24/08/2009

Mais cientistas em destaque

Somos um povo amargurado, minado por um pessimismo mórbido que dificilmente olha para o que há de mais positivo e gerador potencial de esperança em melhor futuro. Hoje surge a notícia «Portugueses produzem sensor inovador de ADN» que tenho o prazer de aqui juntar às anteriormente publicadas «Cientista português honra o País» e «Cientistas portugueses em destaque» e a outras mais antigas.

Segundo revelou ontem Elvira Fortunato, professora, investigadora, conhecida especialista em micro-electrónica, do Departamento de Ciência dos Materiais e directora do Centro de Investigação de Materiais da Universidade Nova de Lisboa, Investigadores portugueses produziram pela primeira vez um método de detecção de ADN usando uma vulgar impressora de jacto de tinta, com recurso a materiais e tecnologia de baixo custo e amigos do ambiente.
Este novo sensor sensor, desenvolvido por uma equipa conjunta dos departamentos de Ciência dos Materiais e Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, foi aceite para publicação próxima pela revista "Biosensors and Bioelectronics", o que deve constituir motivo de orgulhos para os portugueses.

Foi um trabalho feito por cientistas portugueses e em Portugal, ou "made in e made by" como gosta de dizer a investigadora, que dirige a equipa, tendo esta já em 2006 criado um sensor para detectar ADN, mas que era baseado em silício, o semi-condutor convencional usado em electrónica. Agora foi dado um grande passo em frente.

Em conclusão, há em Portugal cérebros privilegiados, que honram a memória dos heróis doe descobrimentos e que, se bem apoiados, podem alcandorar o nosso País ao nível dos mais desenvolvidos. Mas é pena que os políticos que temos aturado careçam de inteligência, capacidade, sentido da responsabilidade, dedicação aos mais altos valores éticos e tenham arrastado a imagem da Política para a lama, a ponto de cultivar a mediocridade e não ter criatividade suficiente para renovar as equipas com o que houver de melhor na camada mais jovem, na senda da excelência. Valerá a pena analisar as listas para as próximas eleições, procurar detectar os novos nomes e indagar quais as suas «qualidades» que lhes deram jus à inclusão nas listas. Isso dará ideia do que os actuais políticos pretendem do futuro de Portugal.

4 comentários:

Maria Letra disse...

Adoro ler destas notícias, amigo João Soares. Mais uma constatação de que nem todos os Portugueses desanimam perante as realidades actuais e vão à luta, valorizando-se através do seu apego ao estudo e às suas investigações ... como que indiferentes ao que o Governo possa fazer para apoiá-los.
Um abraço.
Maria Letra

Ana Martins disse...

Caro amigo João,
Estas são de facto notícias que nos alegram, saber que temos entre nós pessoas de tanto valor, dá-nos até uma pontinha de vaidade!

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Cara Amigas Mizita e Ana Martins,

Há jovens com muito valor. Muitos deles estão no estrangeiro por não terem encontrado cá as melhores condições para trabalho científico. Quanto a capacidade intelectual não somos inferiores aos estrangeiros.
Até espanta a mediocridade dos governantes que nos têm amordaçado e limitado as iniciativas privadas.
Já repararam que para construir um prédio á preciso entregar o projecto e, depois, esperar anos até ser licenciado? Porquê? Porque a burocracia é exagerada. Para quê? Há quem diga que é um convite à corrupção, o que leva a compreender o que se passou no Freeport com despachos quase antes de lerem o papel recebido).
Somos um País sem nexo, movido por interesses ocultos e que ninguém tem vontade nem coragem de reestruturar.

Abraços
João

Fernanda disse...

Caro amigo João,

Feizmente temos talento e somos reconhecidos no Mundo inteiro...mas muito mal amados no nosso próprio país.

Muito triste mesmo.

Beijinhos