24/06/2009

E:mail "aberto" a todos

Como os colaboradores antigos deste blogue sabem, há já bastante tempo que não participo nele, primeiramente por falta absoluta de tempo, depois pelas razões que expus ao amigo João Soares num e:mail que lhe enviei há dois dias, o qual ambos entendemos, por bem, ser dado a conhecer, para defesa da minha posição em matéria de colaboração.

O que comunico nele NADA, MAS MESMO NADA tem a ver com os novos colaboradores, textos dos quais não li, à excepção do amigo Luís. Não sei, absolutamente, se são ou não pessoas cujas mensagens são apreciadas pelos leitores. Trata-se, apenas, de relatar os porquês que estão imediatamente depois da minha COMPLETA falta de tempo para escrever coisas "minhas", tempo esse do qual, enquanto a minha neta estiver comigo, em Londres, não poderei dispôr. Transcrevo, portanto, a seguir, o e:mail que referi, na íntegra:
...................
"Amigo João Soares,

Obrigada pelo seu e:mail e pelas suas palavras, que guardarei no meu coração. Vai, talvez, ser demasiado longo o meu e:mail, mas a minha correcção e frontalidade, levam-me a tentar fazê-lo compreender o que sinto hoje, relativamente ao blogue "Sempre Jovens".

"Sinto" - através do grande número de e:mails que recebo dos textos colocados no blogue - que já há colaboradores suficientes nele. João Soares, a minha opinião MUITO PESSOAL, eventualmente errada, é a de que me parece um blogue demasiado "cheio". Não sei, quer-me parecer. Peço perdão se não devia "meter a foice em seara alheia" ....

Quando eu colaborava no blogue, fazia-o com um prazer especial. Tinha algum tempo disponível, mesmo que fosse de madrugada. Quem corre por gosto não cansa. Havia os posts do João Soares, com temas muito seus, que o identificam como uma pessoa atenta à política e à injustiça social (que prolifera um pouco por todo o lado no nosso país e não só ...). Quando se vê o seu nome num post, não há dúvida que sabemos o que esperar nele. O seu leitor "espera" isso de Si. Depois havia a Ana Martins, com a sua poesia muito particular, muito sentida, muito profunda. Também aqui, o leitor amante desta forma de expressão escrita, podia mesmo visitar o blogue na procura curiosa e interessada de mais um poema dela. Depois havia a Mara, que costumo classificar de "suave", doce, com os seus quadros que traziam colorido ao blogue. Uma verdadeira senhora, extremamente sensível. Uma vez disse-lhe que eu sentia que, quando ela aparecia, lembrava alguém que vem com um docinho feito em casa, feito por ela, mesmo quando o que escrevia não fosse de sua autoria. O seu comentário à história que contava "transpirava" Mara por todos os poros. Depois surgiu a Ná, com o seu gosto pelo turismo e pela arte universal, dirigida ao leitor menos atento ou mesmo menos informado. E por fim, estava ali eu, a "desabafar" coisas da vida, ou mesmo da minha vida, que provavelmente não seriam interessantes mas ... como costuma dizer-se: cada um dá aquilo que pode e sabe. Depois ... eu prenchia, TALVEZ, as ausências da Ana Martins, que não escrevia tantas vezes. É uma poesia diferente, a que eu escrevo, mas identifica-se comigo, como disse, um dia, faço poesia "enrolada no meu eu" ....

Hoje, João Soares, muito do fundo do meu coração, não tenho tempo para ler tanta coisa que se escreve ali. Eu preferia, talvez, ler coisas criadas pelo próprio, mais do que transcrições de coisas feitas por outros. Não sendo assim, lembra-me as festas familiares onde o que se come foi comprado fora e só é da autoria de quem faz a festa, a decoração. Isto não quer dizer que não se transcreva um artigo, desde que não seja demasiado "maçudo", mas o sumo deverá ser a mistura dos seus autores, para podermos apreciar o valor de quem o transcreve, como faz o João.

