06/04/2010

SORRISO

Imagem da net


Naquele dia, passeei o sorriso pelas recordações
E senti na distância as vivências adormecidas
Em fragatas do tempo como que calcinadas
Pelas intempéries da vida...

Naquele dia, passeei o sorriso pelas cascatas
Dos sonhos já dissimulados e sem fantasia
E sorri de ti, de mim e da nossa alegria,
Sorri de nós, naquele dia!


Ana Martins
Escrito a 12 de Fevereiro de 2010

5 comentários:

Pérola disse...

Algumas recordações me fazem chorar e a saudade nesse momento corta feito navalha.
Um beijo grannnnnnnnde

Luis disse...

Querida Ana,
Esta imagem reflete bem o seu sorriso, um sorriso inigmático mas lindo e carinhoso, nada parecido com o d Mona Lisa...
É sempre um prazer ler os seus poemas.
Um beijinho sorridente e muito amigo.

A. João Soares disse...

Querida Ana,

Muito interessante espreitar por esta janela que nos abre sobre a sua sensibilidade. É bom apreciar um sorriso, mesmo que de um momento passado, para se contrariar a tendência actual em que as pessoas andam de cabeça em baixo, rosto fechado, sem esperanças no futuro. Sorrir é terapêutico, porque gera felicidade e esperança no amanhã.
E o sorriso veio num dia de sol que faz esquecera invernia que teimava em não nos deixar ver o céu azul.

Beijos e votos de muitos sorrisos
João

Fernanda disse...

Querida amiga Ana,

Os teus poemas são todos sem excepção belíssimos.

Parabéns!

Já li e reli, e não me parece que seja um poema de grande felicidade. Para mim, tem mais o sabor de quem perdeu alguém e está a recordar os bons momentos...sorrindo!

Beijinhos

MARA disse...

Querida Ana,

Maravilhoso este poema!
Passear o nosso sorriso é uma belíssima ideia.
Vou ver se consigo também passear o meu pelos caminhos do meu dia a dia.

Beijinhos
Mara