01/01/2010

Para um 2010 mais solidário e seguro

A amiga Ná «sugeriu-me» que fizesse o primeiro post do ano, o que me deixou em dificuldade, com vontade de lhe devolver a ideia, o que seria uma boa solução devido aos dotes da nossa amiga sempre movidos por grande simpatia, graciosidade e sensibilidade para os problemas humanos.

Mas não é do meu feitio recusar desafios, o que me leva a, sempre que o tempo me permite, responder aos comentários, principalmente quando são mais controversos e desafiantes.

Mas nada vou dizer de novo, nem fazer sermões próprios do DIA MUNDIAL DA PAZ que hoje se celebra. Vou transcrever algumas palavras da homilia do cardeal patriarca de Lisboa, D. José Policarpo e de dois posts colocados esta manhã no Do Miradouro, por terem pontos de reflexão sobre alguns aspectos importantes das previsões, esperanças e receios, para 2010. Passado o momento das palavras optimistas e de esperança, devemos cair na realidade e planear o nosso esforço para contribuir na construção de um mundo melhor.

O patriarca, entre outras apalavras, falou da necessidade de «uma profunda revolução cultural e civilizacional” para que a humanidade volte a encontrar a justiça e a paz».
“A humanidade está, como nunca, perante o desafio de renovação de civilização”.
Os “grandes problemas”, numa época de globalização, “ comuns a toda a família humana, são, por exemplo, a salvaguarda do planeta Terra, a casa onde habitamos, a construção da paz, a vitória contra a violência, a promoção da justiça, de modo particular nos sistemas económico-financeiros e sociais”.
A opinião pública portuguesa tem sido mobilizada na atenção a problemas específicos como “a crise económica, a violência crescente, a eficácia do sistema judicial, a corrupção, a luta contra a degradação do ambiente”.
“Administrar a justiça numa sociedade em que as pessoas e as instituições não procuram ser justas é tarefa árdua e complexa”.
A necessária «profunda revolução cultural e civilizacional”, devendo colocar a tónica na «educação, na família, na comunicação social, nas estruturas culturais, na formação para a liberdade».

Vejamos algo dos posts no Do Miradouro referidos atrás:

Num artigo de opinião, a advogada Paula Teixeira da Cruz tece algumas considerações à situação nacional actual referindo que
São criados factos políticos em cascata, feitos da espuma dos dias e que não resolvem problema algum aos Portugueses, para além de os desesperar.
Segundo ela, a dita ‘instabilidade’ é afinal, entre outras questões, a incapacidade governamental para gerar consensos e não afectou o lazer dos governantes na quadra de Natal e final de ano.
Neste ano que passou, de escândalos a todos os níveis e de descrenças, recheado de eleições não muito concorridas, nenhum dos partidos do espectro político partidário apresentou um desígnio integrado para o País, que é afinal o que importa.
Precisamos que o Governo, ele próprio, estabilize. Sossegue e governe.

Mas, a par destes alertas para a necessidade de criar eficácia e bom governo para felicidade das pessoas que devem se a maior motivação dos governantes, surgem notícias do mundo cada vez menos pacífico e mais sofisticado na capacidade de matar e destruir. Está criada e testada ferramenta ultra sofisticada que permite a um Estado causar inúmeros mortos e graves destruições do outro lado do Planeta, usando especialistas comodamente instalados em gabinetes nas proximidades da capital que através da Internet controlam rigorosamente aviões não tripulados para fazerem os ataques sem colocarem em risco pessoas do país atacante. As vítimas não podem prever, nem evitar, nem se defender de tais ataques. Mas, paralelamente, os terroristas usam de tecnologias evoluídas e também estão preparados para actuar sem dar hipótese de prevenção e defesa. Onde irá o Mundo por este caminho?

Enfim, tudo isto vem demonstrar que as directrizes que têm orientado este blogue estão em consonância com as maiores preocupações de quem medita a fundo na vida das pessoas . Proponho que continuemos no bom sentido porque «água mole em pedra dura tanto bate até que fura», «devagar se vai ao longe» e devemos ajudar os dorminhocos a acordar e pensar pela própria cabeça na ajuda a dar para que o mundo se torne mais seguro e solidário e melhorem as condições de convivência entre as pessoas.

10 comentários:

Fernanda disse...

