01/11/2009

ATITUDE - PARA REFLEXÃO E ACÇÃO!!!

A diferença entre os países pobres e os ricos nada tem a ver com a sua idade. O Egipto tem 5.000 anos e é pobre, enquanto, o Canadá, a Austrália e a Nova-Zelândia, que há 150 anos eram inexpressivos, hoje são países desenvolvidops e ricos.
A diferença entre países pobres e países ricos também não reside nos seus recursos naturais disponíveis. O Japão possui um território limitado, inadequado para a agricultura e criação de gado, mas é a segunda economia mundial. É uma imensa fábrica flutuante que importa matéria-prima do mundo inteiro e a transforma, exportando de seguida os produtos manufacturados.
Outro exemplo deste tipo é a Suiça. No seu território, cria animais e cultiva o solo apenas durante quatro meses no ano e, no entanto, fabrica laticinios da melhor qualidade, exportando-os para todo o mundo. É um pequeno país que passa uma imagem de segurança, ordem e trabalho, pelo que se transformou no cofre-forte do mundo!
Por outro lado, não há qualquer diferença intelectual entre os gestores de países ricos e os seus homólogos dos países pobres.
A raça, também não é importante: os imigrantes rotulados de preguiçosos nos seus países de origem, são a força produtiva dos países europeus ricos.
Onde está então a diferença? Está no nível de consciência dos seus povos, no seu espírito. A evolução da consciência deve constituir o objectivoprimordial dos Estados, em todos os níveis do poder. Os Bens e os Serviços são apenas meios...
A Educação e a Cultura ao longo dos anos, deve criar consciências colectivas, estruradas nos Valores eternos da Sociedade: MORALIDADE, ESPIRITUALIDADE e ÉTICA.
No nosso caso a solução é transformar a consciência do Português! O processo deve começar na comunidade onde vive e convive o cidadão.
A comunidade, quando politicamente organizadaem Associações de Moradores, Associações de Pais, Clube de Mães, Clube de Idosos, etc., torna-se um Micro-Estado! As transformações desejadas pela Nação para Portugal, serão efectuadas nesses Micro-Estados, que são os atomos do Organismo Nacional. Ao analizarmos a conduta das pessoas nos países ricos e desnvolvidos, constatamos que a grande maioria segue a prevalência do espírito sobre a matéria, adoptando os seguintes Princípios de Vida:
  1. A Ética como base;
  2. A Integridade;
  3. A Responsabilidade;
  4. O Respeito às Leis e Regulamentos;
  5. O Respeito pelos outros Cidadãos;
  6. O Amor ao Trabalho;
  7. O Esforço pela Poupança e pelo Investimento;
  8. O Desejo de Superação;
  9. A Pontualidade.

Somos como somos, porque vemos os erros e só encolhemos os ombros e dizemos: "não interessa!..."

A preocupação de todos, deve ser com a Sociedade, que é a Causa, e não com a classe política, que é o Triste Efeito!
Só assim poderemos mudar o Portugal de Hoje e torná-lo num Portugal com Futuro!!! Vamos agir!!!

Reflitamos nas palavras de Martin Luther King:

"O que é mais preocupante, não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, ou dos sem ética. O que é mais preocupante, é o silêncio dos que são bons..."

PENSEMOS NISTO...

Autor desconhecido, recebido de João Brito

4 comentários:

Luis disse...

Amigo João,
Interessante o facto de termos postado o mesmo artigo ainda que com titulos diferentes e em blogues igualmente diferentes. Mas como já referi isto demonstra a nossa identidade de Princípios e Valores.
Um abraço amigo.

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Conhecia o texto, também recebido por e-mail e não posso deixar de concordar com tudo o que nele consta.
Portugal segue sempre as tendências da moda, do supérfluo num ápice.
No entanto, quando se trata de seguir os bons exemplos vindos de países com provas dadas, no que respeita a política e outros aspectos, até culturais, simplesmente nada fazem.
Incompreensivelmente ...ou não...há interesses pessoais que falam mais alto!!!

Beijinho

Maria Letra disse...

Amigo Luís,
Quem quer que seja que tenha escrito este texto, acertou em cheio. Gostei muito de lê-lo.
Uma boa semana.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

Quando aqui colocaste este texto não podias conhecera versão que coloquei no Do Miradouro, pelo simples facto de ele ter sido copiado deste teu, como ficou declarado solenemente no fim. Pecado confessado está perdoado!!!
E dito isto fica aqui a prova de quanto apreciei esta tua escolha de aqui trazeres esta ATITUDE.

Um abraço
João