem uma alma nobre, poderão apreciá-la...

Era uma vez um amigo meu...
Um certo dia, esse meu amigo abriu a gaveta da mesa-de-cabeceira da sua esposa e apanhou um pacote embrulhado em papel de arroz.
“Este - disse o meu amigo - não é um pacote qualquer, é uma peça íntima, uma lingerie finíssima”.
Abriu o pacote, jogou fora o papel, pegou na peça, e acariciou a seda macia e a renda.
“Ela comprou esta lingerie a primeira vez que estivemos em New Yorque..., uns 8 ou 9 anos atrás. Nunca a usou.”“Estava à espera do momento certo, a ocasião especial para poder usá-la.
Bom, acho que a hora chegou.”Aproximou-se da cama e colocou a lingerie perto de outros objectos que levaria para o cemitério.


A sua esposa havia morrido de repente. O meu amigo olhou para mim e disse:
“Nunca guardes nada à espera de uma ocasião especial, cada dia que vivemos, é uma ocasião especial.
Ainda estou a pensar nas palavras que ele me disse e como mudaram a minha vida
Agora leio mais, e dedico menos tempo à limpeza da casa.
Sento-me na varanda e admiro a paisagem, sem reparar se o jardim tem ou não ervas daninhas.
Passo mais tempo em companhia da minha família e dos meus amigos, e bem menos tempo a trabalhar para os outros.
Dei-me conta que a vida é um conjunto de experiências para serem apreciadas e não sobrevividas.
Agora já não guardo quase nada. Uso os copos de cristal todos os dias. Visto roupas novas para ir fazer compras no supermercado, se estiver com vontade de vesti-las.
Não guardo o melhor frasco de perfume para as festas especiais, mas uso quando quero sentir a sua fragrância.
As frases “um dia...” e “um dia destes...”, estão a desaparecer do meu vocabulário, se vale a pena ver e ouvir é agora.
Não sei o que a esposa do meu amigo teria feito, se soubesse que não haveria amanhã,
o mesmo “amanhã” que todos nós levamos tão pouco a sério.


Se ela soubesse, talvez podesse ter falado com todos os seus familiares e amigos mais próximos.
Ou, talvez, podesse ter chamado os velhos amigos para se desculpar, para fazer as pazes pelos mal entendidos do passado
Gosto de pensar que, ela poderia ter ido degustar o seu prato preferido naquele restaurante chinês que tanto gostava.
São estas pequenas coisas da vida não cumpridas que me aborreceriam se soubesse que tenho as horas contadas.
Aborrecer-me-ia pensar que deixei de abraçar os bons amigos que “um dia destes”reencontraria,
Aborrecer-me-ia pensar que não escrevi as cartas que queria porque a intenção de escrevê-las era “um dias destes...”,
Aborrecer-me-ia, e deixar-me-ia ainda mais triste, saber que deixei de dizer aos meus filhos e irmãos, com suficiente frequência, o quanto os amo.
Agora procuro não retardar, esquecer, ou conservar, algo mais que poderia acrescentar sorrisos de felicidade e alegria à minha vida.
Cada dia que passa digo para mim mesmo, que este é um dia muito especial.
Cada dia, cada hora, cada minuto que passa... é especial.
PS. Recebido por e-mail
Fernanda Ferreira

4 comentários:

Conversa Inútil de Roderick disse...

Grandes verdades!

Luis disse...

Querida NÁ,
Pessoalmente já conhecia mas nunca é demais relembrá-lo ... num mundo cada vez mais estranho e menos humano! E Viver é tão bonito....e a maioria já se esqueceu disso!

Fernanda disse...

Obrigada Luís,

Eu ainda não conhecia o texto, mas sim é sempre bom lembrar,

Bjs.

Fernanda disse...

Caro Roderick.
Obrigagda pela sua visita e cometário.
Volte sempre,

Bjs.