30/01/2010

ESCOLA

Professores são Autoridade Pública em Espanha!
"Ao serem reconhecidos como autoridade pública, os professores - tal como os juízes, polícias, médicos e pilotos e comandantes de navios - contam com uma protecção especial. A agressão a um professor está tipificada pelo Código Penal como atentado contra a autoridade"

"Além de serem autoridade pública, têm presunção da verdade, o que significa que a sua palavra tem mais valor do que a de outro cidadão"

Em Portugal nestes quatro anos foi o que sabemos. Quão diferente é o "socialista" Sócrates do seu homólogo Zapatero... "

6 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia, Luís.
Nem me lembra sobre isso. Quando trabalhei em CIEP de favelas vi coisas do arco da velha. Lá quem manda é o tráfico.
Vim dar uma espiada nas novidades e desejar um bom final de semana.
Beijo grande.

Luis disse...

Querida Silvana,
Faço uma pequeníssima ideia do seu sofrimento quando andou trabalhando nas favelas!
Devia ser um horror além de perigoso. Obrigado pela sua visita amiga.
Um beijinho do coração.

direitinho disse...

Na verdade esse tempo já foi e agora que ninguém respeita ninguém queixam-se dos pais.
Desautorizaram os professores a polícia e até os tribunais. Agora a culpa morre na rua e solteira sem ninguém porque os que fizeram as leis estão rindo de todos nós.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Não há apenas diferença entre Sócrates e Zapatero. Há uma grande diferença entre portugueses e espanhóis, entre portugueses e europeus. É urgente que se assumam os defeitos que temos para a seguir procurarmos corrigi-los.
Desde há 36 anos as coisas de civismo, educação, etc, pioraram drasticamente, porque em vez de liberdade apareceu a libertinagem, a falta de respeito pela liberdade dos outros. Em vez de deveres e direitos passou a falar-se apenas de direitos. Em vez de sentido do dever, das responsabilidades e do respeito pelos outros, passou a haver o desejo de igualdade nos benefícios sem se procurar merecer. Igualdade perante a lei e perante as oportunidade de emprego, etc, está muito correcto, mas não pode exigir-se igualdade de salário, por exemplo, entre um mau funcionário e outro que é eficiente, prodiutivo, inovador, dedicado às suas funções, respeitador.não é praticável nem socialmente justo.

Um abraço
João

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Há diferenças colossais entre os nossos Governos e o nosso povo.
Os Espanhóis são mais aguerridos, mais "sangue na guelra". O que está mal resolve-se. Aqui é o deixa andar a ver no que dá.

Eu que adoro crianças, fiquei escaldada...agora só adultos e poucos.

Beijinhos

Luis disse...

Caros Amigos,
Há grandes diferenças entre os dois povos! Mas com a "Globalidade" podiamos e deviamos aprender o que é bom e melhorar as nossas qualidades mas não, vamos buscar o pior e aumentar os nossos defeitos!
É capaz de ser o preço da nossa miscigenação e caldeamento de todas as raças que para cá vieram viver!
Saudações amigas.