20/12/2009

Natal e um auto-exame

Com base na oração de abertura do Senado estatal do Kansas, pelo reverendo Joe Wright, foi elaborado este texto:

Nesta quadra de Natal analisamos os nossos actos mais recentes, arrependemo-nos dos erros cometidos e esperamos melhor inspiração e orientação para agirmos melhor no futuro.

Segundo os valores éticos tradicionais seria amaldiçoado aquele que chama "bem" ao que está "mal“, mas é exactamente o que temos feito.

Temos perdido o equilíbrio espiritual e temos mudado os nossos valores.

Temos explorado o pobre e temos chamado a isso "sorte".

Temos recompensado a preguiça e chamámos-lhe "Ajuda Social".

Temos matado os nossos filhos que ainda não nasceram e temos-lhe chamado “interrupção voluntária da gravidez".

Temos sido negligentes ao disciplinar os nossos filhos e chamámos-lhe “desenvolver a sua auto-estima”.

Temos abusado do poder e temos chamado a isso: "política".

Temos cobiçado os bens do nosso vizinho e a isso temos chamado "ter ambição".

Temos contaminado as ondas de rádio e televisão com muita grosseria e pornografia e temos-lhe chamado "liberdade de expressão".

Temos ridicularizado os valores estabelecidos desde há muito tempo pelos nossos ancestrais e a isto temos chamado "obsoleto e passado".

Esperamos que o Espírito de Natal nos leve a olhar para o fundo dos nossos corações, a fim de nos purificarmos e evitarmos voltar a errar.

8 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de muita saúde, paz, amor, união.

beijooo.

Luis disse...

Caro João,
Que exemplos destes frutifiquem pelo mundo inteiro são o meu sincero desejo!
Um abração amigo.

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Estou, mais uma vez, de acordo com TUDO o que está aqui transcrito.
Obrigada por o ter publicado....são muitos ensinamentos que deviam ser LEIS, MANDAMENTOS, o que quiserem ...mas a seguir, para o bem de todos nós e toda a HUMANIDADE!

Beijinhos

A. João Soares disse...

Pelos caminhos da vida,

Agradeço os seus desejos e retribuo a duplicar.
Precisamos ter esperança e pensamentos positivos com acções a condizer. O futuro depende muito de nós. Querer é poder.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

É realmente um exemplo de coragem dizer estas coisas perante uma audiência especial. É um retrato da sociedade actual. Seria bom que os políticos tomassem consciência das suas responsabilidades perante esta situação, perante a vida do povo explorado.

Abraço
João

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Seria bom organizar uma lista de mandamentos, para alertar o povo a exigir dos seus representantes o desempenho dos seus deveres para com o povo que neles confiou e devia continuar a ter razões para manter a confiança.
Mas parece que isto só melhorará quando se repetirem os casos Berlusconi mais a sério. Não lhes bastam os exemplos já ocorridos como os seguintes: Há pouco mais de 100 anos foi assassinado o rei D. Carlos (1-2-1908), John Kennedy 22-11-1963 também foi vitimado por um atentado, Anwar el Sadat (6-10-1981) foi abatido por tropas da sua confiança, Indira Gandhi (31-10-1984) foi abatida por soldados da guarda ao palácio, Olof Palme (28-2-1986), Rajiv Gandhi (21-5-1991). Agora foi a vez de Berlusconi ter sido agredido em público.
Há que encontrar um dissuasor eficiente para que os políticos deixem de abusar do povo.

Beijos
João

Irene Moreira disse...

Caro João
Sem palavras para expressar o texto que publicastes. Estamos cansados de saber disso tudo e realmente temos que parar de errar.

Beijos

A. João Soares disse...

Amiga Irene,

Nada disto nos traz surpresa, não é novidade. Mas sabemos as coisas teoricamente, de forma longínqua como se não fosse nada connosco. Temos de abanar as pessoas para se consciencializarem que tudo é com cada um e é dever de cada um dar o contributo possível para melhorar a humanidade, deixarem de cometer erros, mesmo nas opiniões que expressam.
Não esquecer nunca que a humanidade somos todos nós e, para ele se tornar melhor temos que ser nós a melhorarmos os nossos comportamentos, a nossa forma de pensar e de agir.

Beijos
João