26/11/2009

Gripe A

MÉTODOS PREVENTIVOS

As únicas portas de entrada são as narinas e a boca/garganta. Numa epidemia global desta natureza, é quase impossível evitar estar em contacto com o vírus H1N1,apesar de toda precaução. Contactar o vírus não é tanto o problema, mas sim a sua proliferação.


Enquanto está saudável, e não mostra sintomas de infecção, para prevenir a proliferação, agravamento dos sintomas da infecção? e desenvolvimento de infecções secundárias, devem-se observar algumas regras, muito simples, que não estão a ser difundidas como deveriam ser.

Lavar as mãos frequentemente, como está a ser amplamente difundido. Evitar, a todo o custo, o contacto das mãos com a cara, excepto se for a comer ou a lavar-se, como é evidente.

Gargareje 2 vezes ao dia com água salgada morna (use Listerine ou Peróxido de Hidrogénio, se não acredita na água salgada). O vírus H1N1,demora dois ou 3 dias a encubar, na garganta ou nas fossas nasais, até proliferar e aparecerem os sintomas. O simples gargarejo impede o proliferar. De certa
maneira, gargarejar com água salgada tem o mesmo efeito, num indivíduo saudável, que o Tamiflu num doente. Não desvalorize esta simples, económica e forte medida preventiva.

Semelhante à anterior, limpe, pelo menos 1 vez ao dia, as fossas nasais, com água salgada morna, ou Peróxido de Hidrogénio. Nem toda a gente é boa em fazer Jala Neti ou Sutra Neti ( asanas de yoga muito boas para limpar as cavidades nasais),mas assoar suavemente o nariz e limpar as fossas nasais com um
cotonete embebido em água morna salgada, é extremamente eficaz e diminui a população viral.

Aumente a sua imunidade natural aumentando a ingestão de alimentos ricos em Vitamina C. Se precisar de ingerir um Suplemento de Vitamina C, tome um que contenha um pouco de Zinco, para aumentar a absorção da Vitamina C.

Tome a maior quantidade de líquidos quentes que poder (chá, café, leite, etc...).Tomar líquidos quentes tem o mesmo efeito que o gargarejar, mas na direcção contrária. Os líquidos lavam a proliferação do vírus da garganta para o estômago, onde eles não sobrevivem, proliferam ou causam algum mal.

1 comentário:

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Mais uns bons conselhos, nunca são demais e fazem todo o sentido.

Obrigada,
Beijinhos