11/12/2009

Usar a capacidade de decisão

Um slogan publicitário diz mais ou menos isto «Quem dá corda aos seus sapatos é você».

Tira-se daqui um estímulo à nossa reflexão. Porque é que muita gente pensa que devemos ir na conversa da publicidade? E ela nesta quadra festiva está com grande agressividade a tentar impor-nos soluções que raramente nos servem. Termos se ser nós a decidir os nossos actos. Se não formos nós a decidir e nos deixarmos ir nas cantigas da propaganda, não deixaremos de ser nós a suportar as consequências dos nossos erros.

Por isso, usemos o nosso cérebro, caminhemos com os nossos sapatos, e actuemos em conformidade, sem pensar fazer ou não a vontade a alguém que apenas quer o nosso dinheiro.

Nas nossas vidas privadas devemos procurar aplicar sempre, na medida do possível e adequado, a metodologia referida no post Pensar antes de decidir. Não esqueça este ponto nas compras de Natal.

4 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Ora aqui está um tema para reflexão, sim senhor!

A parte comercial do Natal é o que o estraga! As pessoas perdem o juízo e compram todo o tipo de coisas que não servem para nada.

Felizmente aqui em casa nada funciona assim, as lembranças são coisas para a casa ou necessárias a cada um. Mais nada.

Beijos

Luis disse...

Amigo João,`´E verdade que somos "bombardeados" dia e noite por todos os lados para comprar, comprar, comprar... mas devemos ter consciência que tal atitude é inconsequente e não passa de um consumismo de loucos! Há que ter o bom senso e decidir de acordo com as nossas possibilidades e necessidades. Espírito Natalício não é gastar , mas sim dar Amor, Carinho e ser Solidário com o nosso semelhante.
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Estes conselhos não são necessários a pessoas ponderadas e com capacidade de gerirem correctamente a própria vida. Mas são imprescindíveis à maior parte das pessoas que, nesta quadra natalícia, gastam o que lhes faz falta em coisas supérfluas, inúteis que poucos dias depois são atiradas ao lixo.
Conheço pessoas que compram todas as «pechinchas» que as promoções lhes atiram aos olhos por todos os meios de marketing. Esquecem que esses golpes de publicidade são apenas do interesse das empresas que vendem ou fornecem tais produtos ou serviços.
Tenho colocado ponto final com estas palavras a muitos dos telefonemas que me interrompem o trabalho e me incomodam.
Temos de ter coragem de, intimamente ou de viva voz, dizer NÃO às tentações. Este poder decisão nem sempre existe, como pode ler no post Monólogo de idoso

Beijos
João

A. João Soares disse...

Caro Luís,

O espírito de Natal está deturpado. Já não há Natal ou pouca gente o interpreta como tal. Mas também quase já não há espírito, mas apensa o vil metal e tudo o que pode ser avaliado por tal padrão.

Não vou repetir o que disse no comentário anterior, mas penso que vale a pena ser lido, meditado e contestado se for caso para tal.

Abraço de amizade com os melhores votos nesta quadra festiva para ti e todos os teus
João