13/08/2009

"Amor e uma Cabana" (história levezinha)

Namorados, ainda jovens, não possuíam nem casa, nem dinheiro, nem emprego. Ainda assim, ele queria casar-se. Ela, mais cautelosa, tentava pôr água na fervura.
-“Mas nós nem sequer temos dinheiro para comer”, dizia-lhe, sem grande resultado, já que o entusiasmo dele não arrefecia.
- “Minha querida ”, contrapôs ele, “com o amor que sinto por ti eu nem preciso de comer, basta-me ver-te”. Vencida, mas não convencida, lá se casaram. Passados alguns dias, vira-se ele para ela: “
- "Cada vez tenho mais fome, vê se me arranjas alguma coisa para comer!”
- Com alguma irritação, já que o passar do tempo, afinal, lhe estava a dar razão, respondeu-lhe: “Mas tu disseste que não precisavas de comer; que bastaria ver-me!”
- “ Tens razão, eu bem sei que disse isso; o problema agora é que eu tenho tanta fome… que nem consigo ver-te!

Vitor Chuva

13-08-2009

Vitor Chuva

7 comentários:

Fernanda disse...

Olá Vitor,

Essa história do amor e da cabana ... só resulta mesmo durante umas horas e naturalmente nos filmes (aí resulta sempre muito bem). Eu nem diria dias, desculpa:))))

Beijo
Fernanda

Mara disse...

OLÁ VITOR,

HISTÓRIAS ASSIM, PEQUENINAS, AMOROSAS, FAZEM AS MINHAS DELÍCIAS.
ALÉM DO MAIS, ESTA HISTÓRIA ACABOU COMO TINHA DE ACABAR. A PAIXÃO É UM SENTIMENTO MUITO BELO, FORTE MAS EFÉMERO.

PARABÉNS
MILAI

Ana Martins disse...

Caro Vítor,
Amor e uma cabana todos sabemos que não resulta, é como diz o ditado, "CASA ONDE NÃO HÁ PÃO, TODOS RALHAM E NINGUÉM TEM RAZÃO".

Achei a história muito engraçada, mas gostei mesmo muito do final, é que quando a fome aperta, a visão fica deturpada.

Beijinhos,
Ana Martins

Kyria disse...

Que amor curto!!! Sem o básico nada funciona, não se alimenta de sonhos, a realidade é cortante, implacável e há que se ter maturidade para conciliar. Bjs

Vitor Chuva disse...

Olá Mara; Ana Martins;Fernanda; Kyria!

Obrigado pelos vossos cometários!

Pois é; quando a despensa da cabana está vaziao o amor tem mais dificuldade em sobreviver. Mas,ainda assim, não deixa de ser poético que alguém "acredite"ser possível só do mesmo viver...

Um abraço.

Vitor Chuva

Maria Letra disse...

Olá Vitor Chuva!
Estou convencida que os que acreditam em pão, amor e uma cabana, nunca passaram fome. Ou então ... pensavam que o amor também alimentava o corpo e não só o espírito.
Bom domingo.
Maria Letra

Mara disse...

Queridos amigos,

Estou a tentar deidir-me se digo ou não uma pequena malandrice. Digo, não digo? É melhor, não digo.

Beijinhos para os meus amigos do coração.
Milai

Mas...O AMOR E UMA CABANA!!!