29/04/2010

Anorexia - Para ver e pensar!



Atenção: Este vídeo contém imagens que podem chocar pessoas mais sensíveis.

Na minha pesquisa por alimentos saudáveis para o Blog Alimentação e Saúde, caí literalmente de para-quedas no Blog Obesidade Invisível.
O que li, um depoimento verídico, e o vídeo, que nos dão imagens reias, chocantes mas reias... deram-me a noção exacta da importância de trazer este tema e divulgá-lo o mais possível.

Trata-se de um tema, infelizmente, sempre actual.
Conheço pessoalmente, pelo menos dois casos, bem de perto e sei como é horrível para os próprios e para as famílias lidar com este problema.
Sabemos todos que esta é causa de morte de muitos, sobretudo adolescentes, que almejam a "Perfeição" física e que rapidamente se transforma numa obsessão e doença horrível.
Passo a transcrever o depoimento, na esperança de que possa ajudar a alertar consciências ou até ajudar em casos concretos.

- Desejo de Perfeição -

"Há alguém que quer se perfeito em tudo. No que faz, no que escreve. Levam-no(a) a "amarrar-se" na escrita, no falar e no viver. Mas como pode ser alguém perfeito quando se destrói a si mesmo(a)?

“O ser humano morre pela boca, pelo que come e pelo que fala”

Testemunho - Drama compulsivo.
Anónimo

Pois bem, vou explicar o porque disto tudo.
Comecei por me achar feia e a recusar-me sentir bem comigo própria. À medida que o tempo passava eu sentia-me cada vez pior e que tudo o que estava a fazer não tinha resultados.
A minha cabeça estava confusa e a tomar cada vez mais o controlo sobre mim. Comecei por reduzir cada vez mais o que comia, marcar horários para comer, e a castigar-me cada vez que supostamente, na minha mente, eu comia muito, quando comia uma miséria. O tempo foi passando e a minha variedade de alimentos foi reduzindo cada vez mais. Não comia pão, fritos, tudo o que fosse de níveis altamente calóricos.

Comecei a criar vícios como levantar-me muito cedo, comer a certas horas e certas quantidades, do mais mínimo que se pode imaginar. Olhava sempre as calorias dos produtos que comprava e até uma simples pastilha me fazia confusão comer.
Na verdade os médicos em Coimbra ajudaram-me muito até chegar ao ponto em que estou, mas para se sincera hoje não sou feliz na mesma, sinto-me tremendamente horrível e tenho repugnância de mim própria, tenho crises nas quais como compulsivamente e vomito logo a seguir. Muita gente pode pensar que já estou curada, pois é o que aparento.
Estou mais bem-disposta, mais comunicativa, mas por dentro estou igual ou pior ainda, só quem passa por esta situação compreende o que sinto. É uma angústia constante que tenho que aprender a controlar, por trata-se do meu corpo e da minha nojice perante ele, ninguém tem que viver com o meu problema senão eu, pois eu o arranjei eu é que o tenho que resolver.

Por isso quando pensarem que estão muito gordos, ou que isto ou que aquilo, lembrem-se na prisão que podem cair e arruinar a vossa vida. Ou simplesmente pensem naqueles que estão em subnutrição por obrigação e não pela mania das gorduras. Pensem bem, pois aquilo que interessa em cada um de nós, é o que vai por dentro, o exterior é apenas um acessório, do qual temos que cuidar, não só pelo que os outros vão pensar mas principalmente pela nossa saúde e bem-estar, a auto-estima é muito importante na vida de todos nós.

"Há quem morra tentando 'dizer' com o corpo coisas que ninguém foi capaz de escutar..."
Fernanda Ferreira (Ná)

13 comentários:

J.Ferreira disse...

Tema forte mas infelizmente real.

É duma tristeza que dá dó, ver como as pessoas se transformam e ou ficam afectadas para sempre.
Em casos extremos morrem mesmo.

Conhecemos sim casos e bem perto de nós.
Uma delas está aparentemente curada, continua com altos e baixos, casou mas ficou estéril, uma das várias sequelas.

Muito triste mesmo.

Beijo
J.Ferreira

Ana Martins disse...

Querida Ná,
Conheço bem esta doença e todos os seus efeitos, lidei de perto com um caso que chegou a tentar o suicidio, esta menina é hoje uma Senhora casada e mãe de um lindo casalinho, cheguei a por-lhe aparadeira e a vê-la dar com a cabeça nas paredes. Quando a pensavamos curada, já casada, aqui em minha casa simulou que tinha caído e bateu com a cabeça na esquina da minha porta das traseiras, fez dois golpes feios e foi para o hospital.
Já há uns anos que me parece que anda bem mas sempre tememos uma recaída.

Beijinhos,
Ana Martins

Luis disse...

