12/12/2009

DESILUSÃO!

Imagem da net


Agora que o teu silêncio
Me devolveu a lucidez
Que sempre recusei,
Deixa-me cremar o tempo
Que cegamente a ti dediquei!
Deixa-me diluir nas cinzas
Com a serenidade que me é permitida,
As mentiras que por mais que desmintas
Fizeram parte da nossa vida.
Deixa-me viver serenamente
Sem a ansiedade de te ver chegar,
E na noite sorver consciente
A tua ausência no teu lugar!


Ana Martins
Escrito a 29 de Dezembro de 2008

Inspirado numa história verdadeira.



7 comentários:

Irene Moreira disse...

Ana Muito bem escrito - doeu na alma. Beijos e bom final de semana

Luis disse...

Querida Ana,
Belo poema mas que nos faz sofrer por sentirmos o seu sofrimento ali tão bem expresso!
Que o seu Natal seja mais Feliz é o meu maior desejo.
Com um beijinho cheio de carinho e amizade.

A. João Soares disse...

Querida Ana,

Um poema sentido retratando realidades de muita gente em vários momentos, mas que felizmente são passageiros e ultrapassados pelo espírito positivo e a vontade de prosseguir a vida com retoques no volante em direcção a melhores rumos.

Nada é totalmente perfeito e o Amor como a saudade trazem consigo o sabor acre de desilusões e desgostos que se temperam formando o prato que se chama vida. Estamos num momento do ano em que nos separamos daquele que foi nosso companheiro diário durante doze meses. Recordamos o bom e o mau, com a tónica colocada ao jeito da idiossincrasia de cada um. Mas agora devemos todos criar a imagem esperançosa de um Ano Melhor, com os mais belos projectos e a firme convicção de que irão concretizar-se. Querer é poder e a vontade deve ser sempre orientada para o ideal da perfeição

Beijos e votos de Boas Festas
João

Fernanda disse...

Querida Ana,

Como diz a amiga Irene, doi na alma.
Não me espanta nada que tenha sido inspirado na vida real de alguém que conheces bem...podia ter acontecido a qualquer um de nós.
Embora sendo uma frase cliché...É a vida!!!

Lindo como sempre, mesmo com sabor amargo.

Beijinhos

MARA disse...

Querida Ana,

Como nos comentários, eu também confesso que senti uma certa tristeza ao ler este eu belíssimo poema.

Um grande abraço
Milai

Agulheta disse...

Ana.Sempre que leio os teus poemas,tem sempre algo que me toca,este algo triste,mas muito sentido.
Beijinho bfs
Lisa

walkyria.gianna disse...

Lindo, lindo. Acredito que esta história real é vivida por vááárias pessoas.
Bjs