09/12/2009

EXEMPLO DE UMA VIDA DEVOTADA A FAZER BEM!

Importante refletirmos e procurarmos fazer pelo menos um pouquinho do que este homem fez por nossos irmãos aqui na terra.

4 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Concordo com você, lindo video

"É preciso muito pouco.
A alegria está muito próxima.
Mora no momento.
Perdemos a alegria porque
pensamos que ela virá no futuro,
depois de algum evento
portentoso que mudará a nossa vida"

(Rubem Alves)

Desejo uma linda semana com muito amor, paz e carinho.
Abraços com todo meu carinho.

A. João Soares disse...

O Mundo não é uma abstracção. É uma realidade viva e ninguém o melhora por decreto ou milagre. É preciso que cada um faça o melhor que puder. O somatório dos nossos comportamentos e atitudes é o mundo e ele será melhor se cada for melhor.
VAMOS aperfeiçoar a nossa vida e a daqueles que dependerem de nós, mesmo que pouco. Um cumprimento, uma palavra um sorriso já é qualquer coisa de bom e positivo. Mas certamente poderemos fazer mais.
Estou a escrever estas simples palavras com a convicção que lhes estou a ser fiel. Espalho uma boa ideia.

Obrigado Luís por teres aqui trazido este bom exemplo de solidariedade. Quem o ler ficará uma pessoa melhor, um cidadão mais amante dos seus concidadãos.

Um abraço
Querida Ana,

Que linda maneira de dar força a quem passou por momentos de desânimo!
Conselhos muito estimulantes para ir para a frente e ganhar, para não sucumbir a um acidente ultrapassável.Tudo na vida é transitório, as alegrias e as tristezas, por isso é sábio interiorizar ao máximo o que é positivo e agradável e vencer e arquivar o que o não é tanto. Das tristezas apenas interessa recordar as causas a fim de lhes evitar os efeitos.
É preciso ganhar a guerra da vida, como bem refere.

Beijos e votos de um óptimo 2010 sem os sustos do ano que está prestes a terminar.
João

Luis disse...

A todos ,
Realmente este SENHOR fez tudo com o melhor empenho, foi solidário e nada pediu para si. HOMENS destes fazem falta neste mundo egoísta em que vivemos.
Um forte e amigo abraço pelas vossas boas palavras.

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Foi com muita emoção que vi este vídeo.
Logo agora que foi abolido do currículo escolar de todas as escolas britânicas o assunto "Holocausto".
Nicholas Wintou é realmente um herói, um HOMEM como poucos e que por isso merece o maior apreço.

Não esqueçamos contudo, do nosso herói, e esse já não está cá para merecer honrarias, ARISTIDES SOUSA MENDES.
"...Foi nesse quadro de desespero que o cônsul-geral português em Bordéus, Aristides Sousa Mendes, se pôs a emitir vistos de entrada em Portugal a qualquer um que necessitasse, convertendo sua própria casa em abrigo para refugiados. Originário de uma família aristocrática, Aristides Sousa Mendes do Amaral e Abranches nasceu em 19 de Julho de 1885, em Cabanas de Viriato. Foi cônsul na Guiana Francesa, no Brasil, nos Estados Unidos, na Espanha, na Bélgica e, desde 1938, em Bordéus. Mendes era partidário da ditadura salazarista. Mas, em 16 de Junho de 1940, ao sair do consulado viu-se cercado pela multidão de refugiados. Diante do impasse entre salvar milhares de vidas humanas e cumprir a ordem de Salazar, que não permitiria a entrada de refugiados do nazismo, Sousa Mendes afirmou: “Não vou ficar impassível à matança de inocentes”. Durante três dias, Aristides de Sousa Mendes, com a ajuda da mulher, Angelina, e do filho, Pedro Nuno, atendeu a milhares de pessoas em busca do almejado visto. Muitos foram assinados em plena rua. Entre judeus e perseguidos políticos, calcula-se que Mendes tenha salvado em torno de 30 mil pessoas. Em 24 de Junho de 1940, Salazar o acusou de “concessão abusiva de vistos de estrangeiros” e ordenou que fosse imediatamente a Lisboa. Em Portugal, Mendes viu sua carreira de 30 anos de diplomata acabar de forma drástica. No dia 3 de Abril de 1954, aos 69 anos, Sousa Mendes morreu pobre. Em 1958, Joana, uma de suas filhas, escreveu ao primeiro-ministro de Israel, David Ben-Gurion, falando de seu pai. Hoje, na floresta dos Mártires, em Jerusalém, o bosque conta com 30 mil árvores, simbolizando cada uma das vidas que Mendes salvou."

Houve e haverá sempre almas boas, eu acredito nisso.

Obrigada amigo Luís por ter trazido este tema sempre doloroso, mas que NUNCA pode ser esquecido.

Beijinhos