06/04/2010

Vilar de Mouros - Caminha





Hoje fomos presenteados pelo sol. Parece que a Primavera finalmente chegou.
Nada melhor que dar um passeio junto à água, assim fui visitar Vilar de Mouros.
Um regresso ao passado para quem já lá esteve, o lugar cujo nome foi atribuido como o pai dos festivais de música rock.
Quase nada mudou nestas décadas.
Até a azenha mesmo em ruínas continua linda. Sempre conheci aquilo assim.É pena o não aproveitamento daquelas ruinas.
Ficam as fotos.




Pintura da Ná datada se 1999, quando a azenha estava bem mais bonita.

J. Ferreira

Este é o "barulho" da água. Se não fosse este ruído, era o concerto da passarada, como solista naturalmente, o melro.
Julgo que ainda não perceberam que o pequenino filme hoje aqui colocado, foi feito pelo autor do post.

11 comentários:

Ana Martins disse...

Caro José,
são paisagens de sonho, parabéns pelas fotos e pelos locais escolhidos.

Beijinhos,
Ana Martins

Pérola disse...

Maravilhoso lugar amiga.
Sinceramente,eu viajo com vc.
Um beijo grannnnnnnnnnnnde

Luis disse...

Caríssimo Amigo José,
Conhecia a história dos Festivais Rock em Vilar e Mouros mas deconhecia por completo a terra e as suas belas imagens que tão bem as soube apanhar e transmitir. É realmente pena não aproveitar essas belas ruinas pois valorizariam ainda mais as imagens da terra!
Obrigado pelo seu passeio que igualmente nos proporcionou.
Um abraço muito amigo.

A. João Soares disse...

Caro Amigo José,

Seria de completar com a legenda: «... E ali viveram Adão e Eva!»
São paisagens paradisíacas, principalmente quando vistas pelo olho clínico do artista que escolhe os ângulos e os enquadramentos que tudo valorizam.
A nossa terra tem recantos maravilhosos e é espantoso que muita gente por snobismo e ostentação prefira férias no estrangeiro!

Parabéns pelo belo trabalho

Um abraço
João

direitinho disse...

Gostei do passeio por essas paragens que ainda não conheci.
A pergunta quase no final para a recuperação da azenha e de parte dessas ruínas seria muito bom para os habitantes e para todos os que visitam esses encantos da natureza.
Limitações ou falta de vontade autarquica...?

Fernanda disse...

Queridos amigos,

É lindíssimo sim.
Tão lindo que eu tenho uma pintura minha a óleo da azenha no meu quarto :))))
Aquele lugar tem uma água cristalina e geladíssima, mas no Verão, sobretudo em dias de vento na praia, fica apinhado de gente.
Já lá passamos muitos bons momentos, até com o Pedro.


Pena que tenham acabado com o mais mítico festival de rock, o primeiro a ser feito em Portugal,.
Lembro que aqui estiveram Elton John, U2, e tantos nomes que o Mundo inteiro reconhece como la crème de la crème.

Pena ainda que não restaurem o que há de mais belo em termos arquitectónicos, onde reside todo o encanto de Vilar de Mouros.

Beijinhos

J.Ferreira disse...

Caros amigas e amigos,

Pode dizer-se realmente que Adão e Eva poderiam ter andado por ali.
Como podem ver, até neste estado um pouco abandalhado o paraíso existe.
É fácil encontrar locais destes, por aqui claro.
Assim compreenderão como uma pessoa que nada tinha a ver com este local, se apaixona e vem viver para aqui.
A todos mais uma vez, grato pelos momentos e comentários dispensados.
Um abraço amigo do
JF

Fernanda disse...

Parabéns por mais este teu trabalho hoje aqui incluído.

Estas são as águas cristalinas e o seu som belo, musical.
Sei onde estiveste para captar esta imagem e a força da corrente que cai em cascata.

Digamos que foi um ensaio, brevemente teremos trabalhos de divulgação de lugares preciosos, como este, ao vivo e com som.
Que sejam os pássaros, os melros, ou cânticos de quem trabalha as terras.
Será sempre belo.
Adorei.

Beijo grande pelo teu empenho.

Celle disse...

Caro José
Através de suas magníficas fotos vou conhecendo aos poucos as maravilhas de Portugal e cada vez mais quero voltar!
Um abraço
Celle

J.Ferreira disse...

Amiga Celle,

Será sempre bem recebida, se vier pelo Minho, ainda melhor.
Um abraço.
JF

A. João Soares disse...

Amigo José

Agora, com calma, estive a ouvir a água. Sentei-me ao lado do açude. Que agradável a frescura da água e o seu cantar!
Parabéns ao artista que nos surpreende a cada passo, com as suas inovações.

Um abraço
João