Como o meu amigo sabe, tão bem ou mesmo melhor do que eu, os seus artigos transportam o leitor, por curiosidade e admiração, ao seu blogue, porque sabem bem o que irão encontrar lá, o mesmo acontecendo com qualquer dos colaboradores que referi. É também aqui que está a importância do blogue, proporcionando ao leitor a possibilidade de identificar-se com o autor de cada texto e procurá-lo noutras fontes. O Luís, por exemplo, é uma pessoa muito perspicaz, por vezes até (TALVEZ) mordaz, mas com uma sensibilidade absolutamente de admirar. Seria isso que eu gostaria de ver no "Sempre Jovens": não muitos, mas bons. Isto NÃO SIGNIFICA, DE MODO ALGUM, que quem colabora hoje não seja bom, simplesmente me parece muita gente. Hoje não estaria, se tivesse tempo, motivada a ler TUDO o que se escreve porque me cansaria andar à procura nos blogues de quem admirasse mais, que será o que provavelmente acontece com outras pessoas.

Depois de ter, também agora, "desabafado" consigo, vou ver se janto porque são 22:50 e ainda não o fiz.

Um grande e amigalhão abraço. Escreva até que a sua mão lhe doa. E se doer, trate-a, porque haverá muito leitor que desejará vê-lo com a mão ágil. Isto é o que costumo dizer a quem gosta de escrever.

Mizita"

Espero ninguém fique melindrado com o que escrevi. Fi-lo "com o coração nas mãos", a um amigo, mas achámos por bem, repito, publicar o segundo motivo pelo qual não venho ao blogue. Àqueles que desejariam eu participasse, peço perdão. Fui honesta comigo própria. O que escrevi é a verdade que me leva a sentir-me desmotivada para colaborar, além da falta de tempo, refiro. E, outra coisa que não referi: o comentário de cada um impõe-se, moralmente e eu não podia comentar tanto trabalho. Estes são os "MEUS" senãos quanto ao blogue.

Para TODOS, sem excepção, vai o meu carinho pelo gosto que possam ter de escrever. Continuem a participar. Foi para isso que ele iniciou há dois anos. Eu passei por aqui ... COM MUITO GOSTO!

Maria Letra

9 comentários:

Ana Martins disse...

Maria Letra,
passou por aqui e muito curto foi o tempo que colaborou connosco. Já várias vezes me perguntei qual seria o motivo do seu afastamento, assim como o da Mariazita. Não o questionei a si nem a ela por recear invadir a vossa privacidade.
Lamento que assim seja, mas tenho que concordar consigo, tem toda a razão, neste momento considero o Sempre Jovens com excesso de posts por dia, o que leva o leitor a nem sempre os ler e os poucos que lê, por vezes não comenta.

Desejo-lhe tudo de bom e muita saúde, a si e a todos os seus.

Beijinhos,
Ana Martins

Luís disse...

Querida MIzita,
Antes de tudo agradecer-lhe as suas boas palavras e dizer-lhe humildemente que as não mereço. Como tem visto não sou dos mais criativos mas procuro, isso sim, motivos e temas para os comentar e poder apresentar o meu modo de ver sobre os mesmos. Talvez, como diz, seja mesmo muito mordaz mas o momento que ora se vive assim o exige! Sou, de facto, intervencionista e daí a minha procura constante de temas que justifiquem tal atitude.
Como anteriormente lhe disse sou Humanista e vejo que a sociedade actual, seja em Portugal seja pelo Mundo inteiro, é muito materialista, consumista e revelando um "novo-riquismo" desmesurado! Isso aflige-me de sobremaneira pois acho que estamos a caminho do fim!!!! Não sendo fatalista de modo algum acabo por assim pensar vendo o caminho que se está a tomar na maioria dos assuntos respeitantes ao Ser Humano. Fala-se dos DIREITOS DO HOMEM, dos DIREITOS DAS CRIANÇAS, dos DIREITOS DOS TRABALHADORES, etc., etc., mas nem só não os seguem nem tão pouco pensam que para haver direitos há que pensar igualmente nos DEVERES que devem coexistir complementarmente a esses mesmos DIREITOS, sem o que não haverá JUSTIÇA SOCIAL!
Mas falemos do seu e-mail que achei muito interessante e válido. Mas, se me permite, não vejo razão para o abandonar mas sim reduzir a sua importante colaboração à sua actual disponibilidade. Percebo que gostasse de fazer comentários a todos os post's quando pudesse vir aos "Sempre Jovens" mas, com uma intermitência na sua colaboração isso não será possível e todos nós o compreenderão e não ficaremos magoados ou melindrados.
Não sei o que o João lhe terá dito mas julgo que terá sido algo semelhante, portanto venha "suavemente" como diz que a Mara vem, e com intermitências como a Ana por vezes tem, venha com a sua acutilância e a sua voz juntar-se a nós. Até rima como vê... Como dizem os treinadores de futebol, modalidade agora tão em voga e pelos piores motivos infelizmente, "não deite a toalha ao chão"!
Cá a espero de vez em quando para nos dar alento nesta luta constante por um Mundo melhor!
Um grande abraço de muito carinho e respeito,

