04/06/2009

NUNCA NINGUÉM ESCREVEU TÃO CERTO....

Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.

Não temos a menor ideia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas.

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas... . Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fracção de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são rectas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los.

Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras.

A maquilhagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor.

As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas.. Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam connosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheiinha, simpática, tranquila e cheia de saúde.

Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objectiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher. Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.

As jovens são lindas... mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado. O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.

Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em Setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (não se saboteia e não sofre); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.

Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol' nem em spa... viveram! O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se!

Opinião de um homem sobre o corpo feminino! e que eu muito admiro como escritor.
Paulo Coelho

A beleza é tudo isto.
Caras amigas...isto é para nós...
NUNCA NINGUÉM ESCREVEU TÃO CERTO....
Vamos lá comprar o bikini e as mini-saias....
Deixemo-nos de dietas.....
Bjoquinhas
ASSIS (Anabela)...aprovado por
Fernanda Ferreira

8 comentários:

Dulce disse...



Que bom que ainda há quem pense assim, ou que pelo menos tenha a coragem de admitir que mulheres lindas são as femininas, ternas, sensuais, com ou sem alguns quilinhos a mais... rs... E reconhecer a beleza das mulheres depois dos quarenta.
bjs

TONY disse...

Amen, simplesmente.

Abraço

Mara disse...

Querida Ná,

Não sabes como gostei de ler este texto. Essencialmente, ficou-me na memória as "feridas de querra". Muito bem dito. Porque afinal as mulheres casam e logo se começam a preparar para ir para a guerra. São os filhos que nascem, cicatrizes (quando acontecem) que jamais desaparecem, boquinhas sequiosas que bebem seus leitinhos e que também deixam suas marquinhas. Como são belas as mulheres, mesmo quando já vieram da guerra, já cumpriram suas missões, etc. etc. Muito mais diria...


Milai

Luis disse...

Querida NÁ,
"As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são rectas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los."
Por estas palavras ou outras semelhantes lembro-me de um artigo muito interessante, escrito há muitos anos, na "Paris Match" onde os costureiros franceses foram muito atacados com as suas modas que em nada beneficiavam as mulheres!
Mas eles continuaram a "bater no céguinho" fazendo "ouvidos de mercador" e a moda continua, na maioria das vezes, a não beneficiar a MULHER!
Estou 200% de acordo com o post.
Beijinhos

Fernanda Ferreira disse...

Apetece-me dizer...ladies and gentlemen, wow!!!

Que este texto tenha sido escrito por um dos mais afamados escritores Brasileiros, mundialmente reputado, já é muito significativo, mas que tenhamos para além de duas amigas que comentaram até ao momento, mais pelo menos duas, a amiga que me envio o texto e eu própria, mais dois cavalheiros... pelo menos até agora, é muito reconfortante.
Vou comprar mesmo as mini saias, bikini sempre usei e se juntarmos esta informação à da amiga Celle de ontem, já agora também vou usar saltos altos e passar a andar mais despenteada…ahahaha!

Obrigada a todos.
Beijinhos

Ana Martins disse...

Amiga Ná,
Bem-Haja pela partilha do texto que tão bem homenageia e dignifica as Mulheres.

Beijinhos,
Ana Martins

Fernanda Ferreira disse...

Amiga Ana,

Obrigada.
Queria dizer-lhe que eventualmente efémera a minha passagem por aqui, a Ana também ficará sempre no meu coração.

Beijinhos

José Manuel Costa Ferreira disse...

Bem, o Paulo Coelho sabe o que diz, eu só posso concordar, não é?!

Acrescento apenas que as mulheres querem-se mulheres, femininas e ternas, tal e qual como ele as descreve.

Beijo,
J.Ferreira