07/08/2009

Deveres Cívicos

Faço referência a uma notícia dada pela RTP a 25/07/2009 e que dizia o seguinte:

BRASIL VAI DEVOLVER LIXO IMPORTADO ILEGALMENTE DO REINO UNIDO

O Brasil vai começar a devolver na próxima segunda-feira os contentores de lixo que foram importados ilegalmente do Reino Unido. Os contentores de lixo doméstico foram encontrados na semana passada nos portos de Santos, no Estado de São Paulo, e de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. O presidente Lula da Silva não poupa críticas ao mundo dito desenvolvido, como resume o correspondente da Antena 1 no Brasil, jornalista João Pacheco de Miranda.

Seremos todos a favor da devolução do "presente" enviado pelo Reino Unido, ao Brasil, feita pelo governo de Lula, a qual aconteceu já, efectivamente. Abençoado seja ele por este gesto muito digno. Agora o que seria bom era não esquecermos que tal só foi possível graças a esforços desenvolvidos nesse sentido por alguém que não deixa os seus alertas perderem-se por palavras. Os seus impulsionadores quiseram ver realizada a concretização da devolução que defendiam.

Este assunto merece mais um apelo, dirigido a TODOS os cidadãos do mundo, paralelamente ao da necessidade de estarmos atentos ao destino a dar a todo o lixo que se vai acumulando: devemos dar preferência à compra de produtos com embalagem reciclável. É um dever cívico, de todos nós, termos em atenção a análise de cada aquisição nossa, pensando sempre que, ao fazermos tal opção, outros milhões de pessoas estarão a fazer o mesmo e não o contrário. Paralelamente a este gesto tão importante, deveremos desenvolver esforços no sentido de estarmos atentos à conveniente regulamentação do destino a dar ao lixo. Sim, porque o alerta para o que está mal deve ser dado por todos nós, cidadãos dum mundo cuja tentativa de melhorarmos está muito longe dos resultados desejados por uma minoria ainda.

Maria Letra

6 comentários:

Fernanda disse...

Amiga Mizita,

Eu já sabia deste assunto, mas não é só o Reino Unido que exporta lixo...infelizmente há muitos, a Suíça é outro.
Para onde??? claro para os países ditos sub-desenvolvidos.
Agora diga-me...acha que o lixo foi para o Brasil sem que ninguém soubesse??? é no mínimo muito estranho.

Claro que é preciso que todos façamos menos lixo e é perfeitamente possível. Parece difícil mas não é tão complicado como parece.
Reciclar é a palavra de ordem, agora são as rolhas, quase tudo é reciclável.
Tenhamos esperança e entretanto não tenhamos ilusões, os países ricos irão sempre exportar o seu lixo para os pobres a troco de uns cobres, infelizmente.

Hajam notícias e jornalistas com a coragem de divulgar estas notícias que envergonham o Mundo dito civilizado.

Obrigada pelo seu magnífico post.

Beijo
Fernanda

Maria Letra disse...

Obrigada, Ná, pelo seu comentário. Haja a esperança de que conseguiremos alguma coisa com os nossos alertas, sejam eles de que natureza forem, desde que sejam lidos e que se aprenda alguma coisa com eles.
Quanto à sua pergunta sobre se o lixo teria ido para o Brasil sem que ninguém soubesse, ela daria aqui lugar a um loooonnnngo comentário. Afim de evitá-lo, posso dizer-lhe, apenas, que acredito não fosse.
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Caras Amigas Mizita e Ná,

O lixo deve ser encarado segundo a regra dos três erres - reduzir, reutilizar e reciclar. Há junte um quarto reparar que pode ser integrado em reutilizar.
«Ainda sou do tempo» em que a mercearia tinha o arroz numa pequena tulha de madeira de onde era tirado com uma colher especial para o prato da balança. Depois de pesado, o prato da balança era despejado num pequeno saco de pano que o cliente levava. Hoje o arroz compra-se em embalagens de plástico que depois são metidas com outras embalagens noutro saco de plástico. Sacos de plástico abundam e são praticamente imortais!
Há um abuso crescente das embalagens sobrepostas, e tudo em plástico. Isto está ligado à sociedade de consumo, ao consumismo, que já é um vício, uma tara.
E o pior são os lixos tóxicos, provenientes de hospitais e de indústrias altamente poluidoras.
Nestes problemas tal como em tudo que se relaciona com o nosso ambiente convém que as pessoas se habituem a apontar o dedo ao que está mal e comunicar ao Provedor de Justiça, jornais, televisões ,etc.
É uma guerra justa a que ninguém se deve furtar.

Abraços
João

Celle disse...

Obrigada, Maria Letra, por publicar e destacar a devolução do lixo importado, ilegalmente, do Reino Unido.
O povo brasileiro lhe agradece.
Fraternalmente, Celle

Vitor Chuva disse...

Olá Mizita!
Como a Fernanda já referiu, a aceitação de lixo provenientes de outros países tornou-se um negócio.Nalguns casos com regras e supervisão, noutros não,infelizmente, sendo que os países mais pobres tudo aceitam mesmo sem saber o quê.
É um pouco espelho do mundo em que vivemos; a lei do mais forte por contraposição com as necessidade dos mais fracos. E, por irónico que a nós nos pareça, alguns desses países pobres nem sequer vêem com bons olhos que esta denúncia seja feita, e lhes retire aquela fonte de rendimento...
Um abraço.

Vitor Chuva

Maria Letra disse...

Obrigada, amigos, pelo vosso comentário.
Vou saír do tema que propus porque gostaria de expressar-vos a minha alegria ao verificar que não é comum, neste blogue em que várias pessoas participam, haver ideias antagónicas ou mesmo comentários susceptíveis de levantar polémica. Tenho a sensação de estarmos todos de mão dada, cada um dando o que pode e sabe no propósito de participar na construção dum mundo melhor ou no enriquecimento da cultura de quem desconhecia certos temas, onde também me incluo.
Parabéns, amigos e obrigada por me consentirem estar aqui.
Uma boa semana a todos.
Maria Letra