16/12/2009

Conte-nos uma história de Natal!


Mais um mês de Dezembro. Nesta época, o melhor do ser humano vem à tona. O Espírito de Natal já está a tomar conta das pessoas e inicia-se o tempo de revermos o nosso ano, as nossas atitudes, aquilo que queremos manter e tudo que não queremos mais nas nossas vidas.

Seja um gesto de caridade ou uma ajuda para os necessitados, com certeza já vivenciou experiências onde a competição, a desconfiança e o preconceito deram espaço para boas acções de compaixão e igualdade, de dar sem esperar nada em troca, mesmo entre desconhecidos.

Por isso pergunto: Qual o seu conto de Natal? Aquele que o fez sentir bem, que lhe trouxe uma recompensa que não tinha preço, a história que o fez acreditar na essência do ser humano?
Conte-nos! Dê o seu exemplo de que podemos fazer o bem! Quem sabe o Espírito de Natal não se faz presente aqui, no Sempre Jovens.
Este repto é para todos os nossos colaboradores e não só. Os nossos seguidores e habituais comentadores podem deixar o seu comentário com a sua história, surpresas podem acontecer!

Ilustração da amiga Phoebe do Blog bluegrasslim.

Fernanda Ferreira

8 comentários:

Fernanda disse...

O meu melhor Natal foi quando olhei pela janela e percebi que tudo se tinha renovado. Quando olhei para o céu e fui iluminada, quando olhei para o chão e a terra me abençoou.
Depois de tantos tropeços eu cheguei aqui, percebi quantos problemas sofri, quantos enganos cometi. Mas não importa nada disso… porque eu sobrevivi e muitos outros virão e eu farei o mesmo e vou poder dizer, eu venci porque a vitória está aqui, dentro de mim!
O meu melhor presente de Natal foi ter ganho todos vocês, meus amigos, o amor familiar e sobretudo ter sido Mãe.

De criança, lembro-me de ter recebido uma boneca linda, divina, com a qual só podia brincar aos Domingos, para não a estragar.
Beijos a todos.

Ana Martins disse...

Minha querida amiga,
este é um desafio lindo, magnifico onde todos nós podemos dar mais um pouco de nós, partilhar vivências e memórias.

Beijinhos,
Ana Martins

J.Ferreira disse...

Conto-vos uma pequenina história de Natal, pelo menos para já, mais tarde talvez desenvolva e faça um post.

O meu pai foi sempre farmacêutico, por isso em menino passei alguns Natais em Melgaço, onde o meu pai tinha conseguido emprego.
Aí as pessoas viam o farmacêutico como um médico, especialmente porque os médicos se contavam pelos dedos.

Como forma de pagamento pelos favores e até medicamentos que não eram pagos, mas sempre fornecidos aos doentes, no Natal a casa enchia-se de tudo, mas de tudo o que possam imaginar.
A minha mãe raramente fazia compras nessa época e não só.

Sobrava então algum dinheiro para algumas prenditas. Como éramos quatro rapazes e em tempos de "vacas magras", a vida não era fácil mesmo para o farmacêutico.

Mesa farta, especialmente no Natal, mas prendas como um par de socos para ir para a escola, já era uma festa. Sapatos eram só para ir à missa.

Um Natal que não consigo agora precisar que idade teria, recebi uma prenda especialíssima, uma pasta em couro genuíno para levar para a escola, e...a visita dos meus avós maternos com quem acabei por viver posteriormente alguns anos.

Belas lembranças desses Natais em Melgaço.

Abraços a todos.
Beijo para a promotora da ideia.

J.Ferreira

Irene Moreira disse...

Minha amiga terei imenso prazer em responder a essa pergunta : Qual o seu conto de Natal? Tenho tantos a contar que poderia escrever um livro. Acabei de postar na Vitrine de Sonhos uma blogagem onde também teriamos que falar de um natal imemorável e contei sobre um Natal Diferente ... (depois passe lá e conheça um dos meus contos de Natal). Na M@myrene já contei mais um pouquinho sobre os bilhetinhos de papai que você já leu e então porque não contar para o SEmpre Jovens? Estou um pouco na correria por causa de um projeto no trabalho o que te pediria para enviar no final de semana. Caso te interesse colocar algum dos que já postei me diga. Gostaria de saber se é para comentar aqui ou enviar por email. Beijos

direitinho disse...

O Natal é todos os dias no olhar encantador de uma criança.
Nos sonhos que escorrem do seu olhar puro e terno onde ainda vive a esperança de um mundo melhor.
Natal é no vaguear perdido de um velhinho abandonado, esquecido e invisível à nossa indiferença.
Natal é a coragem de acordar neste mundo cheio de injustiças e guerras sem nexo.
Natal é ter coragem de dizer basta e sair da nossa casca hipócrita. É olhar à nossa volta e ver tantos a gritarem por amor de Deus por um pouco do Pão de Deus = Esse Maná =
que completa e sacia, que renova e revigora e nos enche de Amor.

Fernanda disse...

Querida amiga Dulce,

Muitíssimo obrigada por ter sido a primeira a enviar-nos uma história completa e verídica.

Muitos beijinhos doces,

BlueGrass disse...

Hi, Na. I know this post is sharing the Christmas story. I just want to let you know, the Christmas in this year is so special to me, because I received something special from you. Thank you. ^^ Haha, my mother love the flower texture on the fabric.
Wish you and your family Merry Christmas and Happy New Year.

Fernanda disse...

Hello my sweet friend Phoebe,

Yes it is, we are sharing
Christmas stories.
As you can see. I have credited your lovely art work :)

At last you have received a gift from me. I'm sooooo happy that you and your Mum like it.
Both pieces are Viana do Castelo handicrafts, and the embroidery is very typical from this region.

I'll talk to you before Christmas, but thank for your wishes.

Love
Hugs and kisses