27/04/2010

Títulos e etiquetas. Dicas

Para atribuir títulos e etiquetas aos posts, temos que pensar em termos de arquivo e de futura necessidade de consulta. Se um blog acaba por se parecer com uma pequena biblioteca, para facilidade de mais tarde se poder encontrar um artigo ou um tema, temos de começar por organizar bem o arquivo.

O título de um post, corresponde ao nome dum livro da biblioteca e deve traduzir em poucas palavras o assunto de que trata, evitando adjectivos e palavras de apreço ou de enfatização. Infelizmente, ao visitarmos os blogs encontramos muitos títulos que nada esclarecem sobre o tema tratado no respectivo post.

As etiquetas, correspondem à estante, ao tema comum aos livros que nela se encontram. Ao fazer clic numa etiqueta aparecem todos os posts que tratam desse tema. Por isso, um post pode ter mais do que uma etiqueta (na biblioteca de uma empresa que dá formação ao seus operários, pode haver estantes sobre «gestão», «recursos humanos», «tecnologia», marketing», «matérias-primas», «inovação», etc). Outra comparação: a etiqueta é o nome de uma pasta de arquivo, na qual se guardam documentos com títulos diversos, com a vantagem de no escritório um documento estar apenas num dossiê, enquanto no blog o mesmo artigo pode estar referenciado em várias etiquetas conforme os aspectos do tema.

Nos blogs o número máximo de etiquetas é de 2000, pelo que é conveniente não se aproximar desse número, o que exige ponderação ao criar-se nova etiqueta. Olhando para a lista de etiquetas de muitos blogs encontramos muitas etiquetas que se referem apenas a um post, o que as torna inúteis e ilógicas. Seria como um dossiê com apenas um documento.

Por outro lado, para referirem um tema não devem ser constituídas por muitas palavras, nem ser iguais ao título de post. Por exemplo, na lista de etiquetas do SJ encontramos logo no início imensas etiquetas que se referem apenas a um post e outras começando pelo artigo A ou até por um ponto, o que mostra haver duplicação. Por este caminho, não demorará a atingir o limite máximo e, depois ou se refaz a lista ou se fica impedido de usar etiquetas.

Quando se recebe o aviso do Blogger de ter sido atingido o máximo de etiquetas, ou desde já, há que ir a cada etiqueta menos utilizada, editar o post ou posts a que se refere e ver se será melhor eliminá-la do post e substituí-la por outra mais utilizada adequada ao tema. Esse trabalho é muito demorado, pelo que deve haver cuidado ao inscrever uma etiqueta.

13 comentários:

Fernanda disse...

Meu querido amigo João,

Sabe bem que tenho pouca experiência com Blogues colectivos e que aqui a tarefa é quase considerada infrutífera, seja qual for o sistema que se implante.
Não quero ser "a do contra", a do "mandar abaixo", mas vejamos:

Por mais indicações que sejam dadas, por melhores as intenções que tenhamos, o que se tem passado é que muitos poucos dos nossos colaboradores têm tido o cuidado de se inteirarem de como deve funcionar, para bem de todos, do bom nome do Blog e para facilitar a consulta.

Há momentos em que perco a esperança e até a vontade.
Porquê? porque somos todos pessoas inteligentes mas o que parece mais importante é publicar, seja lá o que for "estou cansada do copy /paste " e de repetições que em nada dignificam o nosso Blog.

Os textos originais, onde estão???
O nosso dever é aprender, o João sabe melhor do que ninguém o que nos custa aprender,eu própria, mas nós fazemos esse esforço, mesmo que não publiquemos nada nesse espaço.

Qualidade e quantidade não andam de mãos dadas...e eu que o diga!!!!

Meus querido amigos, nem os textos são formatados???
Ainda poucos sabem assinar o seu post com a sua rubrica!!!

Por maior que seja o poder de tolerância, há que fazer um esforço e recorrer sem pejo ou vergonha aos que estão mais por dentro de como fazer bem.
Todos lucraremos.

Há pouco, durante o almoço, falava com o José sobre o Sempre Jovens, e ambos chegamos à mesma conclusão.
Apesar de um número gigantesco de leitores, quem é que comenta???
os da casa e pouco mais, porque será???
Analisem!!! Por favor!!!
Dizer que é secundário não é resposta, não para mim não.
Todos os elementos são óptimos, mas o que fazem???
Há um assunto abordado por um de nós, seguem todos a mesma linha, como se não houvessem ideias próprias.
Não é por aí o caminho. O caminho para o sucesso está na diversidade e na nossa criatividade pessoal.

Teria muito mais para dizer, mas já fui longe demais....

Para responder ao amigo João, as etiquetas são uma referência muito útil, vital!
Mas meu querido, até o meu amigo falhou e não colocou qualquer etiqueta neste último post.

O que eu descobri e que funciona mesmo, é quando alguém for publicar algo não original, não fruto da sua criação...deve ir a Editar post e escrever o título do mesmo.
O sistema procura tudo o que for relacionado...
Tão simples quanto isto.