Fernanda Ferreira disse...

Amiga Mizita,

Lendo este "desabafo" fico com a estranha sensação de déjà vue...também eu já estive com um pé fora e outro dentro.
Contudo, e porque há sempre forma de contornar as dificuldades e até os mal entendidos que possam surgir, aqui estou COM IMENSO GOSTO.
Primeiramente, gostaria de dizer que entendo a principal razão que a levou a deixar o Sempre Jovens, a falta de tempo, contudo essa não sendo uma razão eterna não entendo porque tem de ser definitiva.
A segunda já tem mais peso, mas mesmo assim e sentindo que tentou salvaguardar o meu nome de alguma maneira (muito obrigada), eu sinto-me metida no saco dos novos elementos, que sem dúvida sou, contudo e apesar de concordar que há excesso de posts e alguns de qualidade dúbia, também não posso deixar de lhe lembrar que quando eu entrei, a Mizita se queixava exactamente da falta de colaboração dos outros colegas.
Tive hoje a oportunidade de enviar um pequeno e-mail ao amigo João, onde justamente expunha as minhas preocupações quanto ao rumo do Blogue.
Os novos colaboradores estão na fase da paixão (eu já por lá passei, e sei dar o valor) e tenho a perfeita noção de que a Mizita também passou pelo mesmo, eu senti isso, é natural... os novos têm tão somente que ser informados clara e directamente o que se espera deles e tudo correrá bem.
Quanto ao ler e comentar todos os posts ser uma tarefa impossível ...sem dúvida alguma que estamos de acordo, mas quem disse que temos que o fazer, nem nós nem os leitores. Conforme diz, e muito bem, que os leitores já sabem que vale a pena ler qualquer texto que o amigo João publique, também procurarão outros autores cujo cunho pessoal mais lhes agrade, e não será assim que deve ser?
Gostaria de sublinhar que este é um Blogue de diferentes colaboradores, só por isso é inevitável que não agrade a todos e que logicamente tenda a ter muitos textos. Para que tal aconteça, basta que cada um de nós publique um só texto por dia.
Antes de terminar este já demasiado longo comentário, peço-lhe que ao invés de abandonar o barco em maré difícil, se junte novamente e nos ajude com a sua frontalidade, qualidade, amizade, tenacidade, sem esquecer o amor que sempre nos dedicou a erguer bem alto os valores que defendemos para este Blogue, o amigo João está aí...felizmente, mas não é imenso e não merece ser abandonado.
Mizita, em nome da nossa amizade, peço-lhe que reconsidere.
Beijinhos mil,

A. João Soares disse...

Agradeço à Amiga Mizita e aos comentadores anteriores,

Realmente o Sempre Jovens, actualmente, está difícil, incómodo e indigesto!
Deixou de ser uma fonte de prazer para ser um pesadelo.


Há poucos trabalhos dos autores (colaboradores, contribuidores) e demasiadas colagens de anexos de imagens e vídeos sem grande interesse, sem nada dizerem dos contribuidores e que tornam o blog demasiado pesado, lento e de consulta difícil.
Confesso que não leio talvez 80% ou mais das coisas aqui coladas!!!

