09/11/2009

Antigo Conselho Chinês



SABEDORIA CHINESA


Era uma vez…

Um velho camponês chinês, muito pobre mas muito sábio, trabalhava a terra duramente no que era acompanhado de seu filho.
Um dia o seu filho disse-lhe: “ Pai, que desgraça, o nosso cavalo fugiu”.
Respondeu-lhe o Pai: “Porque lhe chamas desgraça? Veremos o que nos trás o tempo”.
Passados dias o cavalo regressou acompanhado de linda égua selvagem.
“Pai, que sorte. O nosso cavalo trouxe consigo uma égua”. Exclamou o rapaz.
Respondeu-lhe o Pai: “Porque lhe chamas sorte? Veremos o que nos trás o tempo”.
Dias depois o rapaz foi montar a égua mas esta, não estando habituada à sela deitou-o ao chão partindo uma perna na queda.
Pai, que desgraça, parti a perna”, disse o rapaz.
O Pai retomando a sua experiência e sabedoria, retorquiu: “Porque lhe chamas desgraça? Veremos o que nos trás o tempo”.
O rapaz não se convencia da filosofia do Pai. Mas poucos dias depois passaram pela aldeia enviados do Rei à procura de jovens para os levarem para a guerra. Foram a casa do ancião, viram o jovem debilitado, deixaram-no, seguindo o seu caminho.
O jovem, então, compreendeu que nunca se deve dar nem a desgraça nem a fortuna como absolutas. Para se saber se algo é mau ou bom é necessário dar tempo ao tempo…

MORAL DA HISTÓRIA

A vida dá tantas voltas que tanto o mau pode vir a ser bom, como o bom pode vir a ser mau!
ESPEREMOS O DIA DE AMANHÃ COM ALEGRIA E VIVAMOS O DE HOJE EM PLENITUDE!

3 comentários:

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Por isso a partir de Outubro de 1961 houve um grupo numeroso que passou a referir-se a mim como «o chinês».
Essa tua de esperar o dia de amanhã com alegria é muito perigosa. O bom de hoje pode amanhã ser mal, como disse o velho chinês. É preciso serenidade, sem entusiasmos, com expectativa, dando tempo ao tempo.

Um abraço
João

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Gostei muito do texto e dos seus ensinamentos.

Eu tiraria como moral da história: "nada acontece por acaso".

Beijinho,

Luis disse...

Meus Bons Amigos,
Porque não sou pessimista penso que devemos ter esperança e alegria no amanhã e ter plenitude na luta do dia-a-dia, sendo bem verdade que nada acontece por acaso! Quanto a alcunhas já desde o meu Pai no CM até aos meus filhos, passando por mim, fomos apelidados de "chineses", mas era por termos traços orientais...
Um abração