Eu acabava com o Arquivo do Blog visível...
Primeiro ele não funciona...
ninguém o lê.
Segundo ele não nos dá informações precisa, porque poucos cumprem o que é solicitado.
Terceiro, porque ocupa um espaço enorme e sem utilidade visível.

Para finalizar, e peço desculpa se pareço azeda, não estou porque o não sou, peço encarecidamente que deixem de publicar os e-mails recebidos, toda a gente acaba por os receber.
Que sejam mais criativos, é daí que virão os nossos sucessos como colaboradores.
Por último, que a avidez de publicar seja complacente com os posta recém publicados...guardem os vossos textos em "guardar" e vejam da oportunidade de os publicar.
Já se assassinaram muitos textos, por mero "egoísmo" ou "inconsciência" do momento exacto para o fazer, acabando por anular protagonismo a quem o merece.
O caso mais agudo é do da nossa querida Ana, que tem aqui pouquíssimos comentários aos mesmos poemas que no seu Blog têm dezenas de comentários.

Não estou ainda satisfeita, mas sei que já me excedi.
Desculpem o desabafo.
Beijinhos

NA Casa do Rau

Fernanda disse...

Querido João, amigo,

Desculpe!!!
Reparei agora que o seu texto tem etiqueta sim.

Arquivo.

Desculpe-me.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Obrigado pela sua lição. Andamos sempre a aprender com os nossos erros. Há poucos meses deparei com o problema da quantidade de etiquetas no Do Miradouro. Senti-me perante uma muralha, sem poder usar etiquetas. Pensei numa solução e falei nisso com um «sábio» que concordou com a minha solução mas avisou que era muito trabalhosa. E é. Não fiz tudo o que é possível, mas arranjei espaço para continuar a trabalhar. Foram muitas horas gastas.
Com os títulos, a solução é mais fácil a partir de agora. Há títulos que nada dizem, quer nos blogs quer nos e-mails como estes casos: «Ora aqui está um mail em condições», «Pensamento... profundo!», «Ao que nós chegámos...» «Até lá fora!!!»

No Sj encontra-se a etiqueta «amor e carinho», bastando uma palavra, porque se encontra também, uma e outra separadas, portanto três etiquetas em vez de uma. «sabedoria traz felicidade» é uma frase e não uma etiqueta.

Curiosamente, depois de hoje ter colocado um post muito interessante na sequência dos mais recentes, tive uma sensação muito segura de que já estava colocado e estava !!! em 6 de Julho de 2008 ew fui encontrá-lo pelo título e pelas etiquetas!!! É para isso que uma coisa e a outra servem. E, como um blog não é um armazém de venda a retalho, não há necessidade de repetições e eliminei o post de hoje. As etiquetas e os títulos permitem-me uma coisa de que gosto: colocar links de posts antigos que abordam o tema em análise, dando assim um aspecto didáctico que pode ser útil aos estudiosos.
Quanto aos poucos comentários, sinto isso nos meus blogs pessoais, mas compreendo, porque não tenho dado muito em comentários pela blogosfera além. e é notório que estas coisas se trocam, se retribuem.
Mas sei que tenho bons apreciadores dos meus posts e isso estimula.

Com as imagens de que me servi para definir o título e a etiqueta procurei ser claro. E publiquei em post para poder ser útil a todos os bloguistas e para os que colocam títulos de assunto em e-mails.

Beijos
João
Saúde e Alimentação

Luis disse...

Caríssimos Amigos,
Post muito importante para ser seguido. Pessoalmente me penetencio por muitas vezes ter claudicado nestes pequenos grandes cuidados a ter para melhor se tirar proveito dos blogues. Tenho aprendido muito convosco mas acreditem que depois disto vou fazer uma reciclagem nos meus post's no sentido de evitar duplicações de etiquetas e que os titulos possam ser mais fáceis de leituras futuras. Arquivar bem é uma ciência que deve ser bem utilizada para bem de todos. Obrigado aos dois pelas dicas dadas e nada de desanimar, sempre em frente e cada vez melhor!
Um beijinho para a NÁ e um abraço para o João pelo que lhes devo nestas andanças da Blogosfera.

direitinho disse...

É verdade. É necessário organizar correctamente tudo quanto escrevemos ou publicamos.
Vou seguir os seus conselhos

Ana Martins disse...

Caro João,
este é um assunto importante para todos os bloguistas, pessoalmente evito criar muitas etiquetas e não as tenho sequer visiveis no blogue.

Em relação ao assunto que a Ná focou, concordo inteiramente com ela. Sei que o João também tem razão quando diz que os comentários se trocam, retribuem, já tive oportunidade de verificar isso, bastou estar uns dias sem visitar e comentar para que os meus visitantes descessem consideravelmente, e já agora deixe que lhe diga que isso me entristece. Não sei porquê mas soa-me a falso.

