14/11/2009

Lutemos para sair do labirinto

"O homem recusa-se a deixar os seus labirintos", segundo o poeta René Char.

Outro poeta, Henri Michaux, enuncia a razão profunda deste fascínio: "No labirinto se encontra o caminho certo, oculto entre mil caminhos falsos".

Em alquimia, o labirinto é um símbolo de iniciação. É uma metáfora do conhecimento, de si e do mundo e representa as dificuldades e as provações por que se tem de passar até se atingir a perfeição.

Temos de lutar para sair do labirinto e nos aproximarmos da perfeição, sempre inatingível.

6 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo,

Eu diria que muitas vezes o homem cria os seus labirintos, talvez para não se expôr.

Sendo a perfeição inatingível, como bem sabemos, tentemos pelo menos ser transparentes e humildes para que possamos aprender e tentar chegar o mais perto possível desse patamar.

Beijos

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Labirinto é realmente uma teia complexa em que é difícil encontrar a saída, a qual é o ponto final depois de muitas tentativas frustradas. No post Pensar antes de decidir apresenta-se um método de estudo para preparar as decisões e, se bem observado, nas primeiras fases o ambiente é de labirinto, até que depois de comparar todas as hipóteses de solução começa a aparecer a luz ao fundo do túnel. Depois falta só escolher a melhor e formular a decisão.
Mas não deixa de haver labirinto, pois, a cada passo, é preciso decidir e o fenómeno de preparar a decisão repete-se, embora de menos dificuldade.
Toda a vida, a todo o momento, se tem de tomar decisões. Já imaginou o número de vezes que, ao volante de um carro, se tem de mexer o volante para a esquerda e para a direita, o travão, o acelerador, as mudanças, os piscas, etc. Decidir é viver, é sair do labirinto.

Beijos
João

Ana Martins disse...

Caro amigo João,
humildade, honestidade e transparência são três das virtudes que qualquer Ser Humano deveria possuir. A perfeição, como muito bem o disse, é inatingível, mas podemos sempre tentar aprender com os nossos e os erros dos outros. Eu costumo dizer que errar é Humano, o que não é humano é cometer sempre os mesmos erros.

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Querida Ana,

No mais recente post da amiga Ná, concordei que o momento presente é a coisa mais importante da nossa vida e será doentio remexer no passado, mas concordo consigo, que o passado é a nossa raiz, a fonte da sabedoria, e nunca devemos esquecer as experiências que nos enriqueceram a personalidade. A melhor sabedoria resulta da análise dos nossos erros e dos erros dos outros. Mas aquilo que foi erro pode hoje não ser, por isso que o esquema de raciocínio que linkei no comentário anterior é muito útil, mesmo que aplicado de forma abreviada.

Beijos
João

Luis disse...

Caros Amigos,
Na realidade a vida é um labirinto contínuo que nos obriga a estar sempre atentos para poder sair dele sem nos "chamuscarmos". Se tivermos atenção aos sinais que a vida nos vai dando conseguimos tal intento, caso contrário ficaremos "atados" sem saber sair desse labirinto!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

O essencial é não perder a calma, para raciocinar serenamente, sem afugentar a lógica.

Um abraço
João