Como o blog é colectivo, se cada autor publicar um post por semana temos na semana 11 posts o que já é demasiado para quem nos visitar semanalmente. Mas há alguns autores do blog que ousam colar por dia mais do que um anexo que recebem por e-mail.

Também publico aqui obra alheia transcrita de outras origens, mas procuro que elas sejam um complemento das minhas ideias expressas geralmente em Nota introdutória ou em Nota final.

Já, por várias vezes, pedi a atenção dos colegas para terem cuidado com o nosso blog.

Embora tenha blogs pessoais e colabore em muitos colectivos sinto carinho por este e não queria perdê-lo. Mas, por vezes, sinto desmotivação semelhante à da Mariazita, da Mizita e da Ná.

Faço um APELO a todos: compenetrem-se daquilo que deve ser um blog colectivo e respeitem o espaço de todos e pensando sempre nos visitantes. Para guardearem tudo o que acham interessante, usem os vossos blogues pessoais.

Abraços
A. João Soares
A. João Soares

Maria Letra disse...

Agradeço os comentários feitos ao meu e:mail, mas não gostaria de vê-lo ser causa duma polémica. Peço isso POR FAVOR. Quando decidimos, por convicção nossa, que eu deveria torná-lo público foi pela razão apontada e não por qualquer outra. Dito isto, eu agradeço à Ana Maria, sempre duma grande gentileza, o seu comentário, bem assim como à Ná, sendo que, no caso dela, por quem tenho, também, muito carinho, acrescento o seguinte: Não haverá, certamente, NENHUM mal-entendido. Trata-se, tão somente, de sermos leais uns com os outros. A minha falta de tempo não será eterna e desde já prometo tudo fazer para que o meu não-postar não seja definitivo. Afinal eu não tenho nada contra ninguém. O facto de afirmar que sinto que o blogue está demasiado cheio significa, apenas, que é isso mesmo que EU sinto. Não há nada mais escondido na minha afirmação até porque, como disse, deixei de ler o que se tem postado nele. Basta-me ver as inúmeras mensagens publicadas e que caem, como acontece com todos, no meu e:mail. A minha paixão de escrever sempre existiu em mim, desde os meus 12 anos. Não seria agora que iria perdê-la, creio eu. Tinha algum tempo disponível, o qual deixei de ter por ter comigo, repito, a minha neta, no momento actual. Depois, os textos publicados, aliados aos comentários dos colaboradores, dão-me a sensação de que mais um a escrever começa a ser demais para quem lê. Admito estar errada, mas é o que EU sinto. Nunca houve mais paixão no início, pelo menos da minha parte. Houve, isso sim, mais tempo livre. Eu continuo a ter a mesma paixão. O que deixei de ter foi o tempo que me permita não só escrever mas, também, ler o que os meus colegas do blogue escrevem, o que gostaria de poder fazer, mas que não posso, actualmente.
Cada um dos colaboradores que referi, tem uma tendência de estilo que os identifica e qualquer um deles preenchia as necessidades do blogue, quer-me parecer. Com a existência de 11 colaboradores, se me permitem a sugestão, eu talvez aconselhasse serem evitadas, "simplesmente", reproduções, colagens, etc., de outros autores, em deterimento de textos - ou mesmo críticas a notícias publicadas - com o cunho pessoal de quem escreve para este blogue. Trazer textos próprios - isto é o que eu penso e sinto - é oferecer ao leitor novidades que ele desconhecia e, ao mesmo tempo, permitir-lhe-á avaliar a capacidade de quem escreve. Seja ela boa, ou má, é a sua capacidade de comunicar com os outros que importa. Quem não gostou, paciência, mas ele está a dar o seu melhor, mesmo quando faz a sua crítica a uma notícia, a uma obra de arte de outros, etc. Estarei errada, mas será que a minha opinião pode ser aceite tal como é, sem a pretensão de estar com a razão do meu lado?
Conclusão: eu costumo dizer "escrevam até que a vossa mão vos doa". Não deixem que ela seja by-pass de trabalhos feitos por outrem. O leitor interessado pode fazer buscas e encontrará, na internet, o que pretende. É tudo uma questão de trabalho que terão de enfrentar. A curiosidade sôbre o que se publica no blogue "Sempre Jovens", estou convencida, será maior.
Um abraço.
Maria Letra

Maria Letra disse...

