27/08/2009

Cogeração – Poupança Energética a Passo de Caracol

Na nossa pequena cidade, chamada Vila Nova de Famalicão, temos um dos melhores exemplos de poupança energética do País: a Continental-Mabor.
O sistema utilizado é a cogeração. A cogeração é o reaproveitamento das energias utilizadas na produção.

A Mabor tem um rendimento 50% superior a qualquer outra indústria, associada na Cogen, ou seja, enquanto as outras conseguem um rendimento na ordem dos 30% de energia, em média, a Mabor consegue 80% de rendimento. Sabendo que para isso, é única a utilizar turbinas de avião e pessoal inteiramente especializado. Com este exemplo único, neste nosso rectângulo à beira mar plantado, já podemos orgulhar-nos de algo. O que quer dizer, que a Mabor Continental evita, por ano, 6 toneladas de CO2, 20% na factura de gás natural e ainda vende a energia restante, à rede nacional de electricidade.

Foi pioneira obtendo acesso, ou direito a esta rede nacional em 2005. Posteriormente outras se lhe juntaram, dando nome à associação COGEN. Indústrias como as cerâmicas, têxteis, alimentar e até centros comerciais, onde os gastos energéticos são elevados, fazem parte desta associação.

O que não se admite, é que desde 2006 a iniciativa da COGERAÇÃO, tenha estagnado por completo. Mais PME´s se lhes querem juntar mas o acesso à Rede Nacional, o Direito de Interligação, está vedado por completo, devido às novas directivas Europeias emitidas em 2006, vejam bem, em 2006! temos na TSF, a entrevista onde explica por completo o problema da COGERAÇÃO em Portugal. Até hoje e passados três anos, o Ministério do Ambiente e o Governo nada fizeram. Aquele Governo, que se diz completamente virado e dedicado às energias renováveis!

Mais um exemplo, do que está ainda por fazer neste País. Um exemplo, onde mais uma vez as Médias e Pequenas Empresas, foram completamente postas de parte, onde se preferiram as aeólicas, hídricas, para benefício das gigantes internacionais como Iberdrola, Gamesa e nacionais como a EDP. Como sempre beneficiam-se as Empresas estrangeiras, em detrimento das Empresas portuguesas. Ouvi também, que todos os esforços foram feitos, por parte da TSF e COGEN, para que um representante do Ministério do Ambiente, estivesse presente nesta entrevista, nem sequer resposta mereceram... é para verem como estão interessados , os políticos, em satisfazer as necessidades dos cidadãos. Nunca é demais e ainda por cima, em época de eleições, denunciar a hipocrisia dos nossos governantes, no que concerne à ecologia.


Outra matéria que gostaria de mencionar, é que os grandes Lobbies, EDP, GALP, BES, já tomaram para si, este tão melindroso tema: A SUSTENTABILIDADE, como se fossem os salvadores das Espécies e do Planeta, esquecendo-se porém, que andam aí portugueses, de menor "envergadura" económica, a gritar para o vazio e a ouvir apenas o seu próprio eco! Querem colaborar e todos os acessos lhes são vedados. Isto, é que é preciso denunciar!

Sr. Ministro, ouça a voz dos que querem participar, para melhorar a qualidade de vida do nosso País, como a COGEN, que segundo a TSF, só terá a 12ª conferência com o Poder Político em Novembro, (do ano que passou!) sem esperança à vista, de que façam algo para, que possam aceder à Interligação da Rede Nacional. E acertaram! Até hoje!... Nada! Mesmo agora, (2009) que vai ser construída uma fábrica, de componentes aeronáuticos, no Alentejo! Uma forma eficaz de poupar energia e criar postos de trabalho! Vamos deixar entrar uns raios de sol no nosso País, sim?

TSF : "Mais Cedo Ou Mais Tarde" entrevista em 6 Junho 2008 - Cogeração
Publicada por Fada do bosque
Mais um excelente texto e um assunto da máxima importância que o Blogue amigo sustentabilidadenaoepalavraeaccao, nos dá a oportunidade de divulgar.
Bem hajam
Fernanda Ferreira

3 comentários:

A. João Soares disse...

Cara Amiga Ná,
Um bom post que mostra a necessidade de coerência e abrangência nas políticas do aproveitamento das energias alternativas, em toda a sua dimensão, evitando limitar-se apenas a casos em que haja interesses parcelares.
Os políticos gostam de fogachos de propaganda e de negociatas de que recebam benefícios pessoais. Por isso, pela sua ignorância, pela arrogância e pela ausência de dedicação aos interesses nacionais, deixam de actuar em toda a extensão das soluções aconselháveis.
Repare que o eurodeputado Paulo Rangel disse claramente que a ética e a política são independentes uma da outra. Política nada tem a ver com ética!!!
Decidi fazer cogestão consigo (!) transcrevendo o post para dois blogues.
Beijos
João

Fernanda disse...

Caro Amigo João,

Obrigada por ter feito cogestão comigo e com as brilhantes colaboradoras, Manuela Araújo e Fada do Bosque, bem como do não menos fantástico Blogue Sustentabilidade não é Palavra é Acção.

Neste caso o óptimo "post" da Fada do Bosque é um muito consciente alerta para a necessidade de apoio às pequenas e médias empresas, para a implementação desta tecnologia, que não pode ser de forma nenhuma impedido ou negligenciado, mesmo que por trás estejam, como é bem evidente, as negociatas do governo.

Só neste País!!!

Beijinho

Fernanda disse...

Este comentário sobre o assunto exposto foi deixado no Facebook de Manuela Araújo, também amiga na minha página, ontem cerca das 14 h, por Alberto Fonseca:

"Tenho a dizer-lhe que a TMG - Têxtil Manuel Gonçalves também tem desde 1996, e como me parece que é uma pessoa interessada em questões ambientais também lhe digo que a central já funciona a gás natural. Os meus parabéns pelo seu interesse nas questões ambientais. se todos fossemos assim o Mundo estaria muito melhor, Parabéns"

27 de Agosto de 2009 23:24

Bjs,