18/06/2009

SOMOS INTEIROS OU APENAS FRAGMENTOS?


Saia um pouco da rotina e pense em como anda sua vida...

Por Fernanda Lopes - Terapeuta holística

Neste exato momento em que você lê este artigo, você está fazendo quantas coisas mais? Quantas coisas existem em sua mesa no escritório? Quantas preocupações existem em sua mente? Quantas coisas pra fazer mais tarde... Quantas coisas que você deixou de fazer... Um verdadeiro turbilhão no cérebro!

Eu convido você neste momento a relaxar, a estar presente, a estar aqui, a estar no agora! A refletir o quanto você tem estado inteiro no que faz e quanto na maioria das vezes você está fragmentado? No dia de hoje relembre se enquanto você ouvia alguém você estava realmente ali entregue? Se quando alguém lhe deu um beijo ou demonstrou um olhar de carinho, você estava realmente ali entregue. Se no serviço que você desenvolvia sua cabeça estava por aí divagando. Se você foi capaz de sentir algo de novo em algo que você apenas intitulava como rotina.

Desacelere o passo por um instante e você perceberá que muitas vezes você é mais um dentre tantos maratonistas que vemos por aí. Sempre correndo, sempre tentando encaixar o tempo para tudo o que se quer fazer. E o pior, muitas vezes não sabendo nem para onde se está indo.

Mas a verdade é uma só. Fazemos a maior parte das coisas por fragmentos. Não sabemos criar nossos momentos sagrados. Sagrado é um momento especial, é o momento em que você deve sentir que não existe mais nada além daquilo. É estar presente, é largar preocupações, ansiedades ou qualquer outro sentimento ligado a um tempo que não existe. Não existe afinal futuro ou passado. Você está aqui, perceba!

Muitos colocam a desculpa nos momentos difíceis e que diante desses não é possível deixar de se preocupar. E quando você chega em casa, o seu local de descanso, você acessa seu momento sagrado? Você é capaz de dar risada junto com seu filho? Abraçar seu companheiro ou companheira... Conversar com as pessoas sem ter que ligar a tv? Prestar verdadeiramente atenção naquilo que você faz, naquilo que você diz, naquilo que você ouve, naquilo que você é?

Com a desculpa de atender tantos pedidos externos, você muitas vezes se esquece de você mesmo. Esquece de que se não cuidar bem de sua casa, ela tende a cair. E uma casa com rachaduras, não pode oferecer segurança a ninguém! É preciso saber fazer uma coisa de cada vez.

Fazer de cada instante um local sagrado, colocar a mente e atenção em cada instante, aprender, sentir cada situação e cada pessoa. Saber que não estamos passando por nossa vida acelerados e sem dar sentido a algo, saber que estamos vivendo e não somente existindo. Saber comer, comendo. Tomar banho, tomando banho! Amar alguém, amando! É simples assim! Faça o que estiver fazendo de forma inteira.

Dê funcionalidade para a sua vida. Reduza o passo! Saiba fazer bem, mesmo poucas coisas que você fizer. Dê conta do que você faz! Tire o peso dos seus ombros e coloque mais felicidade nas suas relações.

Quantas vezes você conflitou com o outro, simplesmente porque não esteve presente quando o outro gostaria de lhe falar sobre seus sentimentos ou sobre aquilo que pensava? Quando estamos presentes, estamos atentos, conscientes! E então com consciência, passamos a perceber coisas que antes não víamos. Começamos a acessar a sabedoria dentro de nós, passamos a ter mais respostas para nossa vida, estas que antes buscávamos apenas em conselheiros de fora. Se estamos conscientes, estamos plenos em saber quais são nossas necessidades reais. Eliminamos coisas que não servem mais em nossa jornada (e por vezes, são muitas), para então esvaziarmos. E leves, podermos fluir com o grande rio da vida, atentos à todos os "presentes" que nos são dados diariamente.

Esteja inteiro no que faz! Seja inteiro para as pessoas com quem convive! Deixe as pessoas conhecê-lo de forma completa! Abrace de forma completa, beije de forma completa, ame de forma completa, escute de forma completa! Trabalhe de forma completa, ria, chore, de forma completa! Sinta a vida através de todos os seus sentidos! Sinta o gosto, o calor, o toque de todas as coisas....

Se você parar um pouco, o mundo não atropelará você! É apenas a sua mente quem deu permissão pra isso!

Só se pode crescer e tornar-se uma árvore com raízes firmes, se você aprende primeiro a confiar que a chuva sempre completa o processo do seu crescimento!

2 comentários:

A. João Soares disse...

É preciso limpar gavetas e reduzir a bagagem e viver cada momento como se fosse o último. A situação actual de muita gente não é viver, mas apenas ir vivendo ao sabor de muitas marés, ventos diversos, pressões de todos os lados, sem concentração sem dedicação total a qualquer coisa.
A sociedade moderna está a destruir o ser humano, sem uma finalidade consciente, válida. É um suicídio colectivo estúpido.

Beijos
João

Fernanda Ferreira disse...

Amiga Celle,
Subscrevo totalmente o que o amigo João disse.
A culpa nem é tanto do ser humano, que no momento é constituído pela geração dos nossos próprios filhos, que nós tanto tentamos educar com todo o amor e carinho e passar-lhes as noções básicas para alcançarem a felicidade e o bem-estar, é muito mais esta pressão, este desequilíbrio que advém do facto da instabilidade no emprego, do dia-a-dia sem perspectivas futuras, deste Mundo que virou do avesso.

Belíssimo texto, parabéns mana,
Fernanda Ferreira