07/06/2009

QUANDO EU MORRER...

Imagem do Google


Quando eu morrer
E de mim já nada restar
Serei o sopro do vento
Que agita o mar...

Quando eu morrer
E de mim já nada lembrar
Serei pó que no tempo
Esvoaça no ar...

Quando eu morrer
Sucumbindo a todos os sentires
Serei o eco a dizer
O amor que me dizes!


Ana Martins
Escrito a 31 de Março de 2009

3 comentários:

Luis disse...

Querida ANA,
Lindo mas muito triste. Por favor não morra pois tem muita poesia para nos dar e encantar!
Beijinhos

Mara disse...

Querida Poetisa,

Muito belo este poema.Como sempre- Mas, cuidado com o coração dos amigos SJ que podem não aguentar.

Parabéns / Mara


Nota: Para variar, hoje postei uma pequena prosa. Espero com ansiedade o seu comentário.

Fernanda Ferreira disse...

Querida amiga Ana,

Cada vez mais fã ... simplesmente!

Beijinhos
Fernanda Ferreira