28/04/2010

A Magia da Dança


No sábado passado, dia 24 de Abril, inesperadamente,fomos o José e eu, convidados pelos queridos amigos, Maria José e o Jaime Areal, a ir ao Coliseu do Porto assistir a um espectáculo de tap dance.
A surpresa era irresistível pois incluía não só o espectáculo mas a viagem, tudo gratuito.

Assim, um pouco à última da hora e completamente apanhados de surpresa, decidimos aceitar.
Bendita a hora, benditos amigos, benditos momentos vividos.
Tratava-se do último espectáculo em Portugal, de um só dia, que passou por Estarreja, Lisboa, Coimbra, Portalegre, Braga e finalmente Porto.

Foram duas horas e meia de magia total, algo que custa a explicar.
Instalados na Tribuna 1 Par, de 1.10 a 1.16, praticamente numa varanda lateral ao palco, tivemos até condições de interagir verbalmente com os dançarinos.Não houve qualquer pormenor que nos escapasse, e o espectáculo foi absolutamente deslumbrante, inesquecível.

"Magic of the Dance", define-se em poucas palavras, por é uma história de amor que decorre numa Irlanda assolada pela fome, onde o bem e o mal convivem. Todo ele representado com impressionantes e elegantes danças, e com uma precisão fenomenal.
John Carey, campeão do mundo por diversas vezes, é o responsável pela inovadora coreografia com efeitos surpreendentes e uma música absolutamente encantadora, linda.



O Grupo desenvolveu um estilo único de dança irlandesa, que converte o espectáculo numa experiência que cativa tanto os especialistas em tap dance como o público em geral.

O espectáculo oferece uma alternativa à dança irlandesa com novas coreografias. Magic of the Dance invade o palco com os seus enérgicos passos e saltos, agarra o público desde o início e culmina com o espectáculo final “Burning Feet”.



A formação é composta por campeões de dança irlandesa assim como figuras de Tap moderno americano. Um dos momentos mais extraordinários é quando se alterna o Tap Dance tradicional irlandês com o estilo americano.

Saliento que durante os últimos dez anos, Magic of the dance tem estado permanentemente em tournée por todo o mundo, em cidades como Paris, Londres, Dublin, Viena, Barcelona, Oslo, Rio de Janeiro, Taipei, Toronto, Tbilisi, Berlim.... No seu 10º aniversário, o espectáculo foi reelaborado com uma nova coreografia e guarda-roupa, contribuindo com diferentes matizes ao público. É um esplêndido desfile de talento irlandês como nunca havia visto nunca na minha vida.

Magic of the dance é caracterizado entre os profissionais do género e o público como o mais rápido e técnico baile irlandês. Durante a sua carreira profissional conseguiu mais de 3 milhões de espectadores e realizou uns 2500 espectáculos à volta do mundo.

Espero ter conseguido dar, pelo menos uma pálida imagem, do que foi uma noite gloriosa, de encanto e de magia total.



Fernanda Ferreira Ná

15 comentários:

Fernanda disse...

Queridos amigos e leitores,

Tal como no Rau, este será o meu post para a a 3 dias.
Farei no máximo dois posts por semana.
Por isso me atrevi a publicar aqui com as dimensões exactamente iguais às da Casa do Rau,

Beijnhos.

Luis disse...

Querida NÁ,
Bela prenda para um casal que merece. Isso não invalida dizer que esses Amigos são de mão cheia pois revelaram isso mesmo com o convite feito.
Esse espectáculo é maravilhoso e assistido como o viram faço ideia...
Conseguiu transportar para nós o seu agrado pelo que viu e sentiu!
Como sempre uma óptima narradora dos sentimentos vividos.
Um grande beijinho muito amigo.

Maria Beatriz Ferreira disse...

Olá Ná!

Não fui ver e lamento profundamente.
Tenho quase a certeza que a Branca foi, ela não perde nada.

O teu entusiasmo foi totalmente passado cá para fora.
Brilhante a forma como trataste o texto e nos dás uma imagem do que foi o espectáculo.

Isto é cultura e merece toda a divulgação.

Parabéns.

Beijinhos
Beatriz

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Pois isto é só para amigos especiais ;))))))))) Brinco!!!!

Ainda bem que consegui passar o entusiasmo que me provocou este maravilhoso espectáculo.
Fico muito feliz, porque foi o propósito que me moveu à sua publicação.


Beijinhos

Fernanda disse...

Obrigada querida Beatriz,

Lamento!
Mas sabes? Pouca gente teve conhecimento.
Foi um só dia e a casa estava lotada.
Foi um amigo, a quem o Jaime fez um projecto para uma casa de campo aqui perto, que vive em Espinho que lhe comprou os bilhetes.

Nem deu para te avisar.

Obrigada pelo teu simpático comentário sobre o meu trabalho.