Amigo Luís,
Obrigada pelo seu comentário.
No que se refere ao Humanismo e ao seu horizonte, relativamente ao final que sente estar próximo, eu gostaria de dizer-lhe que temos todos razões de sobra para estarmos preocupados com os escândalos que acontecem em todos os países, neste momento. Eu não vou tão longe, porém, quando o vejo acreditar que estamos a chegar ao fim. Se pensarmos nos pôdres que sempre existiram em sociedades, alguns séculos atrás, facilmente chegamos à conclusão de que há muito que estamos a chegar ao fim, o que não é a minha opinião. O que realmente me preocupa é o conflito religioso, porque para o resto, bastaria recriarmos métodos educativos nas escolas. É aí que começaria um bom trabalho. Mas quem estaria à altura de recriar o sistema de educação e ensino, quando a realidade triste é aquela que nos indica que o maior problema tem origem nos adultos? Quantas gerações seriam necessários para limparmos marcas profundas que ainda hoje existem em todos nós, pais e avós de seres a quem nada estamos a dar de concreto?
Não quero que o meu comentário deixe de sê-lo para passar a ser um mar de lamentações.
Obrigada Luís. Este tema fica para mais tarde, se eu, realmente, conseguir o tempo que me falta.
Um abraço amigo.
Maria Letra

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
Não deveria dizer mais nada depois de ler o seu comentário, além de agradecê-lo. Eu disse o que sentia, o amigo fez, certamente, o mesmo. Não o comento porque sabe muito mais do que eu quanto a administração de blogues. Eu só quis transmitir-lhe que, neste momento, sinto o blogue muito "cheio", o que não significa seja de coisas sem valor. LONGE DE MIM TAL COMENTÁRIO. O que penso é que, com a dedicação com que os 10 colaboradores o fazem (excluindo-me), seria bom que cada um trouxesse a SUA própria expressão escrita, a qual, tenho a certeza, será preciosa. Se, a falta de tempo dos colaboradores é, também, parecida com a minha, seria preferível postar menos mas fazê-lo com o seu cunho muito pessoal, ao invés de publicarem coisas que poderão ser encontradas facilmente em buscas na net.
E não gostaria de ver este assunto levado à abertura de mais diálogos sôbre o tema "e:mail aberto". Na minha falta de tempo, já ocupei demasiado o espaço a que outros têm direito. Obrigada a todos e peço desculpa se feri susceptibilidades. Se o não fizesse, estaria a trair-me.
Um abraço.
Maria Letra

Luis disse...

Amigos,
Mais uma vez obrigado pela Vossa atenção. Concordo com todos quanto ao número de post's que colocamos, vou começar a ser mais comedido, prometo!
Um abração a todos

Mara disse...

Querida Mizita,

Não posso deixar de admirar a tua frontalidade sincera e tão verdadeira
sobre o blog que sigo, lentamente, docemente (palavras tuas), quase desde a sua criação.
Só te peço que não me atribuas tanta doçura porque, de repente posso transformar-me num bolinho de arroz, que por acaso é o meu preferido acompanhado de um cafezinho e um livro ao lado. Belo momento do meu dia a dia.

Ao amigo João só posso dar os parabéns pela sua constante preocupação em manter o nível do blog a que ele deu vida e que, apesar dos altos e baixos, é sempre e será o blog dos SEMPRE JOVENS.
Um blog com carisma e muito boa gente.

Tudo de bom para o blog e para todos os que nele participam, cada qual à sua maneira, e o melhor que pode, e o tempo deixar. Não esqueçamos como a vida é dura.

A minha admiração por tudo e por todos.

Milai