Mas voltando ao assunto da Ná, é algo que eu tenho sempre atenção, antes de publicar, vou antes verificar se já há algum post nesse dia, e se assim for adio a minha publicação.
Sabe que quem nos Lê, se vir muitos posts no mesmo dia, perde a vontade de os ler, e o mais recente tira destaque ao seguinte.

Beijinhos,
Ana Martins

Luis disse...

Querida Ana,
Venho penitenciar-me pois ainda hoje fiz o que não devia,coloquei dois post's quase seguidos, Prometo ter mais juízo no futuro! Quanto ao soar a falso não concordo que isso aconteça com a maioria. Num caso ou noutro até poderá ter razão mas essas são as excepções!
Mas aproveito para lhe pedir, à imagem da Ná, que venha cá mais vezes... fazem falta os seus belos poemas.
Um beijinho amigo.

A. João Soares disse...

Caros Direitinho, Ana e Luís,

Obrigado pelas vossas palavras.
Neste assunto como em todas as nossas atitudes devemos Pensar antes de decidir. Ao colocarmos um título ou uma etiqueta, devemos pensar na utilidade que poderá vir a ter, e que ele«a seja o máximo. Este post do link, foi uma peça já colocada há muito tempo e continuo a ter facilidade em a encontrar, porque o título foi bem escolhido e traduz o tema tratado.

Nunca devemos deixar de procurar a perfeição, embora saibamos que ela não é atingida em absoluto.

Abraços
João
Saúde e Alimentação

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Pensei que tinha falado até demais, e apesar deste tema ser pertinente e de alguma utilidade para os nossos amigos blogueiros, a verdade é que não tão interessante para os nossos leitores, levando-me a pensar que o melhor seria tratarmos destes assuntos por email, sempre que seja necessário.
Já que está e porque se prometo e não se faz (amigo Luís , agora é consigo), publica o mesmo colaborador no mesmo dia dois.
Vamos tentar, por favor, cumprir o que prometemos, senão nunca mais nos entenderemos.

De futuro,discutiremos, isto de o João concordar, estes assuntos entre nós via email. Estamos de acordo???

Beijinhos e bom dia para todos
Ná de saída para a sua dança de salsa.

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Informo-a de que, nas últimas 24 horas, o SJ teve cerca do dobro de visitantes do que a média dos dias anteriores.
É certo que o último post tem mais visibilidade do que os anteriores, mas também ocorre que muitos comentadores deixam as suas opiniões em posts antigos. Esses são os visitantes interessados e não os que apenas vêm buscar quem os visite e comente.
Há realmente muitos visitantes e seguidores que apenas querem publicitar os seus espaços.

Claro que os casos pessoais devem ser tratados por e-mail. Mas há aqui saber a transmitir sem ofender ninguém, que pode ser útil para todos. Nada que eu diga num blog está fora da observação dos visitantes. Detesto os comentários inócuos, do tipo água destilada,à sua própria página, ficando por elogios superficiais e pouco elucidativos.

Beijos
João
Saúde e Alimentação

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Com tudo o que já foi dito, chegamos facilmente à conclusão de que o seu post foi muito útil... sem dúvida!

Não ouve nada aqui dito que, primeiro, não seja verdade, segundo, beliscasse as capacidades de cada um dos colaboradores, terceiro, que não interesse a quem nos lê (especialmente colegas de outros Blogues) e finalmente que nos divida.

Esta última parte é a mais importante de todas.
Cada um de nós trás ao nosso Blogue o que acha ser o seu melhor,
e, na minha opinião, a diferença faz a riqueza deste espaço.

Beijinhos

Na Casa do Rau

Ana Martins disse...

Caro Luís,
eu compreendo e não se penitencie por isso, quando digo que soa a falso, é porque já tive várias experiencias neste sentido, algumas posso dizer-lhe que foram verdadeiras decepções. Já houveram inclusivé pessoas que se fizeram minhas seguidoras e como eu não aderi de imediato ao seu blogue, retiraram-se, mas essas devo dizer-lhe que não me incomodaram, é porque não mereciam a minha amizade. Nunca deixei de seguir um blogue, porque não me visita ou não me comenta, se o que publica me interessa continuarei seguidora com toda a certeza.

Virei cá mais vezes sim, faço parte de uma equipa de que muito me orgulho. Tenho andado um pouco ausente mas nada tem haver com o blogue, são problemas meramente pessoais e de saúde em familiares que me deitam abaixo e me põem deprimida. Não tenho sequer escrito. Mas melhores dias virão e tudo há-de normalizar.

Beijinhos a todos os meus queridos colegas,
Ana Martins

Celle disse...

Olá meu bom mestre joão!
Vivendo e aprendendo!
Aprendí mais um pouco sob os blogs, agora que estou iniciando estas explicações são muito úteis.
Não fazemos por mal, geralmente é por ignorância, falta de conhecimento das técnicas primárias de como proceder. Aprendemos na prática, e uns com os outros. Por isso lhe agradeço mais estas dicas, concordo plenamente da necessidade de uma boa organização.
Grata pelos ensinamentos, quero aprender sempre mais!
Beijos
Celle