Beijinhos

Ana Martins disse...

Querida Ná,
acho que não consigo sequer imaginar o quão deve ter sido lindo!!!
Assistir a um espectáculo assim deve fazer parte dos sonhos de toda a gente.

Beijinhos,
Ana Martins

orvalho do ceu disse...

Olá, como é bom dançar!
Gostei do post e as coreografias bem elaboradas nos deixam extasiados,não é mesmo?
Apreveitemos a vida com tudo de bom que ela nos oferece...
Abraços fraternos

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Não se iniba de publicar em qualquer momento. Estamos aqui por prazer e não por obrigação. Há ideias e projectos que têm uma oportunidade e não podem ser adiados. No dia seguinte já não lhes achamos a mesma graça e perderam oportunidades sob a pressão de novos pensamentos que surgiram.
Deposite aqui tudo que de melhor lhe surgir no pensamento.

Aprecio o bailado tal como um concerto e, mais do que a beleza da coreografia ou da música da orquestra, sinto a lição, muitas vezes repetida mas também esquecida, de que na vida o que tem mais valor é fruto de trabalho de equipa, em que a dedicação e a coordenação com os outros multiplica o esforço de cada um. Uma pessoa tem apenas o seu valor, como na pintura e na escultura, mas nas actividades colectivas, ressalta sempre o espírito de grupo, a organização, a disciplina e o respeito pelo esforço dos outros e isso multiplica o efeito, o valor final do trabalho.
Seria bom que esta lição fosse bem aprendida e posta em prática por muita gente com funções de grande responsabilidade perante a sociedade.

Beijos
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Amiga Orvalho,

Estive agora no seu Blog, sempre o faço para retribuir a gentileza.
Seja bem vinda!

A dança faz bem ao corpo e à alma.
Acredite que só não saltei para bater o pé, só isso, que de tap dance nada sei, porque não podia mesmo, estava meia presa e com o marido ao lado que é muito tímido e não gosta de eu extravase a minha euforia.
Valeu-me a minha amiga Zé Areal que é como eu, e batemos tantas palmas mesmo durante a performance que nos doíam os braços! De vez em quando também batíamos com os pés no chão com toda a força.

Convém dizer que a amiga em questão é também minha professora de expressão corporal.
Se eu delirei ela estava nas nuvens.

Beijinhos

Na Casa do Rau

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Esteja certo de que não deixarei que as minhas melhores ideias ou momentos de percam.
O resto ficará em arquivo para ser publicado quando achar mais oportuno.
É como trabalho de casa adiantado.
Sempre gostei de o fazer. Tenho sempre pelo menos ou dois textos de reserva.

Meu amigo, essa sua visão é de mestre mesmo!
Claro que todo este espectáculo, mesmo tendo elementos isolados, alguns dos melhores do mundo, só resulta nesta perfeição em conjunto.
Um conjunto onde todos trabalham com afinco e muita dedicação para o mesmo fim.
Assim deveria ser com tudo na vida.

Beijinhos


Na Casa do Rau

Fernanda disse...

Querida Ana, amiga!

Foi mesmo algo de extraordinário.
Quando acordei nesse sábado, estava longe de pensar que o meu dia fosse acabar de forma tão bela.

Essencialmente porque este eu vi, e porque muita gente não teve oportunidade de o fazer, é que não hesitei em publicar esta amostra do que foi um show fabuloso.

Bejinhos

Pedro Ferreira disse...

Mãe, querida!

Que maravilha! que espectáculo!
Pela amostra maravilhosa que passas, como só tu és capaz de o fazer, fico com imensa pena de não ter estado contigo, com o pai, com a Zezinha e o Jaime para ver tal espectáculo.

Ainda bem que foste, ainda bem que e Zezinha te convidou, ainda bem que passam por Portugal espectáculos deste nível.

Parabéns mesmo, pelo teu excelente trabalho.

Imagino o teu sorriso e alegria mesmo horas depois, se mesmo agora consigo senti-lo.

Amo-te muito,
beijos
Pedro

Fernanda disse...

Olá filhote lindo,

Foi mesmo bom, algo que estava a precisar mesmo.

Amei. Sabes como sou, ou adoro ou detesto.
Neste caso superou as minhas expectativas.

Beijinhos muitos, cheios de saudade.

J.Ferreira disse...

Olá,

Faltava eu!

Afinal eu também estive lá e ainda andamos ambos com aquele som a martelar.nos a cabeça.

Efectivamente foi algo inesquecível.
Obrigada aos amigos Maria José Areal e Jaime Areal.

Parabéns pelo trabalho bem conseguido.

Beijo
J.Ferreira

Fernanda disse...

Olá,

Faltavas mesmo!
Obrigada por teres vindo.
Gosto que estejas a par do que publico. Sabes que a tua opinião é importante para mim.

Beijo