Querida Amiga NÁ,
É uma doença da epoca, e veio com a mania dos modelos magríssimos.
Hoje em dia já não são aceites modelos sem formas para evitar a continuação das anoréticas. Conheci dois casos também mas que foram bem acompanhados desde o seu inicio e, talvez, por isso mesmo estão totalmente curadas, "casadíssimas" e cheias de filhos.
Bom post de alerta.
Beijinhos amigos.

direitinho disse...

As medidas e as desmedidas.
É pena que os nossos jovens sejam tão influenciados negativamente e acabem perdendo o gosto e a alegria de viver
Como houve em tempos publicidade enganosa para o vício do tabaco, hoje existe publicidade para o culto do corpo perfeito.
Deviam fazer antes uma cultura de mente perfeita sem violência nem guerras. Cultivando o respeito por nós próprios e os outros e aceitando o nosso corpo como o melhor que temos.
Lutando sempre por um equilíbrio saudável na alimentação e na boa formação em geral.

Isabel-F. disse...

Olá ...

são impressionantes as imagens deste vídeo ...

e esta doença é um terror ...
passei por um susto , que felizmente não passou dum "susto" pois não chegou a evoluir para a doença, com a minha filha, quando ela tinha 16/17 anos ... hoje tem 25 ....

beijinhos

Anónimo disse...

Olá amiga Fernanda!

Sei da gravidade desta doença. Tenho problemas desde os meus 16 anos e ainda não os venci.

Tenho tido todo o tipo de ajuda, tenho momentos piores e outros melhores, mas não estou curada.
Espero vir a conseguir. Tenho agora 23 anos e quero muito ter uma vida normal.

Muito obrigada por abordar este tema e tentar alertar outras pessoas para não caírem nesta desgraça.

Um abraço amigo

Maria de Luedes

Tite disse...

Amiga Ná,

Este assunto é "tabu" para mim.
Tenho a certeza que uma sobrinha minha está a passar por este processo mas, como já tem mais de 40 anos, ninguém quer mexer no assunto.
Assim eu, que já nem reconheço a minha linda sobrinha de outros tempos, prefiro nem olhar para ela para não cair em prantos.
Como vês há dramas da vida que nem nós, pessoas mais sensatas ou mais vividas, podemos dar conselhos sob pena de ingerência na vida dos outros mesmo que esses outros sejam do nosso sangue.

Abraços

Fernanda disse...

Queridas amigas e amigos, José!

Este assunto e sobretudo as imagens provocam algum choque inevitável.
Afinal todos nós conhecemos alguém perto ou mesmo na família que sofre ou sofreu este drama.
Não foi em vão que o trouxe até vós, nem para chocar ninguém.
Acontece que esta é uma verdade que não deve ser escondida.

Friamente, e sobretudo quando não se conhecem de perto os casos(eu própria pensava com os meus botões "maluquices", "falta de umas palmadas", "demasiada condescendência dos pais").
Nada disso amigos, quem sabe e viveu essas situações não sabe o quão difícil é sair de uma anorexia.

Felizmente possível nalguns casos, felizmente!
O caso mais próximo que conheço, foi com a primeira companheira do Pedro,meu filho, que acabou com o relacionamento deles.
Contudo conheço mais dois casos que ainda não estão resolvidos...
Uma jovem de 30 e poucos anos e uma amiga da minha idade.


Obrigada pelos vossos testemunhos.

Beijinhos.

Carmo disse...

Olá Ná, lido de perto com este problema, cada vez mais há mulheres na casa dos 30/40 com este tipo de problema.

É bom trazê-lo aqui. Não devemos enfiar a cabeça na areia e fingir que o problema não existe, porque ele é bem real.
beijinhos

bom fim-de-seman

Fernanda disse...

Amiga Carmo!

Ainda bem que nos trouxe o seu testemunho.
Infelizmente é uma realidade como bem sabe.
Não podemos mesmo esconder as realidades, por mais duras que sejam.

O absurdo é que, de uma forma ou de outra, esta fobia está instalada por razões que se prendem com o SER Perfeito que não existe. Ninguém é perfeito... nem física nem psicologicamente.
Tentar ter uma imagem interessante é saudável porque aumenta a auto-estima, todo o resto é doentio.
Também é um facto que em temos sociais a imagem da mulher magra é (foi) muitas vezes exigida, até no campo laboral, mas nada justifica esta loucura.

Beijinhos

Maria Beatriz Ferreira disse...

Querida Ná!

Todos conhecemos alguém com um problema desta ordem.
Um verdadeiro flagelo que é preciso divulgar e ajudar na sua prevenção.

Beijinhos
Beatriz

Pedro Ferreira disse...

Querida mãe,

Sei bem demais que falas, infelizmente.
Tu já abordaste ao que me refiro.
Felizmente para a Bita, a crise foi ultrapassada e ela já é mãe de dois filhos.
Mas foram anos de desespero e desgostos enormes.

Ainda bem que trouxeste o tema, que sirva de alerta.

Beijinhos e abraços muito doces, especialmente neste dia.

Pedro

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

O REPETIDO DESAPARECIMENTO DE IMAGENS NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVE-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João