16/04/2010

As Cinco Emoções Naturais

Trecho do livro: Conversando com Deus -Um Diálogo Incomum - Volume III
de Neale Donald Walsch, baseado no trabalho da Dra. Elisabeth Kübler-Ross, recebido por e.mail

"O PESAR é uma emoção natural. É a parte de você que lhe permite dizer adeus quando não deseja fazer isso; expressar - pôr para fora - a tristeza em seu íntimo causada pela experiência de qualquer tipo de perda. Poderia ser de um ente querido, ou uma lente de contacto. Quando você pode expressar seu pesar, livra-se dele.
As crianças a quem é permitido ficar tristes quando estão tristes, lidam muito bem com a tristeza quando se tornam adultas e, por isso, costumam superá-la muito rapidamente.
Pelo contrário, as crianças a quem é dito "não chore" têm muita dificuldade em chorar quando se tornam adultas.
Afinal de contas, disseram-lhes durante as suas vidas inteiras para não chorarem. Por isso, reprimem o seu pesar.
O pesar constantemente reprimido se transforma em depressão crónica uma emoção muito antinatural.

Devido à depressão crónica, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes.

A RAIVA é uma emoção natural. É a ferramenta que lhe permite dizer "não, obrigado". Não tem de ser abusiva e nunca deve prejudicar outra pessoa.
Quando é permitido às crianças expressarem sua raiva, elas passam a ter uma atitude muito sadia em relação à raiva quando se tornam adultas e por isso costumam superá-la muito rapidamente.
Pelo contrário, as crianças que acham que é errado expressar a sua raiva, e que de facto nunca deveriam senti-la, terão dificuldade em lidar adequadamente com sua raiva quando se tornarem adultas.
A raiva constantemente reprimida se transforma em ódio, uma emoção muito antinatural.

Devido ao ódio, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes.

A INVEJA é uma emoção natural. É a emoção que faz um menino de cinco anos querer alcançar a maçaneta da porta como sua irmã - ou andar de bicicleta. A inveja é a emoção natural que o faz desejar fazer uma coisa de novo; tentar ainda mais; continuar tentando, até ser bem sucedido. É muito sadio e natural ser invejoso.
Quando é permitido às crianças expressar sua inveja, elas passam a ter uma atitude muito sadia em relação à inveja quando se tornam adultas e por isso
costumam superá-la muito rapidamente.
Pelo contrário, as crianças que acham que é errado expressar sua inveja, e que de fato nunca deveriam senti-la, terão dificuldade em lidar adequadamente com sua inveja quando se tornarem adultos.
A inveja constantemente reprimida se transforma em ciúme, uma emoção muito antinatural.

Devido ao ciúme, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes.

O MEDO é uma emoção natural. Todos os bebés nascem com dois medos: o de cair e o de sons altos. Todos os outros medos são reacções que aprendem a ter em seu ambiente, com seus pais. O objectivo do medo natural é produzir um pouco de cautela. A cautela é uma ferramenta que ajuda o corpo a viver. É uma consequência do amor. Do amor por si mesmo.
As crianças que acham que é errado expressar seu medo, e que de facto nunca deveriam senti-lo, terão dificuldade em lidar adequadamente com seu medo quando se tornarem adultas.
O medo constantemente reprimido se transforma em pânico, uma emoção muito antinatural.

Devido ao pânico, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes.


O AMOR é uma emoção natural. Quando uma criança pode expressá-lo e recebê-lo naturalmente, sem limites ou condições, inibições ou constrangimentos, não é preciso mais nada. Porque a alegria do amor expressado e recebido dessa forma é suficiente. Contudo, o amor sujeito a condições, limites, regras, rituais e restrições, controlado, manipulado e contido, torna-se antinatural.
As crianças que acham que é errado expressar o seu amor, e que de facto nunca deveriam senti-lo, terão dificuldade de lidar adequadamente com o amor
quando se tornarem adultas.
O amor constantemente reprimido se transforma em possessividade, uma emoção muito antinatural.

Devido à possessividade, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes.

NOTA: A vida é aprendizagem permanente. Por isso, as crianças devem habituar-se a controlar as suas emoções a fim de nunca as deixarem degenerar.

9 comentários:

Kyria disse...

Linda e precisa postagem. Todas as emoções são válidas, é preciso apenas saber direcioná-las para que não se tornem um problema para sí e parao próximo, bjs e sempre obrigada.

A. João Soares disse...

Querida Kyria,

Há filósofos actuais que colocam a emotividade acima da inteligência, na influência sobra as atitudes e os comportamentos das pessoas.
A emotividade é espontânea e, por isso, precisa ser preparada, aprendida, ao longo da vida a fim de não sair descontrolada como fera a quem acidentalmente se abriu a jaula.
É preciso saber evitar a depressão crónica, o ódio, o ciúme, o pânico, e a possessividade.

Beijos
João

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Texto com ensinamentos preciosos que devem ser adoptados e seguidos diariamente.

Não basta dizer eu penso assim, é preciso praticá-los.

Obrigada por mais esta lição.
beijinhos,

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

É realmente necessário controlar as emoções, não ferver em pouca água. O post O Princípio 90/10 é muito útil para esse efeito. Aquilo que nos provoca as emoções cai dentro dos 10% da nossa vida mas os restantes 90% são dominados pela nossa reacção. Por isso, esta deve ser pouco emotiva, muito racional, para não nos reduzir a possibilidade de sermos felizes e contribuirmos para a felicidade dos outros.

Beijos
João

Luis disse...

Caro João,
Educar não é reprimir é esclarecer!
O que aqui foi postado é isso mesmo:
um esclarecimento como se devem tratar as crianças para que quando adultas terem um comportamento sadio entre si e na Sociedade.
Um post bem à maneira dos nossos Valores sempre aqui expressos.
Um abraço amigo.

Ana Martins disse...

Caro João,
saber lidar com as nossas emoções nos torna pessoas melhores e controladas.

Muito obrigada por trazer aqui este texto, por o achar de máxima importância enviei-o por email a alguns familiares e amigos.

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Caros Luís e Ana Martins,

Aceito as vossas palavras como aprovação da escolha deste texto. É muito interessante, como salientam, e se for aplicado a sério trará mais segurança nas escolas, onde se preparam os cidadãos de amanhã e permitirá uma melhor convivência social e mais paz de espírito.
Deve ser divulgado e merecer meditação.

Bom domingo, abraços
João

Celle disse...

João!
Como é importante a formação de uma criança para que não venha a ter problemas futuros! Daí o valor da educação de berço, que deve ser feita principalmente pelos pais, os responsáveis e interessados por filhos saudáveis, educados e bem formados psicologicamente, não apenas instruidos. Quanta responsabilidade nos ombros dos pais!!!
"Devido falta de tempo, descuidos nossos na formação dos filhos, pessoas matam, guerras começam e nações se tornam decadentes".
Beijos
Celle

A. João Soares disse...

Querida Celle,

Estas lições são muito úteis para as crianças, mas os adultos ainda podem aprender muito neste âmbito. Já aqui tivemos colaboradores que nos deixaram por não saberem dominar as emoções, o que muito me desgosta porque procuro a todo o instante evitar ser indelicado. Procuro ser cortês mesmo quando as pessoas merecem uma resposta musculada.
O civismo é sabermos dominar as nossas emoções e respeitar o outro tal como gostamos de ser respeitados.

Beijos
João
Do Miradouro