Meu querido João Soares,

Adorei a introdução e até sorri...
Todo o restante texto é de arrepiar os cabelos.
Não que seja tão desinformada que não saiba parte de todas as realidades possíveis para as quais o João alerta, mas o cenário é francamente desesperante e até cruel, para dizer o mínimo.

Só posso esperar que saibamos todos combater esses sinais, estar bem alerta e continuar na senda da divulgação, por forma a que "o mundo se torne mais seguro e solidário e melhorem as condições de convivência entre as pessoas."

Beijinhos

Luis disse...

Caro João,
Como primeiro post de 2010 acho-o fantástico pois alerta-nos para assuntos pertinentes e muito actuais!
Estes Alertas não são, de forma alguma, demais pois as pessoas andam amorfas e adormecidas precisando de choques que as façam ver as realidades!
Um abração amigo.

Fernanda disse...

Mensagem recebida por e-mail da amiga e seguidora Dina.

Meus amigos...
Venho desejar-vos um feliz 2010!
Neste momento tenho pouco tempo para vos visitar a todos...por isso espero que me desculpem aqueles que não me têm visto muito pelos vossos espaços.
Se o tempo tem sido pouco a partir da próxima segunda-feira vai ser ainda menos porque vou ter que reservar o meu pouco tempo livre para mimar a minha neta que tem chegada prevista para esse dia...
Que o ano que agora começou seja um bom ano para todos!!
Beijinhos e abraços
Dina

Jackeline Depp disse...

Olá, passei aqui pra lhes informar que temos novidades no Blog JDM e queremos saber qual suas opiniões. Também queremos sugestões pra deixar o Blog ainda melhor em 2010. Agradecemos desde já seu apoio e amizade! Fiquem a vontade...
Apoio o que a Fernanda e Luis escreveram... risos
Fiquei muito feliz em ouvir aqui Ernesto Cortazar!
Ah, particularmente gostaria de pedir que lessem a postagem sobre fogos de artifício, no JDM.
Um grande abraço de paz e sucesso, que 2010 seja o melhor de todos os anos!!!
Jackeline-Curitiba-Paraná
http://johnnydeppmadness.blogspot.com/

Fernanda disse...

Querido amigo João.

Sem comentários...aqui! Já sabe do que falo.

Obrigada pela pista que me deu, foi na mouche.
Cá estaremos para a festa, não só porque eu gosto, mas porque todos gostamos de ser lembrados e mimados nesses dias.

Beijinhos
Ná.

A. João Soares disse...

Querida Amiga Fernanda,

O post foi colocado depois de estarmos ressacados, depois das palavras doces dos desejos, e já com os pés na realidade que não devemos ocultar.
As perstivas poderão ser muito negras e é preciso darmos as mãos para evitar que não sejam tão más.
Tenho feito nos blogues muitos alertas para os políticos abrirem os olhos para as realidades actuais, mas eles teimam na asneira. Parece que não será má ideia cada um ter á mão uma ou mais miniaturas dos Jerónimos, porque poderá ser esse o único apelo a que eles reagem.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Caro Luís,

E eu não tinha conhecimento da mensagem de Ano Novo do PR.
Este texto está na linha programática daquilo que muito aqui tenho dito, dos alertas sobre medidas a tomar para bem dos portugueses e de todo o mundo,
Não queiramos destruir a vida no Planeta azul.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Cara Jackeline,

Gostei do texto mais recente do seu blogue.
Fiquei a pensar em transcrever.

Beijos
João

Pedro Ferreira disse...

Caro Sr.João Soares,

Com que então anda por aí uma senhora a dar sugestões :))))
Cuidado que ela não dá descanso a ninguém :))))))

Agora a serio, é verdade que vamos de mal a pior, mas tenhamos alguma esperança. Não vale de nada vivermos com essa pesada espada sobre o pescoço.
Temos de ter alguma esperança de que seremos capazes de mudar o ritmo errado que o Mundo leva.
Se já não for na minha geração que seja na próxima,

Abraço e Um Bom Ano.
Pedro Ferreira

A. João Soares disse...

Amigo Pedro,

Tem de ser na sua geração, têm de dar uma volta a isto nem que tenham de usar miniaturas dos Jerónimos ou de outras catedrais, como fizeram com a de Milão. Faz parte das democracias exigir dos eleitos responsabilidade pelos erros que cometem.
Se não fizerem, o Pedro irá ter uma velhice muito difícil se não lhe aplicarem a eutanásia precocemente!

Abraço
João